Híbridos da Volvo em todo o mundo chegam a mil

volvo

Ônibus elétrico híbrido Volvo da operadora Göteborgs Spårvägar, em Gotemburgo, na Suécia. Cidade agora tem 54 veículos deste tipo que são menos poluentes. Além da aquisição de 25 unidades pela Göteborgs Spårvägar, outra empresa da cidade, a Keolis, comprou 29 ônibus recentemente. De acordo com a Volvo, mais de mil ônibus deste tipo foram vendidos em todo o mundo. O Brasil é a única planta da Volvo fora da Suécia que faz ônibus com esta tecnologia. Divulgação Volvo.

Volvo já tem mil híbridos em todo o mundo
Cidade de Gotemburgo adquiriu recentemente mais 29 veículos e possui agora 54 unidades deste veículo que polui bem menos que os ônibus convencionais. No Brasil, há unidades da montadora em Curitiba e São Paulo em breve deve começar a operar híbridos da marca
ADAMO BAZANI – CBN
A solução de ônibus elétricos híbridos, que possuem dois motores, reduzem o consumo de combustível e usam energia elétrica que é bem menos poluente tem agradado as cidades em diversas regiões do mundo.
Há vários motivos para isso, como a necessidade de as cidades investirem na redução da poluição que causa não só perda na qualidade de vida, mas de recursos, e as razões de ordem técnica, como a autonomia e flexibilidade que os modelos deste tipo de tração possuem em relação a outros veículos que também não poluem de maneira significativa.
Uma das empresas que mais tem investifo nesta categoria de ônibus é a sueca Volvo.
A empresa Keolis, que opera parte dos transportes urbanos de Gotemburgo, na Suécia, adquiriu 29 ônibus elétricos híbridos da Volvo.
Com isso, a frota deste tipo de ônibus menos poluente na cidade, sede da Volvo, sobe para 54 veículos. Em junho deste ano, outra empresa operadora do local, a Göteborgs Spavägar, já tinha comprado 25 unidades do mesmo modelo.
O ônibus elétrico-híbrido possui dois motores. Um a combustão, neste caso a diesel, e outro que funciona com energia elétrica.
Neste modelo, nas situações que mais exigem forças e quando normalmente um ônibus diesel mais poluiria, quem opera é o motor elétrico. Assim, para colocar o ônibus em funcionamento e em velocidades até 20 quilômetros por hora, a tração é a eletricidade. Levando em consideração que um ônibus urbano anda em baixas velocidades e para e anda constantemente deixam as velocidades operacionais pequenas, o motor elétrico opera em boa parte do trajeto.
Após 20 quilômetros por hora, entra em operação o motor diesel, de apenas 4 cilindro, já que não é tão forçado como um motor de ônibus comum, o que faz com que ele polua menos. Em altas velocidades, o consumo e a emissão de poluentes são menores.
A tecnologia é híbrida paralela, ou seja, os dois motores são usados para movimentar o ônibus, enquanto que no sistema em série ou seriado, como os da Eletra, no Brasil, o motor a combustão opera só para gerar energia para o motor a eletricidade que movimenta o ônibus.
A aplicação é que determina qual o mais ideal, não havendo propriamente dito, um melhor que o outro.
No Brasil, a Volvo começou a produzir este ano elétricos híbridos paralelos. O Pais é a única planta fora da Suécia que faz estes ônibus.
Curitiba, no Paraná, recebeu as primeiras unidades de um total inicial de 60 até o início de 2013. São Paulo terá também este modelo da Volvo. Inicialmente serão 30 unidades.
Os Volvo Hybridus 7900 vendidos na Suécia são mais modernos e pesam cerca de 500 quilos menos, o que representa menos desgaste dos motores e componentes, e maior capacidade livre para transportes de passageiros.
O ônibus híbrido pode consumir cerca de 40% menos de combustível e, dependendo do poluente, ter emissões reduzidas em quase 90%.
Em todo o mundo, a Volvo afirma ter vendido cerca de mil ônibus híbridos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: