Haddad quer auditoria internacional para ônibus em São Paulo

ônibus

Ônibus na Capital Paulista. Prefeito Fernando Haddad quer uma auditoria internacional para analisar os reais custos do sistema de transportes públicos da cidade de São Paulo. Ele voltou a defender a municipalização do imposto sobre a gasolina e rechaçou o pedágio urbano. Foto: Adamo Bazani

Haddad quer auditoria internacional para analisar custos do sistema de ônibus em São Paulo
Prefeito quer reduzir margens de lucro dos empresários de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
Assinatura de um atestado de incapacidade, frase mal compreendida cheia de boa intenção, uma solução de fato ou uma oportunidade de querer aparecer como paladino da transparência e da verdade?
Na reunião desta quarta-feira, dia 17 de julho, do Conselho da Cidade, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad disse que vai procurar uma auditoria internacional para analisar as finanças do sistema de transportes da Capital Paulista, como custos de operação, lucros das empresas e investimentos que podem ser feitos.
“Nós vamos fazer auditoria internacional. Hoje é auditada internamente. Entendemos que o grau de complexidade que isso tomou exige de nós trabalho mais minucioso, modernizando os controles”, afirmou durante reunião do conselho.
A licitação dos transportes que estava prevista para ocorrer neste mês iria envolver contratos de R$ 46,4 bilhões e concentrar os serviços de ônibus em apenas três SPE’s – Sociedades de Propósito Específico – e das cooperativas iria ser ampliado de oito lotes para doze lotes.
Mas depois dos protestos populares sobre o valor das tarifas, a qualidade dos transportes e que pedia transparência em relação ao montante de dinheiro movimentado pela Prefeitura e pelas empresas de ônibus e cooperativas, Haddad decidiu cancelar a licitação.
Durante a mesma reunião, o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, disse que os contratos atuais, assinados em 2003, quando ele era secretário da mesma pasta na gestão de Marta Suplicy, serão renovados por mais um ano e que estas renovações devem ser assinadas nos próximos dias.
Haddad, em discurso, disse que os bons empresários não temem auditorias e licitações mais modernas.
“O bom empresário tem que ver isso como oportunidade de consolidar o entendimento sobre a importância do setor” – disse o prefeito, que na segunda-feira afirmou que poderia rever para menos o lucro das empresas e cooperativas de ônibus.
Para Haddad, a realidade de 2003 é diferente da atual. As taxas de juros são menores, por isso as margens de lucro, que hoje são entre 6,8% e 14%, poderiam ser alteradas.
Durante a reunião, ainda sobre o tema mobilidade, Haddad discutiu com os membros do Conselho da Cidade como São Paulo poderia arcar com a redução da tarifa de ônibus, que em junho passou de R$ 3,20 para novamente R$ 3,00.
O prefeito de São Paulo voltou a defender a municipalização do imposto sobre a gasolina ou o álcool, a Cide – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico.
Segundo ele, se parte da Cide fosse revertida para os municípios investirem em mobilidade urbana, seria uma forma de quem usa o transporte individual, que polui mais e ocupa uma maior área do espaço urbano individualmente, contribuir para o transporte coletivo.
Alguns conselheiros chegaram a defender o pedágio urbano, mas o prefeito não se mostrou favorável à ideia.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

4 comentários em Haddad quer auditoria internacional para ônibus em São Paulo

  1. Amigos, boa noite.

    Mais uma verba que vai para o “espaço”.

    O Brasil possui profissionais de elevado nível de competência para realizar cálculos muito mais complexos do que estes.

    Lamentável tal posição.

    É o mesmo que estão fazendo com os médicos, subestimando os profissionais brasileiros.

    Que tal uma gestão internacional para gerir o transporte de Sampa ?

    Muito mais técnico, não acham ?

    Por que não fazer uma licitação internacional então ??

    Mais uma Previsível.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Amigos, boa noite

    Ops, olhaaaaaaaaaaaaa o 2896 na foto. Agora que eu vi o meu velho companheiro, porque será que mudaram ele de linha ???

    Esse carro está com o velocímetro interno digital quebrado até hoje, já rodei no corredor Rebouças dentro dele a 97 Km / hora.

    Uuuuuuuuuuuuuuuu

    Quem disse que o Buzão no corredor tem velocidade baixa.

    O 2896 não, esse é um avião.

    Mas para a SPTrans o veículo foi apresentado a vistoria e está em condições de uso, “batati e bororó.”

    Se o tal velocímetro não serve pra nada pra quê mandaram instalar essa jossa.

    Só se foi para …$$$$$$$$$

    Att,

    Paulo Gil

  3. Me desculpe Paulo Gil, mas auditoria no Brasil, e ao gosto do cliente, já la fora e um pouco diferente, se houver a intenção de realmente verificar se existe trambique nas planilhas de custo, e duvido que alguem acredite que não tenha, a auditoria externa e muito mais confiável, menos propicia a interferências, pelo simples fato de ser muito mais difícil de ser corrompida, quanto ao nosso secretário dizer que os bons empresários não devem temer, então todos vão temer porque não temos no transporte publico bons empresários e ele sabe disso, e pura demagogia.

  4. Olha aí uma grande oportunidade, contratar uma auditoria internacional para fiscalizar nossa Prefeitura, nosso Governo, o Congresso, a Camara dos vereados, deputados, senadores enfim, todos nossos politicos.
    Afonso

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: