Bilhetagem Eletrônica de Curitiba passará por avaliação

Publicado em: 17 de outubro de 2013

ônibus

Ônibus em Curitiba. Pela primeira vez desde a informatização de 2004, bilhetagem eletrônica da RIT Rede Integrada de Transporte será avaliada em conjunto pela Urbs, Comec e empresas de ônibus.

Bilhetagem Eletrônica será avaliada em Curitiba e Região
Trabalhos serão feitos em parceria entre empresas de ônibus, Comec e Urbs
ADAMO BAZANI – CBN
Os sistemas de bilhetagem eletrônica dos ônibus da RIT – Rede Integrada de Transporte de Curitiba e Região Metropolitana vão passar por avaliação inédita.
O sistema controla a operação, a fiscalização e a movimentação financeira do transporte coletivo.
Os trabalhos serão realizados em conjunto pelas empresas de ônibus, pela gerenciadora dos transportes Urbs – Urbanização de Curitiba S.A, pela auditoria da autarquia e pela Comec– Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba.
A avaliação é para atender às manifestações e pressões populares e da Câmara que pedem mais transparência no balanço financeiro dos transportes e vai ajudar na criação de um banco de dados mais atualizado sobre gratuidades, isenções tarifárias, tempo de integração, alterações no perfil de origem e destino, quais as principais operações financeiras são realizadas e o prazo de validade dos créditos.
Com isso, segundo os órgãos envolvidos, além da transparência maior, será possível melhorar o sistema com a instalação de novos equipamentos, como validadores, catracas e nobreaks, que evitam problemas em caso de interrupção de fornecimento de energia elétrica.
Dependendo dos dados sobre movimentações de passageiros, como alterações de origem e destino, não estão descartadas mudanças de linhas e reorganização da frota. Nem a Urbs e nem os outros órgãos envolvidos na avaliação levantaram ainda a possibilidade da ampliação da frota de ônibus.
A informatização na bilhetagem e no controle de operação dos ônibus da RIT começou em 2004, com a substituição de fichas de plástico e bilhetes de papel por cartões eletrônicos.
Atualmente, todos os ônibus possuem GPS, computadores de bordo e equipamentos que permitem comunicação em tempo real entre veículos, departamentos de tráfego das empresas de ônibus e o CCO – Centro de Controle Operacional da Urbs.
As empresas de ônibus têm nas garagens monitores com as mesmas informações do CCO.
Elas podem por mensagens orientar os motoristas quanto a defeitos mecânicos nos ônibus, desvios de congestionamentos ou de outras ocorrências mais à frente de onde está o veículo.
O CCO também permite controlar cumprimento de horários, de itinerários, se toda a frota programada está mesmo em operação, a velocidade dos ônibus e quantos passageiros são isentos de tarifa ou se pagam com os créditos do cartão transporte ou com dinheiro.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa tarde.

    Isso que eu chamo de trabalho INÚTIL.

    O que fizeram com os dados coletados desde 2004, até hoje ???

    Sem mais.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta