Vida de quem anda carro vai ficar mais difícil, diz Haddad

23 de maio

Ônibus em São Paulo. Prefeito Fernando Haddad diz que vida de quem usa somente carro deve se complicar. Corredores de ônibus devem aumentar a velocidade dos transportes públicos. Foto: Adamo Bazani.


Vida de quem anda só de carro vai ficar mais difícil
Afirmação é do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.
ADAMO BAZANI – CBN
A vida de quem anda só de carro na cidade de São Paulo vai ficar mais difícil ainda.
É o que afirmou o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, em discurso no seminário Lide – Grupo de Líderes Empresariais.
Em compensação, Haddad afirmou que quem usa o transporte coletivo vai encontrar uma situação melhor de deslocamento nos próximos anos. Para isso, ele destacou o plano de entrega em seu mandato de 147 quilômetros de corredores exclusivos de ônibus. Alguns serão do tipo BRT – Bus Rapid Transit, com pontos de ultrapassagem, embarque no mesmo nível do assoalho do ônibus e pagamento de passagem antes mesmo da parada do veículo.
Haddad disse que parte das vias que hoje são usadas por carros e mal aproveitadas devido à alta ocupação dos veículos de passeio frente a baixa capacidade será destinada ao transporte público, que leva mais gente, em menor área e polui proporcionalmente bem menos.
Com os investimentos, entretanto, em uma Central Integrada de Monitoramento de Transportes e Trânsito e em semáforos inteligentes, Haddad diz que a velocidade dos carros vai aumentar, o que deve compensar a perda de espaço em algumas vias.
O prefeito também disse que São Paulo precisa elevar seu nível de investimento. O objetivo é subir para R$ 6 bilhões anuais e chegar a R$ 22 bilhões.
Para ele, a meta é ousada, mas necessária, inclusive com a participação do Governo Estadual e do Governo Federal.
Haddad deixou claro que empréstimos e investimentos em São Paulo não são favores para ninguém. Isso porque, segundo ele, se a cidade de São Paulo cresce, há crescimento também no Estado e no País, devido a importância econômica do município.
O prefeito diz que deve intensificar as parcerias público privadas PPP, com maior participação também de micros e pequenas empresas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

11 comentários em Vida de quem anda carro vai ficar mais difícil, diz Haddad

  1. Rolland T. Flackphayser // 29 de abril de 2013 às 04:41 // Responder

    Um governante deve governar para todos, e o prefeito de uma das maiores cidades do mundo dizer que a vida de quem anda de carro vai ficar (ainda) mais difícil é no mínimo atrapalhada, como a decisão de deixar seu secretário pedir esmolas para a lucrativa CET.

    Essa PTralhada ainda vai afundar o país. Tsc!

    • Eduardo Urashima // 1 de maio de 2013 às 14:44 // Responder

      02 carros oucupam o mesmo espaço que um onibus em movimento, porém transporta apenas 2,4 pessoa em média por viagem (dados CET), já o onibus transporta 250 pessoas por viagem em média no pico (dados SPTrans). Então, se for pra melhorar a vida de quem anda de onibus, que dificulte ainda mais a vida de quem só anda de carro.

  2. Passou da hora. Independentemente de siglas partidárias, torço de verdade para que essas idéias saiam do papel e sejam implementadas.

  3. Corredores de ônibus , claro que é importante , mas ele está se esquecendo que foi o próprio padrinho dele , um irresponsável , que fez a população colocar mais carros nas ruas , na tentativa de salvar a economia do país , portanto eu acredito que o povo não deve ser prejudicado , primeiro que para deixar o carro em casa tem que haver transporte de qualidade , todos passageiros devem viajar sentados , e não de pé , no carro somos obrigado a usar cinto de segurança e isso é bom , a bordo do ônibus e viajando em pé também tem perigo , portanto como disse anteriormente , corredor é muito bom , mas vamos ser mais coerente nas desições , do tipo criar corredor e o comércio que já existia , como é que fica ? – Será que temos itinerários pra todos os lugares ? . Um abraço e até mais.

  4. A licitação que vai ocorrer este ano sera o divisor de águas, para o bem ou para o mau, espero que haja coragem para as mudanças, senão vamos ver nas ruas de São Paulo os velhos Apaches anos 1999 á 2003 levando turistas europeus e americanos para o Itaquerão que beleza, vã pensar que estão na Bolivia.

    • Pedro, boa noite.

      Não vai haver divisor de água algum, só da velha e saborosa PIZZA.

      Turista europeu ou oriundo de qualquer país desse planeta vão para o Itaquerão de G7, Double Decker, 8 rodas, Scania ,trucado, cabinado, pintura metálica (sem padrão EMTOSA) com air conditioned, suspensão a ar, rodo ar nas 8, roda cromada vidro fumê ou filmado, cortinas, porta copos, bagageiro, porta objetos, maleiro interno, toilet a bordo, som MP3, DVD Blue Bay Disc, tela de led, frigo bar,rodomoça, guia turístico, poltonas Pullmann reclináveis de tecido mega hiper blaster confortáveis, sala de jogos e pilotado por um piloto que não dá tranco, muda a marcha no tempo e não dá freada brusca e outras qualidades más.

      Ahhhhhhhhhhh e tem a melhor qualidade de todas; estes Buzões SÃO LIMPOS E PERFUMADOS INTERNAMENTE.

      Alguém duvida ou discorda ?

      Apachezinho baleado, motor dianteiro, banquinho apertado, corredor apertado,amortecedor baleado, panelas ovaladas, molas arreadas, catraca, com piloto que soca, frea, dá tranco na mudança de marcha e sujo é para brasileiro contribuinte trabalhador que possui R$ 6,00 em grana VIVA – ida e volta (antes do aumento é claro), BU, BUM ou seja lá que B… for.

      Ahhhh e tem mais:

      Vai ficar preso no congestionamento, porque não vai ter corredor e além de tudo o brasileiro contribuinte trabalhador, vai chegar atrasado ou perder a partida porque o portão já fechou.

      Alguém duvida ou discorda ?

      Pessimista eu ?

      NÃO REALISTA !

      Abçs,

      Paulo Gil

      • Esqueci 2 detalhes importantes:

        Esse Apachezinho baleado tem pintura sólida no lindo padrão SPTrans
        e vai tuchado de “bonecos” até a tampa.

        Abçs,

        Paulo Gil

  5. Amigos, boa noite

    Parafraseando um trecho de uma música do Blitz [Você não soube me amar].

    AI BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ

    TI TI TI TI TI TI TI TI TI

    Ouçam, fonte radio UOL em 29.04.13 às 20:38 hs.

    http://www.radio.uol.com.br/#/letras-e-musicas/blitz/voce-nao-soube-me-amar/192904

    Não precisamos de planos de entrega, nem de vingança com quem utiliza carro pago com recursos próprios e nem de:

    AI BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ

    TI TI TI TI TI TI TI TI TI

    Chega de

    AI BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ

    TI TI TI TI TI TI TI TI TI

    Precisamos é de trabalho, só isso.

    Algum voluntário ???? Pelo menos um com coragem para pegar na picareta.

    CADÊ A FAZEDORIA ????

    Att,

    Paulo Gil

  6. Rogério Magalhães // 30 de abril de 2013 às 14:25 // Responder

    “Vida de quem anda carro vai ficar mais difícil”. Essa frase soa como música no meu ouvido. É quase um mantra pra mim, porque é exatamente esse o caminho para finalmente o transporte público ter a atenção, a prioridade e o investimento necessário para atender a população. Na verdade, costumo dizer outra frase um pouco mais chula, que “tá na hora de carro tomar no… em São Paulo”. Enquanto a prioridade nos deslocamentos e investimentos não for alterada radicalmente do carro para o ônibus (e metrô e trem e VLT), o problema nunca será resolvido como se deve, porque político borra-se de medo do povinho “carrólatra” que ajuda a eleger. A choradeira de que o transporte público é ruim, logo, bota-se o carro na rua é uma tremenda muleta, medo de atacar o problema de frente. E o problema é o carro. Problema é baixar IPI pra vender carro, ajudar montadora a manter emprego dos “cumpanhero”. Problema é taxi achar que é transporte coletivo e andar em corredor “de ônibus” e mais problema é carro “oficial” achar que é ônibus p/andar em via segregada. Problema é pintar faixinha no chão pra chamar de faixa exclusiva e achar que motorista de carro vai respeitar com multinha. Carro tem que ser pro lazer, pra viajar, não para o dia a dia. Dia a dia é caminhada, bicicleta, ônibus, metrô, trem, monotrilho, VLT, bonde, qualquer coisa coletiva. Coletivo. Coletivo > individual, simples assim.

    Então, como disse, a frase do título soa como música. Só tem que sair da palavra para a ação, é isso que queremos. Isso que São Paulo precisa.

    • Arruma então um espaço para eu poder andar confortavelmente (sentado) nesse transporte público mediocre e superlotado dessa nossa famosa sampa.

  7. Ninguem pode negar que a cidade esta saturada e que nao transita mais. A ilusao do carro como transporte eficiente caminha para a ruina. O estresse causado pelos congestionamentos tem levado a atos violentos e a doencas perfeitamente evitaveis. Alem do mais, o sedentarismo tem tornado a populacao obesa. A poluicao ataca as vias respiratorias de adultos e, mais cruelmente, de criancas. Esta mais do que na hora de sair do carro e viver. Viver a cidade. Viver as pessoas. Viver a ciclofaixa. Viver!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: