Rio Grande da Serra deve “segurar” aumento de passagem e sobreposição vai parar na Justiça

acidente de ônibus

Rio Grande da Serra foi a única cidade do ABC Paulista a não promover aumento de passagem de ônibus até agora. Data de reajuste ainda é indefinida. Empresas de ônibus disputam usuários e Viação Talismã acusa Rigras de sobreposição de linhas e moveu processo contra a concorrente e poder público. Rigras nega a acusação e diz que opera regularmente, com permissão da EMTU. Segundo usuários, pela busca de passageiros, ônibus fazem ultrapassagens perigosas e correm, aumentando risco de acidentes. Imagem do jornal “A Tribuna da Serra” mostra batida entre os ônibus das duas empresas no dia 28 de dezembro. – A Tribuna da Serra.

Rio Grande da Serra deve “segurar” passagem de ônibus e sobreposições de linhas foram parar na Justiça
Empresa de ônibus de linhas municipais, Talismã, acusa companhia intermunicipal de prestar serviços em bairros e travar “concorrência desleal”
ADAMO BAZANI – CBN
Única cidade do ABC Paulista que ainda não reajustou as tarifas de ônibus no período pós-eleitoral, Rio Grande da Serra deve ficar por mais alguns dias sem o aumento.
Atualmente a passagem de ônibus na cidade é de R$ 2,60 e o último reajuste foi em janeiro de 2012.
Além de o prazo de um ano para aumento não ter se esgotado, outro fator que teria barrado o aumento até agora é uma disputa entre duas empresas de ônibus que prestam serviços na cidade, uma das menores do ABC Paulista com 33 quilômetros quadrados e 44 mil moradores. A menor cidade em extensão territorial é São Caetano do Sul, com 15 quilômetros quadrados, mas com população aproximada de 150 mil pessoas.
A Viação Talismã, que presta serviços municipais, acusa a Rigras – Rio Grande da Serra Transporte Coletivo e Turismo de sobrepor as linhas locais. A Rigras opera linhas intermunicipais, ligando Rio Grande da Serra ao município vizinho, Ribeirão Pires.
Para a Viação Talismã, a Rigras pratica concorrência desleal e fere um decreto de lei de 1986, sobre transportes metropolitanos, que impede que uma linha metropolitana percorra mais de 50% da linha municipal, que tenha intervalos máximos coincidentes em 60 minutos, que preste por um período de 18 horas serviços nas mesmas vias. Além disso, o decreto impede que a concorrência provoque inviabilidade financeira em uma das empresas de ônibus operadoras.
Já a Rigras informou que não pratica concorrência desleal e que seus serviços são regulares e autorizados pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, gerenciadora das linhas intermunicipais em São Paulo. A empresa ainda afirma que opera com autorização antes mesmo da Talismã. Apesar de a Talismã prestar serviços há vários anos na cidade, oriunda da empresa Pérola da Serra, sua situação só foi considerada regular após ter vencido licitação dos transportes em 2010, realizada depois de determinação do Ministério Público.
Para a Talismã, a vitória na licitação agora impediria a sobreposição. A Rigras não concorda.
Os maiores problemas ocorrem nas linhas que vão para o Parque América e Vila Niwa, bairros da cidade.
Em alguns momentos, os ônibus das duas empresas andam praticamente juntos e as tentativas de ultrapassagem para uma viação pegar mais passageiro que a outra aumentam riscos de acidentes.
Foto publicada pelo jornal local “A Tribuna de Rio Grande da Serra” , cuja reprodução foi autorizada, mostra um acidente entre um ônibus da Viação Talismã e outro da Rigras, que ocorreu no dia 28 de dezembro.
O acidente, segundo testemunhas que conversaram com o jornal, teria ocorrido por causa da disputa por passageiros. Cinco pessoas ficaram feridas (Leia no site do jornal: http://atribunadaserra.wordpress.com/ ).
A Viação Talismã diz que ganhou na Justiça uma ação que obriga a prefeitura fiscalizar e evitar as sobreposições, mas que o poder público municipal recorreu.
O Blog Ponto de Ônibus entrou em contato com a Prefeitura de Rio Grande da Serra para comentar o assunto, mas até a conclusão da reportagem não obteve resposta sobre o processo judicial.
A empresa Talismã não deve reajustar a tarifa municipal até um parecer do Governo do Estado sobre o valor da passagem intermunicipal ou definição do imbróglio.
AUMENTOS NO ABC:
As cidades do ABC Paulista estão entre os municípios que possuem as tarifas de ônibus mais caras do País. Com exceção de Rio Grande da Serra, que ainda permanece cobrando R$ 2,60 e de Diadema, que no último dia 26 de dezembro reajustou as passagens em 14,3%, indo de R$ 2,80 para R$ 3,20, todos os municípios da região cobram R$ 3,30 dos usuários dos transportes coletivos. É o valor mais alto de todo o País até agora, ao lado de cidades como Osasco e Taboão da Serra, na Grande São Paulo e Campinas, no Interior Paulista. Confira:
SANTO ANDRÉ
Valor Atual: R$ 3,30. Valor Anterior: R$ 2,90. Percentual de Aumento: 13,79%. Data do reajuste: 31 de dezembro de 2012. Reajuste Anterior: janeiro de 2011 – R$ 2,65
Empresas operadoras municipais: Viação Guianazes, Viação Curuçá, Viação Vaz, TCPN – Transportes Coletivos Parque das Nações, ETURSA – Empresa de Transportes Urbanos Rodoviários de Santo André, EUSA – Empresa Urbana Santo André (formam o Consórcio União Santo André) e Expresso Guarará (operadora do Terminal, Corredor e Sistema Tronco-Alimentador de Vila Luzita)
SÃO BERNARDO DO CAMPO:
Valor Atual: R$ 3,30. Valor Anterior: R$ 2,90. Percentual de Aumento: 13,79%. Data do reajuste: 02 de dezembro de 2013. Reajuste Anterior: janeiro de 2011 – R$ 2,50
Empresa operadora municipal: SBCTrans.
SÃO CAETANO DO SUL:
Valor Atual: R$ 3,30. Valor Anterior: R$ 2,75. Percentual de Aumento: 20 %. Data do reajuste: 23 de dezembro de 2012. Reajuste Anterior: janeiro de 2011 – R$ 2,30.
Empresa operadora municipal: Vipe – Viação Padre Eustáquio
DIADEMA:
Valor Atual: R$ 3,20. Valor Anterior: R$ 2,80. Percentual de Aumento: 14,31%. Data do reajuste: 26 de dezembro de 2012. Reajuste Anterior: janeiro de 2011 – R$ 2,50.
Empresas operadoras municipais: Transportadora Turística Benfica Ltda e MobiBrasil Ltda
MAUÁ:
Valor Atual: R$ 3,30. Valor Anterior: R$ 2,90. Percentual de Aumento: 13,79 %. Data do reajuste: 26 de dezembro de 2012. Reajuste Anterior: agosto de 2011 – R$ 2,90.
Empresas operadoras municipais: Viação Cidade de Mauá e Leblon Transporte de Passageiros. Viação Estrela de Mauá opera com contrato emergencial 50% do lote servido integralmente pela Leblon, assinado pela prefeitura em 27 de dezembro, mas sem parecer favorável da Justiça.
RIBEIRÃO PIRES:
Valor Atual: R$ 3,30. Valor Anterior: R$ 2,90. Percentual de Aumento: 13.79%. Data do reajuste: 01º de janeiro de 2013. Reajuste Anterior: janeiro de 2012 – R$ 2,80.
Empresa operadora municipal: Rigras – Rio Grande as Serra Transporte Coletivo e Turismo
RIO GRANDE DA SERRA:
Valor Atual: R$ 2,60. Ainda não houve reajuste. Reajuste Anterior: janeiro de 2012 .
Empresa operadora municipal: Viação Talismã.
PROTESTO:
Movimentos sociais, trabalhadores e estudantes que dependem de transporte coletivo prometem realizar neste sábado um protesto contra o aumento da tarifa de ônibus em Mauá, que foi de R$ 2,90 para R$ 3,30 no dia 26 de dezembro.
O grupo deve se encontrar às 14 horas em frente ao Terminal Central de Mauá. Melhores condições de mobilidade urbana e transparência da Prefeitura sobre a administração dos transportes e a relação com as empresas de ônibus também são outras reivindicações.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

4 comentários em Rio Grande da Serra deve “segurar” aumento de passagem e sobreposição vai parar na Justiça

  1. Oque eu me pergunto é se a Talismã tem condições tecnicas de suprir esta demanda , pois ela é uma empresa de pequeno porte ,de todas as vezes que fotografamos os carros da cidade , percebemos que a maior oferta parte da empresa intermunicipal que tem um melhor serviço.
    É uma situação bastante delicada porque o conflito de fato existe,e qualquer tipo de mudança que seja feita independente que seja a favor da Rigras ou da Talismã , esta ação pode muito bem gerar a perda de passageiro que hoje é o motivo da concorrência.

  2. Josue Marcio Lopes // 4 de Janeiro de 2013 às 21:05 // Responder

    Sou de Ribeirao Pires e a Rigras presta bons servicos. Alias se o ABC tivesse mais Rigras, mais Leblon, mais Metra e mais Viacao ABC seria otimo. Sao empresas de qualidade.
    Mas analisando friamente, sobreposicao nao e bom para a viabilidade de um sistema. Tem de ver se so a Talisma satisfaz.

  3. Pq em mauá a viação estrela (baltazar) não pegou 50% das linhas da viação cidade de mauá?????!!!!! chega a ser ridiculo o absurdo!!!!!

  4. Estamos num país capitalista onde impera a lei da oferta e procura e para isso funcionar é preciso acabar com monopólio empresarial…..nesse caso citado acima se percebe que os empresarios da talismã. estão preocupados com o seu bolso e não com os passageiros…..pois se há a disputa de passageiros, isso leva a melhora da qualidade do serviço, onibus mais vazios e mais conforto para população..o passageiro tem todo o direito de escolher se vai de rigras ou talismã..já que paga 2,60 ou seja uma absurdo no preço da tarifa….e agora ainda por cima querem culpar a rigras pelo acidente…esse acidente foi por conta do pessimo sistem de habilitação que impera nesse país, onde se prioriza a teria e não a pratica, pois a teoria para tirar a habilitação gera a renda para os ricos…….sou a favor que tem que existir a concorrencia das linhas, pois só assim não existira monopolio e havera uma melhora no sistema de transposte sobre onibus….

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: