Bilhetagem Eletrônica de Curitiba passará por avaliação

ônibus

Ônibus em Curitiba. Pela primeira vez desde a informatização de 2004, bilhetagem eletrônica da RIT Rede Integrada de Transporte será avaliada em conjunto pela Urbs, Comec e empresas de ônibus.

Bilhetagem Eletrônica será avaliada em Curitiba e Região
Trabalhos serão feitos em parceria entre empresas de ônibus, Comec e Urbs
ADAMO BAZANI – CBN
Os sistemas de bilhetagem eletrônica dos ônibus da RIT – Rede Integrada de Transporte de Curitiba e Região Metropolitana vão passar por avaliação inédita.
O sistema controla a operação, a fiscalização e a movimentação financeira do transporte coletivo.
Os trabalhos serão realizados em conjunto pelas empresas de ônibus, pela gerenciadora dos transportes Urbs – Urbanização de Curitiba S.A, pela auditoria da autarquia e pela Comec– Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba.
A avaliação é para atender às manifestações e pressões populares e da Câmara que pedem mais transparência no balanço financeiro dos transportes e vai ajudar na criação de um banco de dados mais atualizado sobre gratuidades, isenções tarifárias, tempo de integração, alterações no perfil de origem e destino, quais as principais operações financeiras são realizadas e o prazo de validade dos créditos.
Com isso, segundo os órgãos envolvidos, além da transparência maior, será possível melhorar o sistema com a instalação de novos equipamentos, como validadores, catracas e nobreaks, que evitam problemas em caso de interrupção de fornecimento de energia elétrica.
Dependendo dos dados sobre movimentações de passageiros, como alterações de origem e destino, não estão descartadas mudanças de linhas e reorganização da frota. Nem a Urbs e nem os outros órgãos envolvidos na avaliação levantaram ainda a possibilidade da ampliação da frota de ônibus.
A informatização na bilhetagem e no controle de operação dos ônibus da RIT começou em 2004, com a substituição de fichas de plástico e bilhetes de papel por cartões eletrônicos.
Atualmente, todos os ônibus possuem GPS, computadores de bordo e equipamentos que permitem comunicação em tempo real entre veículos, departamentos de tráfego das empresas de ônibus e o CCO – Centro de Controle Operacional da Urbs.
As empresas de ônibus têm nas garagens monitores com as mesmas informações do CCO.
Elas podem por mensagens orientar os motoristas quanto a defeitos mecânicos nos ônibus, desvios de congestionamentos ou de outras ocorrências mais à frente de onde está o veículo.
O CCO também permite controlar cumprimento de horários, de itinerários, se toda a frota programada está mesmo em operação, a velocidade dos ônibus e quantos passageiros são isentos de tarifa ou se pagam com os créditos do cartão transporte ou com dinheiro.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Bilhetagem Eletrônica de Curitiba passará por avaliação

  1. Amigos, boa tarde.

    Isso que eu chamo de trabalho INÚTIL.

    O que fizeram com os dados coletados desde 2004, até hoje ???

    Sem mais.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: