Prefeitura de Diadema estuda bancar integração com a Metra

Diadema

Prefeitura de Diadema faz pesquisa de origem e destino na cidade e estuda subsidiar as transferências entre ônibus da Mobi Brasil e Benfica e os da Metra para manter a integração gratuita nos terminais de Diadema e Piraporinha.

Prefeitura de Diadema estuda bancar a integração com a Metra
Poder público realiza pesquisa de origem e destino para verificar quantas pessoas realmente fazem a transferência nos terminais de Diadema e Piraporinha
ADAMO BAZANI – CBN
A Prefeitura de Diadema, na Grande são Paulo, cogita a possibilidade de assumir parte dos custos da integração entre os ônibus municipais operados pelas empresas MobiBrasil e Benfica e os veículos metropolitanos da Metra, no Corredor ABD, pelos terminais Diadema e Piraporinha.
A medida visa a manutenção da integração gratuita que existe desde 1991. Em julho, o Superior Tribunal de Justiça derrubou a liminar que atendia pedido do Ministério Público para permanência do contrato entre a Prefeitura e o Governo do Estado para a integração. A decisão permitiria com que a cobrança fosse realizada.
As tarifas só não começaram a ser cobradas por causa da aproximação do período eleitoral na época, o que poderia causar desgastes políticos tanto para os candidatos da prefeitura como dos partidos relacionados com o Governo do Estado.
A Prefeitura tem realizado uma pesquisa de origem e destino na cidade para mensurar quantos passageiros realmente usam a integração e qual o perfil deste tipo de integração. Hoje há uma estimativa de 40 mil pessoas.
Com os dados em mãos, o poder público municipal deve negociar com o estado.
Além de manter equilíbrio financeiro do sistema e financiar investimentos no sistema metropolitano, umas das alegações da proposta para o fim das transferências gratuitas era de que alguns passageiros “abusavam da integração”.
Alguns usuários de Diadema, segundo o Governo do Estado, saíam dos ônibus municipais e entravam nos ônibus e trólebus da Metra para percorrerem trechos pequenos, que poderiam ser feitos a pé. Isso ocorria mais quando a passagem dos ônibus municipais era mais baixa que a dos ônibus e trólebus metropolitanos.
A alegação causou revolta nos passageiros. À época houve protestos na região do terminal metropolitano de Diadema.
O Governo do Estado, durante as negociações com a prefeitura no ano passado, propôs a cobrança de R$ 1 para a realização da integração em cada sentido. Mas o então prefeito Mário Reali não aceitou.
Agora, a Secretaria Metropolitana de Transportes descarta a possibilidade alegando que os custos hoje são diferentes e seriam necessários novos estudos.
Atualmente, a passagem de ônibus municipal de Diadema está mais cara do que a cobrada pela Metra: R$ 3,20 ante R$ 3,10.
Mas a partir de março deve haver aumentos nas passagens metropolitanas. Este reajuste deveria ocorrer já em fevereiro, mas foi represado pelo governador Geraldo Alckmin a pedido do Ministro da Fazenda, Guido Mantega, que teme o descontrole maior dos índices inflacionários com os reajustes das tarifas que são mais levadas em conta pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

3 comentários em Prefeitura de Diadema estuda bancar integração com a Metra

  1. As custas do povo de Diadema o atual prefeito do PV aliado do PSDB vai retirar dos cofres da cidade mais de 15 milhoes por ano, deixando de investir, não aplicando este montante significativo em areas tais como mobilidade urbana, educação, saude etc. Essa grana toda vai direto para a poderosa METRA, concessionaria do serviço no corredor ABD. Pergunto em São Mateus já esta cobrando?

  2. As custas do povo de Diadema o atual prefeito do PV aliado do PSDB vai retirar dos cofres da cidade mais de 15 milhoes por ano, deixando de investir, não aplicando este montante significativo em areas tais como mobilidade urbana, educação, saude etc. Essa grana toda vai direto para a poderosa METRA, concessionaria do serviço no corredor ABD. Pergunto em São Mateus já esta cobrando?

  3. Ewerton Santos Lourenço // 12 de Fevereiro de 2013 às 13:48 // Responder

    Ainda não foi por conta disso..

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: