Manter ônibus em São Paulo custa R$ 32 mil por mês

ônibus

Ônibus em São Paulo. Para manter um ônibus em operação na cidade, os custos são de R$ 32 mil mensais. Se passagem voltasse a R$ 3,00, os subsídios ultrapassariam R$ 1,5 bilhão por ano. Foto: Adamo Bazani.

Manter ônibus em São Paulo custa R$ 32 mil ao mês.
Valor foi informado pela Prefeitura. Além de manutenção de veículos, serviços externos também, como bilhetagem eletrônica. Sistema hoje opera em defasagem, segundo planilhas oficiais.
ADAMO BAZANI – CBN
Conteúdo Estadão
Manter um ônibus urbano na Capital Paulista custa pelo menos R$ 32 mil reais por mês. Levando em conta que um modelo básico do tipo convencional zero quilômetro está em torno de R$ 350 mil, os custos operacionais representam quase 10% do valor dos veículos.
O principal peso na composição dos custos é a folha de pagamentos de motoristas , cobradores, fiscais e outros profissionais do setor, girando em torno de 40%.
O retorno financeiro dos empresários representa cerca de 20%. Percentual semelhante é o óleo diesel e lubrificantes, que este ano tiveram dois aumentos após um longo tempo de congelamento em 2012, para a equipe econômica do Governo Federal, tentar segurar a inflação. A medida teria prejudicado os cofres da Petrobrás.
Os pneus e as manutenções periódicas e corretivas dos ônibus também respondem por numerosa significativos dos custos.
Dependendo do tipo, um pneu de ônibus pode valer entre R$ 1500 e R$ 2500.
Mas não é só operar o ônibus que causa gastos. Se por um lado, a bilhetagem eletrônica, com o Bilhete Único, atrai mais passageiros e minimiza as fraudes na comparação com a época que os bilhetes eram de papel, ela também representa custos. Na Capital Paulista, ao menos R$ 10 milhões. Há quatro empresas terceirizadas para venderem e a administrarem os créditos.
Se o transporte público recebesse prioridade de verdade no espaço urbano, com corredores que podem reduzir m 20% o consumo do diesel e os desgastes como freios, pneus e embreagem por causa do para e anda do trânsito, seria mais barato manter um ônibus, i que refletiria nos valores das passagens.
Os dados são de uma planilha de custo enviada em 22 de maio pelo Prefeito Fernando Haddad à Câmara Municipal.
O jornal O Estado de São Paulo teve acesso à planilha e revela que, mesmo com o crescimento de 30% na arrecadação das empresas de ônibus desde 2004, o sistema operara hoje em déficit, o que pode representar, se não houver subsídios, queda ainda maior na qualidade dos serviços, com manutenção e abastecimento comprometidos, além do risco de as empresas de ônibus se tornarem devedoras e não terem condições de operar ou prestarem serviços com débitos até mesmo cobrados pela Justiça.
Hoje a arrecadação pela venda de bilhetes e passagens é de R$ 375 milhões por mês, mas os custos para manter os ônibus funcionando são de R$ 516 milhões.
Segundo Fernando Haddad, se os subsídios neste ano não chegassem a R$ 1,25 bilhão, as tarifas em vez de R$ 3,20 seriam de R$ 4,15.
Os subsídios, no entender da prefeitura, são uma maneira justa de toda a sociedade contribuir com os transportes públicos que, ao diminuírem o trânsito e a poluição, e aproveitarem melhor o espaço urbano, contribuem com todos na cidade, até com quem usa só carro para se deslocar.
Ainda, segundo Haddad, se a tarifa voltasse para R$ 3,00, como quer o Movimento Passe Livre, os subsídios teriam de subir em R$ 360 milhões, ultrapassando R$ 1,5 bilhão.
Já se as tarifas não fossem cobradas, como querem também os manifestantes, os custos mensais para Prefeitura seriam de R$ 6 bilhões por ano, aproximadamente 14% do que o município arrecada.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

9 comentários em Manter ônibus em São Paulo custa R$ 32 mil por mês

  1. Basta o governo federal usar parte do dinheiro arrecadado pela Cide (imposto cobrado sobre os combustíveis e que ninguém sabe em qual buraco negro esse dinheiro vai parar) e usar esse dinheiro para subsidiar e melhorar o transporte público que o problema é resolvido. Mas para fazer isso é preciso de atos de honestidade e boa vontade.

  2. “Já se as tarifas não fossem cobradas, como querem também os manifestantes, os custos mensais para Prefeitura seriam de R$ 6 bilhões por ano, aproximadamente 14% do que o município arrecada.”
    Esse é o custo com a tarifa a 3 reais, mas se fosse de graça, a demanda ia explodir, aumentaria ainda mais o custo…

  3. e se desestatizar o transporte? e se qualquer empresa puder oferecer este serviço? será que a livre concorrência não faria os preços baixarem e a qualidade aumentar ?

    • William, bom dia.

      Muito interessante a questão levantada por você.

      Sem dúvida é a melhor solução; porém temos 1 ponto crucial.

      Mesmo sendo um ramo que requer altos investimentos, o que não há problemas,
      pois há vários outros ramos que também requerem altos investimentos; na questão
      dos transportes de SAMPA, e porque não dizer do Brasil, há a interferência do setor
      público na gestão do sistema.

      Este é o ponto crucial. E essa interferência é maléfica, pois deixa tudo “acinzentado”.

      Qual empresário que HOJE estaria disposto a efetuar altos investimentos para operar
      na livre concorrência, sendo que não poderia cobrar o valor correto para prestar um serviço de qualidade.

      Creio que para prestar um serviço de Buzão em Sampa com qualidade, a tarifa tem de ser no mínimo, no mínimo, R$ 5,00 (cinco reais), isso se não for mais.

      Como sempre digo, peneira não tapa raio de sol.

      É mais uma previsível, não se compra Camarão pelo preço de Bagre e muito menos Filet Mignon pelo preço de Músculo.

      Portanto, o Buzão de Sampa será sempre assim:

      “PARECE MAS NÃO É”

      Impossível não é, mas enquanto o Buzão de Sampa ou do Brasil, for tratado dessa forma, nada mudará.

      – Cadê a licitação do lote 5 do ABC ?

      – Cadê a licitação da ANTT ?

      – Cadê a licitação de Sampa ?

      – Cade os 150 Km de corredor de Buzão em Sampa ?

      – Cadê o BRT de Sampa ? (A cidade mais economicamente capaz do Brasil ainda não tem nenhum BRT).

      Diante de tudo isto, só sobra mesmo um “Apachezinho baleado”, para nós simples mortais e passageiros.

      E tem mais, em breve teremos no Buzão latidos e miados.

      Ahhhhhhh, ia esquecendo do meu papagaio LOKY ele também estará dando um rolê
      no Buzão de Sampa.

      MOTÔ LORO VAI DESCE !

      CURRUPACO.

      Att,

      Paulo Gil

  4. Amigos, bom dia.

    Lembrem-se que se os Buzões forem devidamente limpos internamente, esse custo será maior.

    Se o custo de limpeza interna interna já estiver nessa planilha, tem GATO NESSA TUMBA.

    A manutenção é corretiva, se você preventiva seria melhor né, qualquer engenheiro mecânico endossa essa minha fala.

    Nossos corredores não proporcionam economia, pois infelizmente não são operados como tal, o dia que realmente a CMTC acabar, quem sabe nossos corredores serão operados como tal.

    Quanto a maldita tarifa, subsídios, desoneração e o escambal, vamos acabar com isso de uma vez por todas e colocar o sistema para rodar como manda o figurino.

    Vou dar a receita.

    1) Calcula-se o valor real da tarifa do Buzão; por exemplo R$ 5,00.

    2) Fixa-se a tarifa na catraca (Arghhh coisa do passado) em R$ 3,00.

    3) Uma simples continha matemática e conclui-se que faltam R$ 2,00

    4) Cria-se a nível federal o imposto denominado “TOB” – TAXA DO OTÁRIO DO BUZÃO, faz-se outra continha matemática e cobra-se de acordo com a CF/88 , artigo 153 item VII, assim quem ganha muito, paga o Buzão pra galera do ganha pouco, pronto nada mais do que justo e certo.

    Art. 153. Compete à União instituir impostos sobre:

    VII – grandes fortunas, nos termos de lei complementar.

    Assim contabilmente encerra-se o assunto da farra do boi, digo do BUZÃO.

    Simples não e deixa o Buzão rodar em paz.

    Att,

    Paulo Gil

  5. Acho que nunca acontecerá dos onibus serem de graça.Há muitos politicos que lucram com isso.Acho que a prefeitura teria que fiscalizar melhor as empresas.Vejo como por exemplo a sambaíba que opera várias linhas na area norte e não consegui dar conta delas.Alem de sempre operar com muitos onibus ofs, ela ainda opera fora de corredores que não são prioridade na região.Ela tem muitas falhas nos intervalos dos onibus.Apesar de ser um grupo forte no interior de são paulo/dosBelarminos/campinas e região, ela deixa a desejar na area urbana.de são paulo.É impressionante o que o povão reclama na area de atendimento dela.São paulo com sua população cresce mais que investimentos para melhorias no transporte como metro,trem,corredores e etc.Uma pena.Esta tal licitação acho que só vai aumentar o monopólio do transporte.Hoje sai mais carros do que onibus nas ruas.Eu acho que o ideal era ter mais empresas urbanas na cidade com menos area de operação com mais empresários de qualidade não visando só o lucro com onibus básicos do que só 3 empresários operando como deve ficar monopolizando o transporte.Hoje só vemos caio,sem contar que temos marcopolo,comil e mascarello com ótimas carrocerias.Deveriam fazer como setor rodoviário dando liberdade para comprarem outras opções.Alguma coisa tem,alguem tá levando…

    • Vicente, boa noite.

      Você acertou.

      Alguém esta levando.

      Sabe quem ?

      O passageiro.

      Este leva “ferro” de todo lado e todo dia, na ida e na volta isso sim.

      Abçs,

      Paulo Gil

  6. Paulo Gil, por favor defina gastos com limpeza nos ônibus não estão nessa planilha, por favor a maioria destas empresas so varem os ônibus e olha lá, pelo amor de Deus se estes ônibus velhos e sujos custam 32 mil reais ao mês, tirem o tubo que eu partir, a maioria dos ônibus são de 8 a 9 anos atras, já foram comprados velhos, principalmente na Zona Leste, carregam em media 100 passageiros por viagem ida, sim porque nos horários de pico saem de 30 a 40 minutos, e nos horários normais chegam a demorar 1 hora e meia, estas planilhas são fraudulentas e maquiada, eu posso fazer uma planilha que o custo seja de 10 mil ou 50 mil, ao gosto do cliente, papel aceita tudo caro amigo.

    • Pedro, boa noite.

      Desculpe-me, mas não entendi o início do seu comentário.

      “Paulo Gil, por favor defina gastos com limpeza nos ônibus não estão nessa planilha, …”

      Esclarecendo:

      1) Eu disse que nesse custo de R$ 32 mil/mês ou não está incluso o custo da limpeza interna (pois não é feita) ou se há, tem GATO NA TUMBA, ou como você mesmo disse o papel aceita tudo.

      2) No exemplo do TOB – Taxa do Otário do Buzão eu utilizei valores de tarifa fictícios, para exemplificar minha ideia.

      Abçs.

      Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: