NADA DE FOLIA NO PAÍS DA DEMAGOGIA

onibus

Ônibus incendiado. Veículos só andam com escolta depois das 20 horas e a frota é reduzida. No Carnaval não haverá serviços na madrugada e mais uma vez, o trabalhador, que é só um número neste País, sofre as conseqüências de um sistema que deveria pensar menos nas minorias e atuar para todos. Foto: Eduardo Valente/Photo Press

Florianópolis não terá ônibus para o Carnaval.
Por causa da onda de violência em Santa Catarina, ônibus só vão operar até às 22 horas e com frota reduzida
ADAMO BAZANI – CBN
Por causa da onda de violência no estado de Santa Catarina, os serviços de ônibus serão prejudicados neste Carnaval.
As linhas que normalmente funcionavam de madrugada em diversas cidades não vão operar mais. Os serviços convencionais serão bastante reduzidos.
A prefeitura de Florianópolis divulgou nesta sexta-feira os horários de operação dos ônibus.
O transporte coletivo só vai funcionar ate às 23 horas desta sexta-feira dia 08 de fevereiro e da quarta-feira, dia 13, e entre o sábado dia 09 e a terça-feira, dia 12, os ônibus só operam até às 22 horas. Depois deste horário, por causa da criminalidade, não haverá serviços de ônibus para a população. E em todos os dias, após as 20 horas, a frota será reduzida significativamente e os ônibus só vão seguir com escolta policial.
A Prefeitura de Florianópolis divulgou em nota à imprensa os horários de operação nestes dias de Carnaval.
Sexta-feira (8) – Horário de dias úteis, operando normalmente até as 20h. Entre 20h e 23h, horários e linhas reduzidas e escolta em todos os ônibus.

Sábado (9) – Horário de sábado, operando normalmente até as 20h. Entre 20h e 22h, horários e linhas reduzidas e escolta em todos os ônibus.

Domingo (10) – Horário de domingo, operando normalmente até as 20h. Entre 20h e 22h horários e linhas reduzidas e escolta em todos os ônibus.

Segunda-feira (11) – Horário de sábado, operando normalmente até as 20h. Entre 20h e 22h, horários e linhas reduzidas e escolta em todos os ônibus.

Terça-feira (12) – Horário de domingo, operando normalmente até as 20h. Entre 20h e 22h, horários e linhas reduzidas e escolta em todos os ônibus.

Quarta-feira (13) – Horário de dias úteis, operando normalmente até as 20h. Entre 20h e 23h horários e linhas reduzidas e escolta em todos os ônibus.
Desde o dia 30 de janeiro até o fechamento deste artigo, foram cerca de 90 atentados contra prédios públicos, repartições e em especial contra ônibus no Estado em pelo menos 26 cidades: Navegantes, São José, Florianópolis, Criciúma, Itajaí, Palhoça, Camboriú, São Francisco do Sul, Laguna, Araquari, Gaspar, Joinville, Balneário Camboriú, Jaraguá do Sul, Maracajá, Ilhota, Tubarão, Chapecó, Indaial, Brusque, Blumenau, Garuva, Bom Retiro, São Bento do Sul, Rio do Sul e São João Batista.
A onda de violência seria orquestrada de dentro de presídios de Santa Catarina por uma facção criminosa que se denomina PGC – Primeiro Grupo Catarinense.
O grupo teve início em Criciúma e tem a participação de ex-membros do PCC – Primeiro Comando da Capital, que possui base em São Paulo. O PCC estaria arregimentando criminosos de Santa Catarina para ampliar sua atuação.
A forma de operação é basicamente a mesma. Os presidiários estão entre os comandantes e os integrantes do grupo atuam em diversos tipos de delito, como roubos, tráfico de drogas e de armas.
A forma de impor terror à população e tentar mostrar que tem poder também não é nada criativa: mortes de integrantes de grupos rivais dentro das cadeias, ameaça a policiais e os velhos insuportáveis conhecidos ataques a ônibus, que colocam em risco diariamente milhares de trabalhadores inocentes que atuam ou dependem do transporte coletivo.
Com estes ataques, o crime organizado não só desafia o poder do estado, mas atinge diretamente a população, que quer trabalhar, ao contrário dos criminosos, que buscam ganhar muito trabalhando pouco e, quando são presos, ainda contam com auxílio-reclusão do INSS, o mal gerido Instituto Nacional de “Seguridade” Social, que prefere dar dinheiro para familiares de preso com saúde a pagar o direito de auxílio-doença e auxílio-acidente para trabalhadores de verdade que comprovadamente não têm condições de exercer suas funções.
Aliás, muitos destes trabalhadores são mais mal tratados pelos ditos peritos do INSS do que os bandidos deste País.
É claro, políticas de cotas, demagogias em cima das ditas minorias e auxílios para determinados grupos sociais dão mais “Ibope” que trabalhador doente ou que direitos para todos.
Afinal, os direitos para todos reduziram os privilégios que muitos não querem abrir mão e trabalhador, para o País, para os RHs – Recursos Humanos das empresas e para o INSS é apenas um número, que pode ser descartado e substituído a qualquer momento.
A última onda de violência que ocorreu em Santa Catarina no ano de 2012 durou sete dias e registrou 58 atentados em 16 cidades.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

5 comentários em NADA DE FOLIA NO PAÍS DA DEMAGOGIA

  1. Minha nova Sugestões;no quartel de policia milita deveria construi dentro da cadeia uma oficina de reformadora de ônibus e caminhões e moto e carro.e que os preso que danificaram dele refomar ônibus que os preso que danificaram.e ter uma sala de aúla com o professor eletronico dando aula por presos professor que é uma maquina que fala e dando aula por presos. e depois ter uma faculdade dentro da prisões uma sala que tem o professor eletronico aútomaticamento dando aula por presosassim não perigo de o presos de o professor se refens seria uma maqúina que fala com o preso dando aula e que os preso no final de formação.Os presos já fica formado e e depois os presos vai prá oficina de reformadora de ônibus e carro e caminhão e moto prá os presos devolver o patrimonio que ele danificaram o patrimonio..na sala de aula os presos não tem o professor em pessoa só que a maqúina é professor que da aula por presos perigoso.motivo segurança não pode ter o professor em pessoa nas aula dos presos. se colocar o professor em pessoa os presos vai querer que o professor se Refens .prá não acontecer isto deve ter o professor eletronico dando aula por presos.perigoso.

  2. Igual aquela estória: o marido chega em casa e encontra a mulher com o amante no sofá. O que o marido traído faz? Coloca fogo no sofá. É deste jeito que as autoridades brasileiras agem.

  3. Só poderia trocar de foto pois esse ai queimou antes dos atentados e não foi incêndio criminoso.

  4. quem manda no Brasil são os bandidos sejam ele politicos ou assaltante ou traficante,rezem pra eles não querer tomar o pais porque se eles quiserem eles tomam. com essa lei de merda que nos temos

  5. O auxílio-reclusão só é destinado aos dependentes do criminoso que estivesse contribuindo para a previdência – ou seja, trabalhava de carteira assinada – até o momento em que fosse preso: http://www.previdencia.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22

    Se aparecer bandido de PCC com o INSS em dia, solicitando auxílio-reclusão, será algo digno de manchete nacional!

Deixe uma resposta