Aumenta número de pessoas que deixaria o carro em casa

ônibus

Ônibus urbano em São Paulo. Sobe o número de pessoas que declararam que estão dispostas a deixar o carro em casa. De acordo com pesquisa, 93% dos paulistanos aprovam as faixas de ônibus. Foto:
Adamo Bazani.

Paulistano quer utilizar ônibus, diz Ibobe/Nossa São Paulo
Mesmo assim, número de deslocamentos em carros aumentou
ADAMO BAZANI – CBN
Até 2015, as cidades com mais de 50 mil habitantes têm a obrigação de apresentar um plano de mobilidade urbana.
A exigência está prevista na Lei de Mobilidade Urbana, sancionada pela presidente Dilma Rousseff no ano passado.
E a cidade de São Paulo precisa avançar neste plano, de acordo com a Rede Nossa São Paulo, Organização Não Governamental, formada por estudiosos e sociedade em geral, que busca discutir e encontrar soluções para os problemas da cidade e da Região Metropolitana.
Em parceria com o Ibope, a Rede Nossa São Paulo divulgou uma pesquisa que mostra os anseios da população sobre mobilidade urbana.
E o dado que mais chamou a atenção foi que aumentou de 44% da última pesquisa no ano passado para 61% em 2013, o número de pessoas que se mostraram dispostas a deixar o carro em casa para usar o transporte público, em especial para os ônibus.
As perspectivas em relação às faixas de ônibus implantadas na cidade e para a construção de corredores de ônibus também afetaram positivamente a disposição do paulistano.
De acordo com o Ibope/Nossa São Paulo, 93% dos entrevistados apóiam a implantação de faixas exclusivas de ônibus na Capital Paulista.
Mas enquanto o transporte público não recebe a prioridade necessária para que a intenção de deixar o carro em casa se torne realidade, o número de deslocamentos por transporte individual tem aumentando. De 2012 para 2013, de acordo com pesquisa, subiu de 23% para 27% o número de viagens diárias por carros na cidade. O aumento da frota na capital neste período também ajuda a explicar o crescimento. Foram cerca de 70 mil veículos a mais, um crescimento de 18%.
PAULISTANO APOIA RESTRIÇÃO:
O paulistano está cada vez mais consciente de que o excesso de veículos na cidade não é mais status e sim problema.
Cresceu o número de pessoas favoráveis à restrição de carros na cidade.
De acordo com a pesquisa, o número de pessoas que aprovam o pedágio urbano subiu de 17% para 27% de 2012 para 2013.
O número de pessoas que apóiam a ampliação do rodízio para mais um dia na semana por placa subiu de 37% para 49%.
Para 69% dos entrevistados, o trânsito em São Paulo é ruim ou péssimo.
Essa opinião se reflete pelo tempo médio que as pessoas se deslocam na cidade: 2h15 minutos, considerado alto ainda pelos padrões das metrópoles.
A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 27 de agosto e ouviu 805 pessoas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

9 comentários em Aumenta número de pessoas que deixaria o carro em casa

  1. Agnaldo Antonio dos Santos // 16 de setembro de 2013 às 16:09 // Responder

    Eu deixei o carro em casa, na sexta-feira, a noite. Fui para o ponto de ônibus da Av. Nsa. Sra. do Sabará, depois de 10 min. de caminhada e chegando lá às 19h, ele só passou às 19h40. Quase cancelei o compromisso que era às 20h00 na Vila Mariana. Só passava ônibus para Santo Amaro, mas para o Centro, nenhum durante este tempo todo. Como confiar neste sistema atual? E por que os novos pontos de ônibus, mais modernos, não possuem informação sobre as linhas que passam naquele local, horários de intervalo, trajeto, etc.? Parece que vai demorar optar plenamente por um sistema que não dá privilégios para os seus usuários.

  2. Com todas essas faixas, a cidade passará a contar com 169,8 km de vias à direita exclusivas para os ônibus. A promessa da gestão Fernando Haddad (PT) era chegar a 150 km até o fim de 2016. Para mim , as medidas para melhorar a circulação de ônibus não devem parar nas faixas exclusivas à direita, que estão sujeitas a interferências como ruas laterais e entradas de garagens. Eu afirmo que corredores à esquerda da pista, no canteiro central, são muito mais eficientes. A promessa foi de corredor , mas parece que isso está muito longe de ser concretizado…

  3. Adamo, não se fez absolutamente nada em termos de melhoras a não ser as faixas, os onibus são poucos, na sua maioria velhos e muito desconfortáveis, os intervalos são exagerados, em media na hora de pico de 25 minutos, sendo que tem linhas como a 3406 (Cohab Jucelino que tem intervalos de 40 minutos ou mais), a fiscalizaçao e omissa e conivente, alem dos enceramentos de linhas que ocasionaram superlotação nas linas restantes, volto a repetir a Sptrans esta jogando contra.

  4. Estas pesquisas que apontam pessoas apoiando pedágio urbano ou aumento no rodizio não me convencem.
    Quem afirma isso, são pessoas que podem ter 02 ou mais veículos e querem ver as ruas mais vazias, para que elas possam se locomover com mais rapidez e conforto, e não que estejam querendo uma solução para o grave problema de mobilidade da Região Metropolitana de SP

  5. Amigos, boa noite.

    O verbo está correto DEIXARIA.

    Quando o pessoal deixar, e sentir na pele o que é andar num Buzão, vão mudar de ideia rapidamente.

    Os comentários supra estão todos corretos, exceto um detalhe.

    Hoje na região da Teodoro Sampaio vi um monte de Buzão “batendo lata”, eu entendo que temos é Buzão demais, principalmente porque temos muitos itinerários “zig zag”, daquels que o Buzão passa na Europa, França e Bahia.

    Eu entendo que isso é o vício CMTC.

    O Buzão ter de seguir o esquema de Curitiba o resto é balela.

    Tem muito Buzão fazendo zig zag, hoje mesmo na Vital Brasil tinha muito buzão batendo lata e isso é em toda Sampa.

    Enquanto não fizerem linhas retas (acho que o correto é troncal) eu prefiro o termo “retas”, mas parece que os ban ban ban de trasnporte de Sampa preferem o esquema VASP.

    Ou seja a menor distância entre dois pontos é uma curva (lembram daquele logotipo da Vasp que tinha 2 pontso e uma curva); haja visto que o Metrô linha 4 amarela ele vai em “S” até a estação da LUZ.

    Eu morro de curiosidade em saber por que essa linha 4 Amarela, não é uma reta ?

    Sinceramente isso na minha cabeça não entra e eu abomino.

    Pra min essa linha Amarela nasceu morta, poi se as curvas limitam a velocidade em 65 Km/h (é um exemplo) esse Metrô nunca terá sua produtividade aumentada, pois a mesma já está LIMITADA PELAS CURVAS.

    E o Buzão de Sampa é a mesma coisa ou pior.

    Se fizessem um ótimo e exemplar plano de OTIMIZAÇÃO DE TODAS AS LINHAS DE SAMPA,
    o Buzão teria um ganho de produtividade.

    Só não garanto se as empresas terão o mesmo ganho.

    Pois com certeza esse monte de Buzão que bate lata, não bate lata de graça, bate lata graças aos contratos aditivos.

    ISSO É PREVISÍVELLLLLLLLLLLLLL

    Mas se quiserem aprimorar, façam a OTMIZAÇÂO DO SISTEMA, com certeza dará certo.

    E tem mais uma:

    Aumentem o número de MICRÕES violentamente, pois eles são mega hiper bauster ÁGEIS do que os lerdões motores traseiros.

    Estas são mais umas ideias a lá Paulo Gil.

    Att,

    Paulo Gil

  6. Nao adianta isso se so criarem faixas esclusivas,tem que ser corredores de verdade e centrais,a faixa da Radial Leste e ridicula ate hoje deveria ser central mal planejamento da Sptranstorno.

  7. Bom saber que os amigos daqui não se deixam iludir pelas medidas cosméticas e marqueteiras de Tatto/Haddad.

    Da forma que os corredores foram inseridos, estão pedindo pros usuários “tomarem a sopa pelo meio do prato” ao invés de começar pelas bordas.

    Por que não divulgam – ostensiva e claramente – quais linhas e em que frequência deveriam ocupar os novos corredores?

    De positivo mesmo só o aumento da importância do ônibus na hierarquia das ruas e avenidas. Muito válido, mas certamente não suficiente.

  8. bem dito, e pensado: DEIXARIAM…mas não deixarão, Só mesmo radicalizando a implantação dos corredores os motoristas solitários terão a consciência de que a cidade é para todos, não só para ele. Deixar o carro para viagens longas de fins de semana, nas rodovias, ou uma situação de emergência. vai demorar ainda. Mas a prefeitura está no caminho certo.
    É fácil dizer, quero ver praticar.
    obrigado, Orlando.

  9. Por onde Anda o Baltazzar???

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: