Número de acidentes com ônibus cai em Curitiba

onibus

Número de acidentes envolvendo ônibus de diversos tipos em Curitiba caiu 12,1% em cinco anos de acordo com a Polícia Militar. Ainda de acordo com a PM, em 90% dos casos a culpa não foi dos motoristas dos ônibus urbanos. Foto: Adamo Bazani

Número de acidentes envolvendo ônibus em Curitiba cai nos últimos cinco anos
Redução foi de 12,1% de acordo com levantamento do BPTran Batalhão de Policiamento de Trânsito da PM.
ADAMO BAZANI – CBN
O BPTran – Batalhão de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar do Paraná revelou nesta segunda-feira que os investimentos de empresas de ônibus em renovação da frota e em treinamento de motoristas e demais funcionários têm aumentado a segurança dos serviços.
De acordo com a PM, o número de acidentes envolvendo ônibus caiu 12,1% na capital Curitiba.
Os dados incluem ônibus urbanos, de fretamento, microônibus, particulares, rodoviários emplacados no Paraná e de transporte escolar. Hoje a frota de todos estes veículos em Curitiba soma 10 mil 652 ônibus. Os números não levam em consideração os ônibus com placas de outros estados e que circulam pela capital paranaense. Entre todos os tipos de veículos, incluindo caminhões, carros e motos, são cerca de 1,2 milhão de automóveis em Curitiba.
Em 2007, o BPTran registrou 902 acidentes com ônibus paranaenses em Curitiba. Já no ano passado, o número caiu para 792 ocorrências. Os números de 2012 devem ser apresentados no início de 2013.
MAIOR PARTE DA CULPA É DE TERCEIROS EM TRANSPORTES URBANOS:
Outro dado do BPTran é sobre de quem é a culpa dos acidentes envolvendo os ônibus de Curitiba.
Segundo a Polícia Militar em Curitiba e nos 20 municípios que formam a Região Metropolitana, prestam serviços 2 mil e 300 ônibus urbanos. Em 90% dos acidentes que envolvem este tipo de ônibus, a culpa, ainda de acordo com a PM, é de terceiros, ou seja, o erro não foi de responsabilidade dos condutores do transporte público na maioria dos casos.
Em 2011, estes 2,3 mil ônibus percorreram 180 milhões de quilômetros em 6,5 milhões de viagens. Foram 3,7 mil ocorrências entre acidentes e problemas operacionais, desde quebras até outros fatores menos graves que provocam atrasos nas partidas ou não cumprimentos dos itinerários como passageiros que passam mal e precisam ser socorridos, que tropeçam na saída dos veículos fazendo com que o ônibus fique parado para evitar acidentes e defeitos nas plataformas ou portas.
SEGURO:
Além d as empresas oferecerem mais treinamento e atualizarem os funcionários quanto às normas de segurança, desde 2010, as companhias de ônibus na Capital também disponibilizam seguro automático para os passageiros.
Sejam usuários pagantes ou isentos de pagamento de tarifa, eles são cobertos por seguro de acidentes pessoais para ocorrências nos ônibus, terminais e estações tubo.
O seguro foi uma exigência da Prefeitura de Curitiba na licitação de 2010 que criou grupos operacionais.
NÚMEROS:
A RIT – Rede Integrada de Transporte atende a capital paranaense e outros 13 municípios vizinhos. De acordo com a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., autarquia responsável pelo gerenciamento dos transportes na capital e na região metropolitana, 92% do transporte coletivo na cidade e 74% dos serviços de ônibus urbanos na Região Metropolitana fazem parte da RIT.
O sistema é formado por linhas que trafegam em vias comuns e também em corredores exclusivos. Nas estações-tubo e terminais, o passageiro pode pegar quantos ônibus quiser independentemente de limite de tempo, sem necessidade de pagar mais de uma tarifa. Os BRTs – Bus Rapid Transit (corredores exclusivos) de Curitiba são considerados exemplos mundiais de como melhorar a mobilidade urbana sem a necessidade de investimentos em modais mais caros. Não se trata, no entanto, de tirar a importância de sistemas metroferroviários, necessários em cidades de grande demanda como São Paulo.
A demanda de passageiros de Curitiba e da Região Metropolitana é de 2,5 milhões de pessoas por dia transportadas em 23 mil viagens que percorrem diariamente 576 mil quilômetros. Só a Capital reponde por 2,3 milhões de pessoas em 21 mil viagens que percorrem 490 mil quilômetros por dia, segundo a Prefeitura de Curitiba.
Em toda a região metropolitana, contando com serviços integrados e não integrados, foram no ano passado 7,1 milhões de viagens e 180 milhões de quilômetros. Levando em consideração só os números de Curitiba, o ano de 2011 teve 6,5 milhões de viagens com 150 milhões de quilômetros percorridos.
A RIT possui mais de 80 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus do tipo BRT, 30 terminais, 360 estações-tubos e quase 10 mil pontos de parada.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

1 comentário em Número de acidentes com ônibus cai em Curitiba

  1. em Curitiba a educação está em primeiro plano.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: