BRT de Londrina: Prefeitura e Caixa assinam convênio

ônibus

Ônibus em Londrina, no Paraná. Prefeitura e Caixa Econômica Federal assinaram convênio para construção de um sistema de BRT – corredores de ônibus modernos – que terá dois ramais.

BRT de Londrina vai ter dois ramais
Prefeitura e Caixa Econômica Federal assinaram convênio. Obras devem começar em 2015
ADAMO BAZANI – CBN
A prefeitura de Londrina, no Paraná, e a CEF – Caixa Econômica Federal – assinaram nesta quinta-feira, dia 13 de março de 2014, convênio para a construção de um sistema de corredores de ônibus com características de BRT – Bus Rapid Transit, que são espaços destinados ao transporte público, mais eficientes e acessíveis que os corredores expressos comuns.
Os custos para a construção do sistema serão de R$ 144,9 milhões, sendo que R$ 124,9 milhões virão de empréstimos do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, com prazo de 20 anos para pagamento e juros de 6% ao ano, e R$ 20 milhões de contrapartida do poder municipal.
Os projetos básicos e executivos devem ser concluídos em um ano e as obras iniciadas somente no segundo semestre de 2015.
Para a construção do BRT, que terá dois ramais, são previstas pelo menos treze obras de adequação viária, como construção de trincheiras (passagem sob a via principal para eliminar cruzamentos), viadutos e alargamentos de vias.
Está prevista também a construção de terminais de integração e transferência.
Ao todo, o sistema de corredores de ônibus deve ter 24 quilômetros em dois ramais. Cada um deles deve atender aproximadamente dez mil pessoas por dia.
RAMAL LESTE-OESTE/LINHA AMARELA – Linha 01:
Extensão: 13,4 quilômetros
Estações: 13 estações e 2 terminais, com aproximadamente 900 metros de distância: Figueira; Leonor; Terminal da Zona Oeste; Shangri-lá; Cismepar; Central; Amazonas; Viajantes; Marco Zero; Morumbi; Laranjeiras; Pioneiros; UTFPR; Diamante, Terminal da Zona Leste.
RAMAL NORTE-SUL/LINHA VERDE – Linha 02:
Extensão: 10,6 quilômetros.
Estações: 11 estações e 2 terminais, também com cerca de 900 metros distantes: Terminal Norte, Tropical, Felicidade, Noitbó, Tremenbés, Fraternidade, Aeronáutica, Califórnia, Portugal, Europa, Inglaterra, Bélgica, Terminal Acapulco.
INTEGRAÇÕES:
As estações Fraternidade, no ramal Norte-Sul, e Viajantes, no ramal Leste-Oeste, vão permitir a integração entre as linhas.
CARACTERÍSTICAS:
A proposta inicial da Prefeitura de Londrina é que cada estação de BRT tenha um bicicletário e ao longo de boa parte do percurso dos ônibus devem ser construídos cerca de 50 quilômetros de ciclovias, contanto uma via para cada lado dos corredores.
Como já é típico dos BRTs, haverá separação total dos ônibus em relação aos demais veículos do trânsito comum, permitindo maior segurança e mais velocidade ao transporte coletivo, reduzindo o tempo de viagem.
O piso será de concreto, mais adequado que o asfalto comum para suportar o tráfego constante dos ônibus, que são veículos mais pesados e que realizam mais frenagens.
Está previsto o uso de veículos de maior porte, como articulados e superarticulados.
Além disso, a prefeitura propõe que os corredores “cortem” as rotatórias, sem a necessidade de fazerem as manobras que os outros veículos realizam.
As estações vão permitir o pré-embarque, que é o pagamento da tarifa antes da chegada do ônibus, o que diminui o tempo de parada dos veículos, terão painéis informativos com dados sobre as linhas e horários e embarque no nível, cujo piso da plataforma fica na mesma altura do assoalho do ônibus, dispensando os degraus do veículo.
Entre as intervenções viárias previstas para o Ramal Leste-Oeste estão o alargamento do viaduto sobre a BR-369, um viaduto na Praça Jardim do Sol, uma passagem subterrânea (trincheira) no cruzamento da avenida Leste-Oeste com avenida Rio Branco e um viaduto para ligar a avenida Arcebispo Dom Geraldo Fernandes e a avenida Attílio Octávio Bizatto.
Para o Ramal Norte-Sul devem ser feitas as seguintes intervenções: viaduto sobre a rotatória entre a Avenida Dez de Dezembro e Avenida Leste-Oeste, uma passagem subterrânea (trincheira) no cruzamento da avenida Sylvio Barros com a rodovia Carlos João Strass e um viaduto sobre o córrego Cabrinha.
Os terminais da zona Oeste e o Jardim Acapulco, na zona Sul, devem ser reformados e nas zonas Norte e Leste devem ser construídos novos terminais de ônibus.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em BRT de Londrina: Prefeitura e Caixa assinam convênio

  1. Gostei da parte em que a distância média entre as estações será de 900m. Praticamente igual a do metrô de SP que é 1km e quase o dobro do corredo ABD operado pela metra que é 500m (um pinga pinga …)! Os ônibus terão uma velocidade excelente! O projeto parece ser muito bom!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: