Sistema permite acompanhar obras em estradas pela internet

onibus

Consideradas verdadeiras caixas-prestas e campos para muita corrupção e desvios de recursos, as obras em estadas agora contam com um instrumento de controle por parte do cidadão. Pelo site do Dnit, é possível acompanhar a evolução e os custos das intervenções. Foto: Ronny Santos

Já é possível acompanhar obras em estradas pela internet
Pelo site do Dnit, o cidadão pode saber a evolução das intervenções e os gastos. Inicialmente, estão listadas 107 obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento
ADAMO BAZANI – CBN
Obras públicas, ainda mais no setor de transportes, sempre foram alvos da desconfiança do cidadão. E não é para menos. Como as intervenções são caras, demoradas e estritamente técnicas, as possibilidades de desvios de dinheiro e atrasos são muito grandes.
Mas nesta segunda-feira, dia 12 de novembro de 2012, o cidadão ganhou um instrumento de controle que se torna um documento oficial para futuras cobranças.
O Dnit – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes lançou o BEM – Boletim Eletrônico de Medições.
Pela ferramenta, disponível no site da autarquia federal, é possível verificar obras em estradas e ter acesso a informações como ritmo da intervenção, compras de materiais, descrição de serviços e custos totais destas obras.
Na página do Dnit há no lado direito de quem está ao computador o ícone do BEM.
Inicialmente, estão relacionadas 107 obras previstas pelo PAC – Programa de Aceleração do Crescimento.
O objetivo é informar até o final do primeiro trimestre de 2013 todas as obras em estradas que estejam em execução. Posteriormente, o programa deve trazer informações de intervenções em outros modais, como o ferroviário e o aquaviário.
De acordo com o diretor-geral do Dnit, general Jorge Ernesto Pinto Fraxe, em nota à imprensa, o serviço vai dar mais transparência às obras e deve se tornar um instrumento contra a corrupção e os desvios de recursos em construções, manutenções, ampliações e reformas de rodovias.
O sistema também vai auxiliar os prestadores de serviços com informações mais precisas, o que vai desburocratizar o pagamento das medições que, dos atuais 100 dias, vai passar para 15 dias para ser realizado.
Certamente, uma ferramenta de controle vai se tornar ainda mais necessária porque, além das suspeitas de corrupção em alguns casos, o número de obras tem crescido novamente. Até o final do ano, segundo previsão do Dnit, é que sejam licitados cerca de R$ 20 bilhões em obras rodoviárias.

O site do Dnit e: www.dnit.gov.br

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: