Computador “escala” ônibus sem intervenção humana

TCA Anápolis

Sistema de computador em Anápolis consegue escalar os ônibus de forma dinâmica, alterando destino e horários ao final de cada viagem, de acordo com a demanda, horários e características dos veículos. Modelo deve ser implantado no Distrito Federal.

Computador “decide” escala de ônibus sem intervenção humana
Programa identifica características dos veículos, quantidade de passageiros habituais e horário de chegada ao terminal e determina em qual linha o ônibus deve operar
MANOEL VANDERIC – DIÁRIO DA MANHÃ
Objetivando modernizar o transporte público de Brasília, Governo do Distrito Federal, através da TCB, está de olho no sistema de controle das viagens por computador, sem participação humana. Em outubro de 2009, comitiva da TCB, visitou Anápolis para conhecer o projeto da faixa exclusiva para ônibus da Avenida Brasil Sul, que serviu de modelo para a implantação de oito corredores na Capital Federal. A estatal do GDF pretende agora importar sistema “troca linha” informatizado implantado pela TCA, há mais de 20 anos, único no mundo, conforme registro da revista “Transporte Atual”, da CNT – Confederação Nacional das Empresas de Transportes de Passageiros.
Nem as maiores e melhores cidades do mundo dominam esta tecnologia. Em Toronto, Canadá, cidade com melhor qualidade de vida do planeta, Nova Iorque e Londres, por exemplo, as viagens do transporte público são controladas por computador, porém com intervenção humana, enquanto em Anápolis a operação é inteiramente eletrônica. O sistema foi desenvolvido há mais de 20 anos, na própria empresa.
Antes do nascer de um novo dia, o veículo rastreado por radar ao sair da portaria da garagem da TCA, rumo ao Terminal Urbano, onde o computador central o espera. Neste computador estão cadastradas em um banco dados todas as viagens a serem executadas diariamente para a totalidade dos itinerários do sistema.
Ao entrar no terminal de passageiros o ônibus é novamente rastreado por radar, que informa ao computador central seu número e suas características. Com tais informações, o computador, sem auxílio humano, registra a hora de entrada do veículo e após consultar seu banco de dados “decide” qual viagem o ônibus deverá efetuar.
Uma vez escolhida a viagem, o computador “fala” ao motorista e mostra, em um painel, o horário e o destino a serem cumpridos, sem participação de nenhum funcionário. Tudo é gravado eletronicamente (inclusive a voz) e gerenciado por computador. As plataformas de embarque têm o indicativo das linhas pertinentes ao seu setor e a lista dos horários. Por isso os usuários já sabem qual o destino do veículo que acaba de estacionar e o horário de sua partida. Assim, cada cliente pode ser um fiscal do sistema.
Ao sair do terminal, para mais uma viagem, o ônibus é rastreado por outro radar que informa a ocorrência ao computador central. Registrado o horário de saída do ônibus, o computador dispara um cronômetro, marcando o tempo em que o mesmo deverá retornar ao terminal. O ciclo se repete até que o computador “julgue” não mais precisar daquele veículo, quando determina, sem auxílio humano, seu retorno à garagem para ser novamente vistoriado, lavado e revisado.
Esse sistema, criado na própria TCA, é pioneiro no mundo e garante a realização de todas as viagens programadas, nos horários pré-determinados. A equipe tem o cuidado com a perfeição, pois sabe que os detalhes da operação são registrados e gravados eletronicamente.
Coisa de cinema, de ficção, que é realidade em Anápolis há mais de 20 anos.
Manoel Vanderic é jornalista do “Diário da Manhã”

3 comentários em Computador “escala” ônibus sem intervenção humana

  1. Oi! A tecnologia nos proporciona muitas coisas não? Adorei este espaço e procurando sobre compras de passagens de ônibus pela internet, peguei dicas de rodoviárias brasileiras em http://www.rodoviariasbrasil.com.br , e cheguei até vocês. Continuem a publicar sempre! Beijos

  2. Amigos, bom dia

    Eeeeeeeeeeeeeeeeeee GOIÁS, um dia me mudo pra lá e nunca mias eu volto.

    Muito obrigado pela informação, pois por ela pude tomar conhecimento de uma notícia
    muito importante e diminuir minha ignorância.

    20 anos já existe esse sistema, simplesmente PARABÉNS !

    TCA final de Janeiro estive por ai vi os novos verdinhos, mas nem de sonho eu poderia imaginar
    tamanho avanço.

    É o que eu digo, temos muita tecnologia, basta usá-las.

    Não tirei umas fotos pois chovia 24 horas.

    Há anos tenho uma curiosidade, ms nunca tive oportunidade de perguntar aos pilotos da TCA.

    Se alguém da TCA ou do comentaristas puder responder eu agradeço.

    Há anos vi que todos (ou quase todos) os Buzões da TCA – Anápolis, tem na parte inferior do parachoque traseiro (não sei se há no dianteiro – nunca observei) um tipo de um espinho (mas não ponte agudo).

    Morro de curiosidade para saber para que serve.

    Suponho que é para os muléques não pegarem “rabeira”, será que acertei ?

    Ou estou muito longe de saber para que serve

    Alguém sabe para que serve ?

    TCA-Anápolis, mata esta minha curiosidade.

    PARABÉNS !

    Att,

    Paulo Gil

  3. Acredito que seja por conta dos meninos pegarem rabeira nos ônibus mesmo!!
    Achei bacana vcs terem postado uma foto minha aqui!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: