SONHOS SOBRE RODAS QUE TORNARAM REALIDADE

Publicado em: 26 de agosto de 2012

ONIBUS

As principais avenidas e rodovias que permitem o desenvolvimento de um país e o acesso à cidadania começaram assim, como pequenas trilhas ou grandes atoleiros. E os pioneiros dos transportes muitas vezes saíam de seus ônibus simples, encarroçados sobre chassi de caminhão, e com enxadas e a força do braço, desatolavam os veículos e alargavam estas trilhas. Muitas cidades foram criadas e muitos locais começaram a ter um povo mais próspero quando os ônibus começavam a servir as regiões. Transportar é acima de tudo, unir. Foto: Divulgação.

Sonhos sobre rodas que viraram realidade
Livro inédito traz entrevistas e histórias dos pioneiros que com muita força de vontade realizaram os sonhos de crescerem e proporcionarem desenvolvimento em suas regiões e em todo o País
Aerton Guimarães – Agência de notícias da CNT – Confederação Nacional dos Transportes
No próximo dia 28 de agosto, a Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati) lança o livro Sonho sobre Rodas, escrito pelo advogado e pesquisador Antônio Rúbio de Barros Gômara e pelo jornalista Nélio Lima.

A obra conta diversas histórias de pioneiros do setor no Brasil e é o segundo volume de um trabalho iniciado na década de 1990 por Rúbio Gômara, que publicou, em 1999, o livro O Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros. Com o falecimento de Rúbio no ano 2000, a Abrati convidou o jornalista Nélio Lima para dar continuidade às atividades de seu antecessor.

“O projeto era da antiga Rodonal, associação antecessora da Abrati, em que Rúbio já havia trabalhado. A ideia dele era escrever apenas um livro mas, quando encerrou as viagens e entrevistas por todo o país, identificou que havia material suficiente para escrever dois livros”, conta o jornalista Nélio Lima à Agência CNT de Notícias.

Em Sonho sobre Rodas, são reconstituídas as histórias de muitas das empresas que compõem o atual sistema brasileiro de transporte rodoviário de passageiros. O livro retrata a persistência de empreendedores que lutaram, há 80, 70 ou 60 anos atrás para encurtar distâncias, integrar comunidades e aproximar pessoas que, até então, dependiam exclusivamente da navegação de cabotagem ou da mal distribuída malha ferroviária da época.

Para compor o livro, Nélio se baseou nas entrevistas feitas por Rúbio Gômara com dezenas de empresários pioneiros do setor ou com seus descendentes diretos, além da análise de diversos trabalhos escritos sobre o assunto no país.

De acordo com o autor, “o livro contém narrativas que refletem o que foi a formação dessa atividade no Brasil”. Vários dos empreendedores eram imigrantes, em geral italianos, portugueses, espanhóis e alemães, que exerceram papel fundamental na implantação e no desenvolvimento da atividade.

Serviço
Lançamento do livro “Sonho sobre rodas” – Edição: Abrati
Local: Setor de Autarquias Sul, Quadra 1, Bloco J, Edifício CNT – 3º andar
Hora: 12:30
Aerton Guimarães – Agência de notícias da CNT – Confederação Nacional dos Transportes.

Comentários

  1. Gustavo Cunha disse:

    Bom dia.

    Gratificante lembrança, do papel dos ônibus, no crescimento do país.

    É uma pena, pois a cada dia, mais e mais, o amaldiçoam.

    Todos os meios de transporte são importantes, mas, os mais complexos, demandam mais tempo e dinheiro para serem implantados, expandidos e melhorados e o ônibus, nem tanto.

    Se nem o básico realizam, o que dirá, o outros.

  2. Roberto SP disse:

    Só uma coisa como podemos fazer para adquirir um exemplar desse livro, pois com certeza há muitas hisitórias interessantes e ricas para aumentar nosso repertório sobre o assunto. Sendo assim por favor indique para nós todos como conseguir um exemplar, forte abraço!

  3. Rafael disse:

    Como faço para adquirir o livro “Sonhos sobre rodas”?

    1. Por enquanto ai da não está sendo comercializado em lojas. Mas entrando em contato com a ANTP pode ser possível adquirido. Não sei o valor.
      Abraços

      1. Rafael disse:

        Obrigado, abraços

Deixe uma resposta