Relatório do TCE sugere nova licitação em Curitiba

ônibus

Ônibus em Curitiba. TCE aponta para possibilidade de cartel e diz que tarifas poderiam ser mais baixas. Transporte Coletivo Glória.

Passagens de ônibus em Curitiba poderiam custar menos diz TCE
Órgão diz que tarifa poderia ser R$ 2,25 e aponta para possibilidade de cartel no sistema
ADAMO BAZANI – CBN
Os passageiros de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana poderiam pagar R$ 2,25 pela passagem de ônibus, ou seja, R$ 0,45 a menos que atualmente.
Em relatório oficial, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná mostra que o valor poderia ser reduzido com a eliminação do excesso de gratuidades, como para categorias trabalhistas, e com uma nova forma de cálculo da tarifa técnica, que é a quantia recebida pelas empresas de ônibus por passageiro transportado.
Com o novo cálculo do TCE, a tarifa técnica que hoje é de R$ 2,9994 passaria a ser R$ 2,5483, descartando a necessidade de subsídios. Para a redução, o Tribunal de Contas propõe a revisão de alguns itens que encarecem a tarifa e que são considerados dispensáveis.
O TCE do Paraná fez o relatório em três meses e apontou pelo menos 40 irregularidades no sistema, cujo modelo da Capital Paranaense foi formulado pela licitação de 2010.
Entre as suposta irregularidades, está a possibilidade de formação de cartel de empresas de ônibus.
Segundo o documento, apenas a família Gulin opera e controla 87,06% dos transportes na Capital Curitiba e na Região Metropolitana. A família atua no setor da região desde 1949.
A situação já é antiga e o TCE sugere que a licitação de 2010 foi conduzida para mantê-la.
Com 253 páginas, o relatório sugere a suspensão dos atuais contratos apenas em Curitiba e a realização de uma nova licitação.
A Prefeitura de Curitiba diz que tem tomado providências para exigir cumprimento do contrato por parte das empresas de ônibus e melhorar os serviços. O poder público estuda uma licitação para rever o contrato com o ICI – Instituto Curitiba Informática, responsável pela bilhetagem eletrônica. O TCE também apontou possíveis irregularidades na bilhetagem.
Sobre as tarifas, a prefeitura diz que a responsabilidade é do Estado, já que o valor é metropolitano.
Em nota, a prefeitura afirmou que a Comec assuma o gerenciamento do transporte da região metropolitana.
“A atual administração inclusive mandou ofício ao governo do Estado solicitando que a Comec [Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba] licite e assuma o transporte metropolitano. Com isso, Curitiba pode baixar sua própria tarifa e ainda dispensa qualquer subsídio. Esse ofício, de 20 de junho, jamais foi respondido”.
As empresas de ônibus negam formação de cartel e dizem que o fato de companhias serem de pessoas de mesmas famílias não significa que sejam do mesmo grupo empresarial. Quanto às tarifas, as empresas concordam que a redução do excesso de gratuidades poderia diminuir os valores e estão dispostas a analisar os critérios para a tarifa técnica, mas enfatizam que no atual modelo, os valores não cobrem os custos.
O relatório do TCE vai ser apreciado em plenário no tribunal, podendo ou não ser aprovado, ou mesmo modificado.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Relatório do TCE sugere nova licitação em Curitiba

  1. Amigos, boa noite

    Conforme consta no post acima:

    “Quanto às tarifas, as empresas concordam que a redução do excesso de gratuidades poderia diminuir os valores e estão dispostas a analisar os critérios para a tarifa técnica, mas enfatizam que no atual modelo, os valores não cobrem os custos.”

    Essa é fácil e PREVISÌVELLLLLLLLLLLLLLL

    Alguém esta mentindo ?

    QUEM ?

    Relatórios, papeis, novo nome de gerenciador, patati bororó e NADA.

    Tudo conversado e nada resolvido.

    É melhor deixar como é que está para ver como é que fica.

    Espinafre de caçorolinha ou espingarda de caçar rolinha

    E isso está ocorrendo no sul do país, onde as coisas eram mais sérias, agora nem o sul está escapando mais.

    BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    O que fazer ?

    Que tal assar uma BELLA PIZZA ?

    1/2 ALICHE 1/2 MUSSARELA

    E TUDO BENE !

    CERTO BELO ?

    Att,

    Paulo Gil

  2. Acompanhei essa licitação desde o início e de cara só pelo resultado dela já via quanta treta tinha nela! Observem que em cada um dos 3 míseros consórcios existe como empresa líder, UMA empresa do Grupo da família Gulin! Isso sem contar que das 11 empresas “ganhadoras” além de parte delas ser desta família, as outras “novatas” já operavam o transporte urbano da cidade apesar de serem empresas metropolitanas! O motivo disso é que antes da licitação já existiam linhas urbanas compartilhadas entre empresas urbanas e metropolitanas fato que antes era impossível pois a fiscalização dos metropolitanos era de competência estadual, a saber Governo do Estado. Quem é de Curitiba deve se lembrar da primeira adm.do Governador Requião em que por volta de 1993 existiam cores diferenciadas dos ônibus metropolitanos em relação aos urbanos da Capital, inclusive a tarifa era alguns centavos mais barata só prá fazer média com a população. Curioso é que na mesma época também existiram ônibus piratas! Sim, a Grande Curitiba já os teve! Alguém se lembra dos ônibus da Mina do Vale e até de usados do Rio de Janeiro Joinville e São Paulo que operaram no transporte “alternativo”na região metropolitana de Curitiba? Pois é, tempos depois eles sumiram pois criou-se o chamado TRANSPORTE POPULAR INTEGRADO de iniciativa de Requião que posteriormente tornou-se governador em mais dois mandatos! (O povo do Paraná deve adorar ele!) Foi 3 x mais governador do que o próprio Jaime Lerner criador do sistema expresso de Curitiba e que teve um final de governo melancólico quando até 1998 esteve à frente do Governo do PR! Curiosamente, anos depois a URBS a SPTrans curitibana reclamava para si o direito de também fiscalizar o METROPOLITANO sendo assim a COMEC repassou tudo para o órgão municipal e isso ocorreu durante o mandato do Governador Lerner e estranhamente mantido nos 2 governos posteriores de Requião. Hoje a COMEC ainda existe mas não fiscaliza NADA pois quem cuida do metropolitano ainda é a URBS que agora se posa de santa e quer que o Estado assuma a fiscalização do metropolitano (duvido dessa vontade da URBS mas como a reportagem disse foi feito um ofício ao Governo Estadual e JAMAIS foi respondido!) Curiosamente ATÉ HOJE e passados tantos anos de domínio URBS sobre os Metropolitanos o transporte de toda a região metropolitana NÃO ESTÁ 100% INTEGRADO ! Que absurdo gente ! Pelo menos foram 15 anos perdidos na qual a fiscalização do órgão municipal NÃO conseguiu integrar o transporte coletivo de TODOS os municipios envolvidos e que ficam em volta de Curitiba. O Terminal metropolitano Maracanã por exemplo é um LIXO a céu aberto! Cheio de pichações, bandidagem, mendigos etc… Cadê a administração URBS da prefeitura que ADORA jogar a culpa nos municipios da região metropolitana ? Afinal já passaram de 15 loooongos anos que ela fiscaliza os ônibus Metropolitanos !

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: