PIS/Cofins sobre tarifas de transportes é zerado

ônibus

Governo Federal desonera PIS/COFINS das passagens de ônibus, trem e metrô. Em São Paulo, tarifas de transportes serão de R$ 3,20 a partir de 2 de junho. Foto: Adamo Bazani.

PIS Cofins sobre tarifas é zerado
Medida Provisória deve valer em junho e ajudar minimizar os aumentos das passagens
ADAMO BAZANI – CBN
O Governo Federal decidiu isentar do PIS/COFINS as tarifas de transportes públicos, incluindo ônibus urbanos, ônibus metropolitanos, trólebus, trens e metrô.
O objetivo do Ministério da Fazenda é minimizar os impactos da inflação gerados pelos próximos aumentos das passagens, em especial na cidade de São Paulo, região Metropolitana de São Paulo e Rio de Janeiro, que congelaram até junho as tarifas a pedido do ministro da Fazenda Guido Mantega.
Na Capital Paulista, os ônibus vão ter tarifas de R$ 3,20 a partir de 2 de junho e na mesma data, trens e metrô também vão ter passagens de R$ 3,20. Trólebus da Metra, no Corredor ABD, ônibus intermunicipais da EMTU e vans da RTO vão ter passagens também reajustadas em 6,67%
O PIS/COFINS sobre as tarifas chegam a 3,65%.
A medida foi decisiva para a definição do valor na Capital Paulista, cujo reajuste ficou abaixo da inflação acumulada.
Com valor de R$ 3,20, São Paulo ainda tem tarifas mais baixas que 13 cidades da Grande São Paulo, incluindo do ABC Paulista, onde em 5 cidades, as passagens são de R$ 3,30.
Em São Paulo, há integrações entre trens, metrô e ônibus, com o Bilhete Único Convencional é possível usar em 3 horas 4 ônibus, e existem linhas com mais de 64 quilômetros de extensão entre ida e volta. Deve entrar em vigor este ano, o Bilhete Único Mensal.
No ABC Paulista, as integrações são bem mais restritas, assim como as linhas de ônibus. Em Mauá e em São Caetano, por exemplo, cujas tarifas municipais são de R$ 3,30, existem linhas de somente 5 quilômetros de extensão.
Em contrapartida, os subsídios em São Paulo serão de R$ 1,25 bilhão. No entender da prefeitura, o subsídio garante viabilidade econômica ao sistema, evita que as tarifas subam muito e é uma forma de toda a sociedade contribuir com os transportes que não beneficiam apenas aos passageiros, mas a todos pelo fato de ajudar a diminuir o trânsito, a poluição e permitir acesso ao trabalho da mão de obra na cidade e acesso a serviços básicos como de educação e saúde. Além disso, pode contribuir com as gratuidades, segundo o poder público e o evitar que o custo do sistema recaia somente sobre o passageiro pagante.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em PIS/Cofins sobre tarifas de transportes é zerado

  1. Amigos, boa noite.

    Já cansei de falar, mas vou repetir.

    Peneira não tapa o sol e muito menos tapa inflação.

    O Ministério da Fazenda precisa urgentemente demitir os economistas e substituí-los
    por contadores.

    Esse negócio de contingências econômicas (geeou na Flórida sobe o preço da laranja em Limeira) e desonerações, subsídios e isenções são coisas de economistas.

    Na hora do balancete esse dinheiro (no caso isenção do PIS e COFINS) fará falta e será devidamente
    comprovada pelos contadores, os quais com absoluta certeza não autorizariam esta isenção sem a devida contra partida.

    Bom, o que eu estou dizendo é previsível, mas eu posso, pois afinal eu sou especialista em conclusões previsíveis.

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Bom, quem avisa amigo é.

    A inflação no Brasil é cultural e necessária, com inflação tudo flui e sem inflação nada flui.

    O Ministério da Fazenda precisa parar de gerenciar o ministério com essa técnica de empurrar com a barriga.

    Essa técnica, contabilmente não dá certo.

    Lembrem-se:

    “A TODO DÉBITO CORRESPONDE UM CRÉDITO”

    É mentira Terta ??

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: