Governo do Pará e Japoneses discutem ampliação de vantagens do BRT

onibus

Ônibus urbano em Belém. Governo do Estado e Prefeitura se reúnem com parceiros do Japão para ampliarem o projeto de BRT e integrarem a região metropolitana. De baixo custo, corredor de ônibus vai aumentar a velocidade média dos coletivos e como resultado, menos veículos vão atender a mais pessoas.

Governo do Pará se reúne com japoneses para integração do BRT
Objetivo é integrar a Região Metropolitana de Belém com os serviços de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
O governador do Pará, Simão Jatene, e o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, se reúnem nesta terça-feira com o representante da JICA – Agência Internacional de Cooperação do Japão, Ishimaru Taku, para discutirem a integração do sistema de BRT (corredores de ônibus exclusivos).
A JICA financia e é cooperadora técnica do projeto do sistema de corredor de ônibus.
O objetivo é realizar uma integração do sistema de transportes para atender mais pessoas não só na Capital, mas na Região Metropolitana de Belém.
No entanto, para a integração, serão necessárias algumas reformulações no projeto original. As obras da avenida Almirante Barroso vão ser revistas, assim como as estações de integração, criação de pontos de ultrapassem para os ônibus ocupando menos espaço na via, embarque no mesmo nível do assoalho dos veículos, formas para possibilitar o pré-embarque, que é o pagamento da tarifa antes da entrada no ônibus, e até mesmo a padronização das especificações técnicas para a escolha dos modelos de convencionais, articulados e biarticulados.
VANTAGENS:
De acordo com o Governo do Estado Pará, pelo fato de os ônibus conseguirem desenvolver maior velocidade nos corredores exclusivos, em comparação se estivessem nas vias comuns, com menos veículos será possível fazer mais viagens. Além disso, pelo fato de o espaço ser só para ônibus, com área delimitada, será possível usar veículos de maior porte, substituindo ônibus menores.
Assim, ao Governo estima que depois da implantação do BRT, a frota de ônibus que circula pela BR 316 possa ser diminuída em 60%, sem comprometer o atendimento ao passageiro. Hoje, circulam pela rodovia cerca de 450 ônibus por hora, no horário de pico, com capacidade de atendimento de 20 mil pessoas, segundo informações da assessoria do Governo do Estado.
Com o corredor, a frota pode ser reduzida e o número de passageiros ampliado.
O custeio do sistema também será debatido, mas as tarifas devem ser integradas. Corredores de ônibus do tipo BRT são considerados soluções de baixo custo que atendem um número significativo de passageiros, sendo de 4 a 5 vezes mais baratas que modais com capacidades semelhantes ou um pouco superiores.
De acordo com nota do Governo do Estado do Pará, a parceria com o Japão vem desde os anos de 1990:
“Os estudos para implantação do Ação Metrópole com a parceria entre Pará e Japão começaram em 1990. Em 2001, a equipe elaborou o Plano Diretor de Transporte Urbano, que demonstrou a viabilidade do BRT para a Região Metropolitana de Belém. O Ação Metrópole prevê ainda a gestão operacional associada dos serviços de transporte público por ônibus, executada por um consórcio formado pelas prefeituras que fazem parte da região.”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Governo do Pará e Japoneses discutem ampliação de vantagens do BRT

  1. Amigos, boa noite

    Conforme consta no post acima:

    “Os estudos para implantação do Ação Metrópole com a parceria entre Pará e Japão começaram em 1990. ”

    “Helooooo” já estamos em 2014, e ai? Nada ainda.

    Chega de estudos, coloquem a teoria na prática; esse convênio já deu o que tinha que dar.

    Att,
    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: