Greve de ônibus em Curitiba continua nesta quinta-feira

greve ônibus Curitiba

Ônibus em Curitiba. Greve continua nesta quinta-feira, mas Justiça determina frota mínima de 50% nos horários de pico e 30% nas demais horas.

Greve de ônibus continua em Curitiba e Região nesta quinta-feira
Sindicato dos motoristas se comprometeu a manter frota mínima em circulação, mas dia deve ser marcado por transtornos mesmo assim
ADAMO BAZANI – CBN
A greve de ônibus em Curitiba e região metropolitana continua nesta quinta-feira, dia 27 de fevereiro de 2014.
Em reunião entre empresas e sindicato de trabalhadores nesta quarta-feira, a desembargadora Ana Carolina Zaina, do TRT – Tribunal Regional do Trabalho determinou que ao menos 50% da frota na capital e nas 13 cidades que formam a RIT – Rede Integrada de Transporte estejam em circulação nos horários de pico entre 5h30 e 8h30, das 11h30 às 14h e de 17h a 19h30. Nas demais faixas de horário a frota mínima deve ser de 30% do total programado para os dias normais.
A multa ao Sindimoc – Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região em caso de não cumprimento da determinação judicial subiu de R$ 10 mil para R$ 100 mil por dia.
Apesar da exigência de frota mínima, a situação continua complicada para os 2,3 milhões de passageiros do sistema. A Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., gerenciadora dos serviços de transportes, cadastrou veículos para transportes alternativos que só podem fazer as linhas dos ônibus e cobrar no máximo R$ 6,00.

SINDIMOC DESCUMPRE FROTA MÍNIMA PELA MANHÃ:

Levantamento da Urbs mostra que no início da manhã, quando ao menos 50% dos ônibus deveriam estar em operação, nem 30% da frota saíram às ruas.
No Umbará, na noite desta quarta-feira, um funcionário da Viação Cidade Sorriso foi preso. ele participava de um piquete que tentava impedir a saída dos ônibus.
Um veículo foi depredado.

ÍNDICES DE REAJUSTE:
A desembargadora estipulou para negociações um reajuste de 10,5% para os motoristas e cobradores, que será debatido entre empresários e trabalhadores.
A categoria pede 22% de aumento real para os cobradores e 16% para os motoristas mais o percentual de inflação acumulado, de acordo com o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor.
Já o Setransp – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Curitiba e Região oferece a correção salarial pelo INPC: 5,56%.
LOCAUTE:
Pela manhã, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, chegou a dizer que suspeita que o movimento seja um locaute, quando a greve é combinada entre empresários e trabalhadores, o que é ilegal.
O suposto locaute, segundo Gustavo Fruet, seria uma forma de pressão para o reajuste no valor das tarifas de ônibus.
“É inaceitável a gente ouvir os depoimentos sobre a forma como isso está sendo conduzido. Se ficar comprovado que esta greve é uma articulação para forçar o reajuste da tarifa, vou pedir a prisão do presidente do Sindicato dos Empresários e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores.” – disse o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, à RPC TV, afiliada da Rede Globo no Paraná.
Tanto o sindicato dos rodoviários como o sindicato dos empresários negaram ação conjunta entre as entidades.
A questão da tarifa em Curitiba e nos municípios da RIT é polêmica.
Auditoria do TCE – Tribunal de Contas do Estado do Paraná diz que mudando a fórmula de cálculo, a tarifa-técnica, que representa os custos do sistema, poderia ser reduzida em R$ 0,43.
As empresas de ônibus conseguiram impedir na Justiça provisoriamente que a recomendação do TCE para a redução da tarifa fosse colocada em vigor.
Segundo as companhias de ônibus, a redução comprometeria a viabilidade econômica do sistema de transportes, podendo interferir na manutenção da integração entre Curitiba e as cidades vizinhas e na qualidade dos serviços.
O prefeito se declarou irritado com as discussões e as pressões para a redução da tarifa:
“Parece até um leilão ao contrário: quem é capaz de dar a menor tarifa?”. Ele disse que não vai permitir, no entanto, que as passagens cheguem a R$ 3,40, como “querem os empresários” – nas palavras de Fruet.
O Setransp não confirmou este valor.
Além de Curitiba, são afetados os municípios de Almirante Tamandaré, Pinhas, São José dos Pinhas, Araucária, Contenda, Colombo, Campo Largo, Campo Magro, Bocaiúva do Sul, Rio Branço do Sul, Itaperuçu, Piraquara e Fazenda Rio Grande.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Greve de ônibus em Curitiba continua nesta quinta-feira

  1. Amigos, bom dia.

    Bela pintura do buzao da foto.

    Parabens!

    Att,

    Paulo Gil

  2. Esse prefeito de Curitiba Gustavo Fruet será o pior prefeito na história da cidade! Podem anotar isso! Se ele quisesse melhorar de verdade a qualidade do transporte coletivo a primeira coisa que deveria ter feito logo no vencimento do 3o. mês de mandato em abril de 2013 deveria ter sido: o CANCELAMENTO da licitação promovida de forma irregular pelo atual governador Richa. Esse negócio de “esconder” as 11 empresas atuais em apenas 3 consórcios TRANSBUS, PIONEIRO e PONTUAL (que são só os nomes que se vêem pintados bem pequenininho e lá atrás da carroceria e embaixo do prefixo !!!) é de uma patifaria sem limites !
    Estamos em março de 2014 e 1 ano e 3 meses desse mandato foi perdido com falatórios e um monte de promessas vazias!
    Ainda dá tempo de reverter o jogo! Que os contratos atuais sejam todos CANCELADOS e que se faça uma nova:
    LICITAÇÃO limpa e justa e discutindo a mesma com as comunidades e associações de moradores em reuniões diárias durante 60 dias. Depois, com a formatação do novo modelo fazer com que Curitiba volte a ter o melhor transporte coletivo da América Latina e com empresas de todo o Brasil e até do exterior participando da licitação dos transportes urbanos da capital paranaense ! Ele vai ter coragem de fazer isso e conseguir ser reeleito e ainda quem sabe lá na frente disputar e ganhar o governo do Paraná ??? – NÃO !!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: