Projetos de Mobilidade: Mais para o mesmo!

Publicado em: 8 de julho de 2013

ônibus

Ônibus em São Paulo. Somados os projetos de São Paulo e Rio de Janeiro representam quase metade do novo pacote de mobilidade apresentado por Dilma Rousseff. A questão é que pedidos são para obras já planejadas, não sendo apresentado nada de novo para a mobilidade nestes estados. Foto: Adamo Bazani

São Paulo e Rio de Janeiro pedem quase metade de verbas para mobilidade urbana anunciadas pelo Governo Federal
No entanto, recurso anunciado não estimulou novos projetos e estados pediram verbas para ações que já estão planejadas
ADAMO BAZANI – CBN
Se depender dos pedidos de São Paulo e Rio de Janeiro, os dois estados terão quase metade (R$ 21,6 bilhões) dos R$ 50 bilhões para mobilidade urbana anunciados no pacto por melhores serviços públicos pela presidente Dilma Rousseff, após a série de protestos em todo o país.
No entanto, nenhum dos dois estados acrescentou nada de novo nos planos de mobilidade, já que apresentaram projetos antigos, alguns que já deveriam ter saído do papel.
Isso não significa que os dois estados vão receber integralmente as verbas que pleiteiam, mas a possibilidade de terem acesso a uma parcela significativa dos recursos é alta.
O governador de São Paulo ,Geraldo Alckmin, e o prefeito Fernando Haddad, apresentaram à Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, projetos que somam R$ 17,3 bilhões.
Só o governo do Estado sugere obras que, se somadas, atingem R$ 10,8 bilhões. Entre as intervenções estão o prolongamento da Linha 5 Lilás do Metrô até o Jardim Ângela e da Linha 2 Verde entre Vila Prudente e Tiquatira. Prolongamento da Linha 9 da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos até Varginha, na zona Sul da Capital Paulista, e reforma de 30 estações da CPTM também. Alckmin também apresentou projetos de corredores de ônibus na região de Campinas e um que ligue o Corredor Metropolitano ABD, por São Mateus, na zona Leste de São Paulo para a região do município de Guarulhos.
A Prefeitura de São Paulo pede R$ 6,5 milhões basicamente para corredores de ônibus. A meta de Fernando Haddad com este valor é construir 150 quilômetros de vias exclusivas para ônibus. Somados a outras iniciativas, o total de corredores de ônibus chega a 230 quilômetros.
Do total, 80 quilômetros já estão em andamento ou previsão, como o corredor da Inajar de Souza, que deve começar a ser feito em agosto, e o Capão Redondo – Campo Limpo – Vila Sônia cujas obras devem ter início em outubro deste ano.
Ou seja, nada de novo foi acrescentado.
Com o Rio de Janeiro, a mesma coisa.
Juntos, estado e município pediram à Miriam Belchior, R$ 4,3 bilhões, sendo que R$ 2,3 bilhões para o Governo Estadual e R$ 2 bilhões para a Prefeitura.
Do total, R$ 1,3 bilhão é para obras de BRT – Bus Rapid Transit – corredores de ônibus, cujos projetos já existem: a segunda fase entre Deodoro e Santa Cruz e ligação B, zona Oeste – Campo Grande.
O Governo do Estado do Rio de Janeiro também quer a obra da linha 4 do metrô, entre a Barra da Tijuca ao subúrbio. A linha três, entre São Gonçalo e Niterói, é outra que seria contemplada pelas verbas pedidas ao Governo Federal.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Comentários

  1. Jayme Pereira da Silva disse:

    Adamo Bazani,

    Boa noite.

    Esse dinheiro 21,6 bilhes de Reais para a Mobilidade Urbana em So Paulo, no tem dinheiro para a Linha 6 Laranja do Metr Brasilndia / So Joaquim?

    Um abrao.

    Jayme Pereira da Silva So Paulo, 08/julho/2013 – 21h32

Deixe uma resposta