Trólebus: São Paulo deve muito a sua força

trolebus

Encontro de gerações. Pessoas de diversas épocas e idades trocaram experiências e histórias sobre São Paulo. O passeio também foi um encontro de gerações de veículos. Os modernos Millennium BRT de 3 eixos desfilaram ao lado do charmoso San Remo de 1982. Os trólebus sempre foram sinal do desenvolvimento de São Paulo.

São Paulo pelas janelas de um autêntico paulistano
Passeio de trólebus permitiu sentir uma São Paulo que às vezes não deixamos entrar no coração
ADAMO BAZANI – CBN
Uma coisa é viver em São Paulo. Outra coisa é sentir São Paulo.
E no dia do seu aniversário, quando a cidade se deu uma folguinha, mas que não parou, diversos de seus moradores tiveram a oportunidade de sentir São Paulo.
Em tantos eventos para comemorar os 459 anos da Metrópole foi possível ter uma dimensão de que a cidade não é só trabalho, mas é diversão. Não é só insegurança, mas também é sorrir ao próximo. Não é só números, mas vidas. É futuro sim, mas é história.
E um dos símbolos da cidade de São Paulo sem dúvida nenhuma é o trólebus.
Apesar de hoje ter uma rede reduzida, frente aos 474 veículos elétricos que a cidade já teve, os trólebus ainda são característicos de São Paulo, que com certeza, seria menos cinza se houvesse mais deles, já que não poluem nada em sua operação.
Um passeio de trólebus, com veículos cedidos pela Ambiental Trans, operadora da Capital, e Metra, que presta serviços metropolitanos entre a Capital e o ABC Paulista, levou milhares de paulistanos nesta sexta-feira, dia 25 de janeiro de 2013, a redescobrirem São Paulo, a perceberem sua beleza e a conhecerem sua história.
Foi o encontro de gerações. Crianças e pessoas mais vividas trocavam experiências e histórias enquanto os ônibus elétricos seguiam por marcos da cidade de São Paulo como Mosteiro de São Bento; Edifício Martinelli, primeiro edifício construído em São Paulo; o Viaduto do Chá, o qual funciona como ponto de transição entre o centro antigo e o chamado ‘centro novo’; Theatro Municipal, fundado em 1911 na Praça Ramos de Azevedo, a Praça da República; o Edifício Itália, que por muitos anos foi o mais alto da cidade; Biblioteca Municipal Mario de Andrade restaurada em 2009; Academia de Direito de São Paulo; o Edifício Altino Arantes e a Catedral da Sé, marco zero da cidade.
O passeio foi uma oportunidade para ensinar e apreender.
O educador Roberto Carlos Camargo, que também é apaixonado por ônibus, levou 06 crianças do Abrigo Solidário da IV Liga Solidária. Pequenos em medida de proteção, acolhidos, e que nesta sexta-feira se sentiram mais abraçados por São Paulo.
Roberto diz que as crianças ficaram com um gostinho de “quero mais”
“Apropriar-se do espaço da cidade, sentir a cidade onde vivem e sua pulsação, ver e sentir a cidade onde vivem, enfim eles adoraram, inclusive um dos meninos chorou porque queria andar de trolebus de novo. Adivinha? Vou ter que fazer outro programa de passeio só para andar de trolebus com ele e outros que agora querem ir. Eu estou emocionado e com a sensação de que ganhei meu dia” – disse Roberto que acompanhou 3 meninos e 3 meninas com idades entre 04 e 13 anos.
Se o programa foi um encontro de gerações entre as pessoas, o mesmo pode ser dito em relação aos veículos.

trolebus

Oportunidade de ensinar e aprender. Assim foi também o passeio de trólebus em comemoração ao aniversário de São Paulo. O educador Roberto Carlos Camargo levou crianças abrigadas e em medida de proteção que, no evento, se sentiram abraçadas por São Paulo.

Os modernos Caio Millennium BRT com chassi Scania de 15 metros e sistema Eletra desfilaram ao lado do charmoso Marcopolo San Remo Scania Tectronic, fabricado em 1982 e restaurado pela operadora do Corredor ABD, Metra, que também cedeu outros dois veículos, modelo Busscar Urbanuss Pluss, LF, que estão em operação.
O primeiro trólebus em São Paulo começou a circular comercialmente em 1949. Os modernos veículos elétricos para época, aliás, muito mais confortáveis que diversos modelos de ônibus de hoje em dia, davam um recado claro: São Paulo rumava para o desenvolvimento e parte deste progresso passou pela força dos trólebus.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

7 comentários em Trólebus: São Paulo deve muito a sua força

  1. Foi muito bom ter feito esse passeio á bordo do San Remo, poder conhecer um carro que já operava antes mesmo do meu nascimento, pena que o mesmo quebrou minutos antes do fim do Evento.

  2. Parabéns Adamo pela matéria!!! Fui ao passeio e foi muito bom, deu para reviver a Cidade de São Paulo e lembrar do que o trólebus representa para essa grande cidade como um meio de transporte limpo, não poluente, apesar do calor infernal e da fila que estava longa neste passeio. Mas, afinal das contas, valeu a pena… Um grande Abraço…

  3. Foi a primeira vez que fui nesse passeio. Gostei da experiência e do Millennium de papel. Cheguei as 9h e não esperava encontrar tanta gente para o horário. Depois que chegamos ao ponto de partida a fila era ainda maior! Andei no San Remo, mas prefiria o Millennium BRT do qual nunca andei.
    Esse estigma de “cidade cinza” com certeza foi inventado pela mídia para criticar a cidade, em especial pela globo – por extensão a Band e record que só sabem falar de avião – que não noticiou o passeio do trólebus (a Glória Vanique apenas mencionou esse passeio). Mas na hora de criticar… Só a gazeta cobriu o passeio de trólebus, inclusive vi o caminhão da reportagem manobrando. Caso a cidade se modernizasse totalmente, a própria mídia estaria ali criticando a falta de conservação dos prédios históricos: hipocrisia.

  4. Realmente foi um dos eventos mais concorridos, a fila para andar no Trlebus estava bem grande e quando sai de lá por volta das 14h00s ainda estava bem grande, ou seja, como diariam hoje “o trolebus bombou” ficou claro que muitos paulistanos e não paulistanos mais que aprovaram esse passeio histórico pelo centro, só não algumas emissoras de TV, o que chega ser absurdo, nesse sentido concordo plenamente com o André. Eu por sua vez tive nesse passeio um grande satisfação pois além de recordar, tive também a oportunidade de andar no BRT e tirar fotos do San Remo II/Marcopolo/Scania. Mas o que mais me satisfez foi o fato de ter levado as crianças nesse evento, as expectativas das crainças, ansiedade e a paciencia que elas tiveram de ficar na fila cerca de 1h30 só para poder andar no Trolebus, foi para mim uma grande realização enquanto educador e também busólogo. Quero aqui agradecer publicamente o Adamo Bazani não só pela matéria, mas também pelo apoio que ele me deu sobre o evento e sobretudo a amizade e me nome das crianças, UM muito obrigado! Forte abraço.

    • Roberto, bom dia

      Parabéns pela sua atitude.

      No verso dos antigos envelopes do Banco Brasileiro de Descontos (Bradesco), vinha escrito:

      “EDUCAI AS CRIANÇAS E NÃO SERÁ PRECISO PUNIR OS HOMENS”

      Sua atitude foi pura educação somada a ao lazer.

      Obs.: Nos conhecemos a bordo do Memória das Estradas na VVR de 2012, na
      próxima você lembrará de mim.

      Forte abraço!

      Paulo Gil

  5. Amigos, bom dia

    Adamo cade as fotos dos Metras novos em Sampa?

    Por favor, posta uma pelo menos.

    Ambiental Trans, essa pra mim é novidade. Quando interessa as alterações
    são feitas rapidinho….

    Eu não pude ir a esta festa, mas ganhei um outro presente.

    Estive em Uberlândia e vi uma estação automatizada num corredor de Buzão, simplesmente
    prática, moderna e inteligente; uma graça.

    Parabéns UBERLÂNDIA!

    Sampa:

    Aprendam com Uberlândia.

    “É pertim, dá um pulim lá.”

    Att,

    Paulo Gil

  6. Ei roberto sp…. Ja assistiu o filme… Trombadinhas… Q viação é aquela q aparece na av. Maria coelho aguiar em 1979 ?

1 Trackback / Pingback

  1. Trólebus: São Paulo deve muito a sua força | Blog Ponto de Ônibus « Mobilidade Humana

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: