Bilhete Único Mensal só em novembro, diz Tatto

Bilhete Único

Bilhete Único Mensal só deve ser implantado na Capital Paulista em novembro. Valor depende do reajuste da tarifa no meio do ano. Prefeitura já publicou o edital para as empresas interessadas em fornecer os novos validadores. Foto: Adamo Bazani


Bilhete Único Mensal só a partir de novembro
Secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, disse que passageiro terá de fazer cadastro em duas etapas
ADAMO BAZANI – CBN
O Bilhete Único Mensal, pelo qual o passageiro paga um valor fixo e pode usar quantos ônibus quiser no período, só deve ser implantado em novembro.
A afirmação é do Secretário Municipal dos Transportes, ao jornal O Estado de São Paulo.
Promessa de campanha de Fernando Haddad para o primeiro semestre, o bilhete não deve ficar pronto antes por conta de adaptações técnicas. Além disso, o valor prometido de R$ 140 não deve ser aplicado, porque até lá, a tarifa de ônibus deve ter sido reajustada. O aumento só não ocorreu no início deste ano porque com medo de perder ainda mais o controle da inflação, o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, pediu o congelamento das passagens em sistemas que pesem nos números do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo. As cidades que são levadas menos em conta no índice, puderam aumentar livremente, pois seus reajustes não criam uma “imagem negativa” no IPCA, que é a vitrine da inflação do Governo Federal.
Para ter acesso ao Bilhete Único Mensal, os cerca de 7 milhões de usuários da cidade devem fazer o cadastro em duas etapas: primeiro pela internet, com o preenchimento de uma ficha e o fornecimento de dados como o CPF. Depois, os passageiros têm de ir pessoalmente a postos da SPTrans para completar o cadastro. O sistema será por biometria, com o reconhecimento das impressões digitais dos usuários para evitar fraudes.
O cadastro deve começar em abril.
Nesta quinta-feira, dia 21 de fevereiro, a Prefeitura de São Paulo, publicou no Diário Oficial Municipal, o edital para as empresas interessadas em fornecer os validadores com o reconhecimento biométrico que serão usados para Bilhete Único Mensal.
As propostas devem ser analisadas até o final de março.
Os validadores funcionarão em conjunto com sistema de GPS e terão de ser aptos a novas tecnologias que permitem, por exemplo, recarga na catraca, compra de créditos via celular, internet ou com desconto direto na conta bancária.
A implantação do Bilhete Único Mensal vai depender também da licitação dos transportes coletivos da cidade de São Paulo que deve trazer algumas reestruturações nos lotes operacionais: em vez dos atuais 8 consórcios, haverá apenas 3 SPEs – Sociedades de Propósito Específico. Cada SPE poderá reunir diversas companhias, mas ela será como uma empresa e a prefeitura negociará com a SPE e não com as viações associadas. Já o número de lotes de cooperativas deve subir de oito para onze, no mínimo.
Jilmar Tatto estuda também elaborar o Bilhete Único Semanal, que funcionará nos mesmos moldes, mudando só o valor das recargas dos cartões. Hoje existem cerca de 22 milhões de cartões ativos.
Antes da implantação à maior parte dos passageiros, o novo sistema de bilhetagem vai passar por um projeto piloto com estudantes, idosos e portadores de necessidades especiais.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. alexandro disse:

    Suponha que alguém trabalhe 22 dias no mês, logo ida e volta > 3*22 = 132
    Tem que usar muito para que o Bilhete Único Mensal valha a pena, e deve have a integração com o Metrô / CPTM,

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite

    Um carregamento de BU simples já é cheio de problemas, imaginem o carregamento e o uso do BU com biometria.

    Numa cidade, volumosa, acelerada e estressada com Sampa,utilizar BU com biometria não será
    possível de operacionalizar, sem contar a contaminação por vários “bichos” se todo mundo tiver
    de colocar o dedo no validador, ARGH !

    Nada mais anti higiênico.

    Já fizeram um estudos de quantos “bichos” e doenças serão transmitidas pelo “dedômetro” do validador ????????????????????????

    O sistema de carregamento do BU tem de ser igual ao dos celulares, o qual se carrega com a maior facilidade e sem filas, até no supermercado é possível fazer.

    Vamos ser mais realistas e utilizar sistema “descomplicados” ao invés dos atuais.

    Já pensou fazer todo esse cadastramento, pura perda de tempo além de perturbar e tomar tempo
    dos paulistanos, os quais não tem tempo pois em média por 3 horas estão dentro do Buzão.

    Vamos simplificar e não complicar.

    Mais uma previsível, depois não digam que não avisei.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Sílvio A.RAY disse:

    Gostaria de saber se quem ja tem o VT esta automaticamente cadastrado…

Deixe uma resposta