Protesto por causa de atropelamentos no BRT Transoeste

transoeste atropelamento

Estudantes interditaram Avenida das Américas, no Rio de Janeiro, em protesto pela morte de colega atropelado no BRT TransOeste. O jovem de 17 anos foi a quarta pessoa que perdeu a vida no corredor de ônibus. Em todos os casos, as vítimas estavam em locais proibidos para pedestre. Prefeitura promete intensificar campanhas de conscientização. Foto: O Dia


Protesto por morte de estudante em BRT
Alunos de colégio nas proximidades do BRT Transoeste fecharam parte da Avenida das Américas. Já é a quarta morte desde a inauguração do sistema
ADAMO BAZANI – CBN
Estudantes do Colégio Estadual Vicente Januzzi, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, fizeram um protesto nesta manhã por causa da morte do aluno Felipe Carneiro de Freitas, de 17 anos, atropelado por um ônibus no corredor Transoeste de BRT – Bus Rapid Transit.
Após 43 dias internado no CTI – Centro de Terapia Intensiva do Hospital Lourenço Jorge, Felipe não resistiu e morreu.
Já é a quarta morte desde a inauguração do trecho.
Os estudantes bloquearam parte da Avenida das Américas nas proximidades de onde ocorreu o atropelamento.
Eles exigem melhorias na sinalização para os pedestres e para os ônibus e construção de passarelas. A faixa de pedestre mais próxima da instituição de ensino fica a cerca de 300 metros.
Em todos os casos que houve atropelamento, os pedestres não estavam atravessando na Faixa. Eles cruzavam a via ou andavam perto do canteiro nos locais em que os ônibus desenvolvem uma velocidade maior.
A secretaria de transportes do Rio de Janeiro disse que vai intensificar as campanhas de educação no trânsito e estudar formas de melhorar a sinalização.
Nos quatro casos, inicialmente, a polícia não considerou os motoristas culpados, já que as vítimas estavam em locais proibidos para pedestres e que, mesmo sem sinalização, era evidente que as áreas não poderiam ter pessoas caminhando ou atravessando.
As pessoas se iludem pensando que os ônibus são lentos e que daria tempo para as travessias.
Isso, no entanto, não tira as responsabilidades do poder público e das empresas de ônibus quanto à sinalização, estrutura no corredor e treinamento para os motoristas.
A secretaria de transportes disse que novos folhetos e faixas educativas estão sendo confeccionados.
Houve tensão durante a manifestação dos estudantes.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

12 comentários em Protesto por causa de atropelamentos no BRT Transoeste

  1. Que responsabilidade tem a empresa ou o motorista se o pedestre esta andando ou atravessando onde não deveria? Só falta agora pediram pra levar pela mãozinha…

  2. Não só a empresa que ganhou a licitação quanto o estado tem toda a responabilidade pelas fatalidades. Esse ônibus pesa toneladas.. É uma máquina de matar que deveria… no mínimo.. ser protegida por uma murada, ou por via fechada. Nem campanha de conscientização fizeram antes que a via começasse a funcionar num passe de mágica. Esperaram morrer gente. E se fossem pessoas pobres provavelmente não fariam PN.

    • Discordo veementemente, acho que a responsabilidade é dos pedestres que estavam andando onde não deveriam. Ninguém pode dizer que não sabe onde deve andar ou por onde atravessar uma rua. Justamente por ver o tamanho de um veículo desses que deveriam andar longe e atravessar apenas onde é permitido.

  3. E outra coisa, campanha de conscientização por uma coisa que já existe a décadas (sim, pois ônibus já circulam a muitas décadas, seja em corredores ou em vias comuns, assim como carros e caminhões), então não é nenhuma novidade para os pedestres por onde devem andar ou atravessar uma rua…

  4. Claro que é novidade.
    A via é nova. Não é o pedrestre que deve ficar atento as mudanças promovidas pelo estado que ele sustenta com o dinheiro dos seus impostos. É o estado que, como órgão a serviço do cidadão, deve além de fazer bom uso do dinheiro do contribuinte, sempre alerta-lo a respeito de qualquer tipo de modificação de patrimônio publico. Você provavelmente nunca saiu do País, e por não estar familiarizado com transporte de primeiro mundo, tem um ponto de vista equivocado a respeito de como as coisas devem funcionar. Uma pena.

  5. Atenção de ambos os lados é importante…duvido e muito que ninguém já não soubesse do corredor a tempos. De fato você tem razão, nunca viajei pra fora, mas também não preciso viajar para saber que educação e bom senso de todas as partes é um artigo muito em falta hoje (e absolutamente necessário), então cada população tem o governo (e os governantes) que merece (não foi atoa que a maior votação foi para o slogan “vote no Tiririca, pior do que está não fica”…). Enquanto a população não perceber que as mudanças devem começar não pelos governantes, mas por si mesmos, a situação não vai mudar (e cito não apenas o fato de que ninguém é tão inocente ao ponto de não saber que deve atravessar a rua exclusivamente nas faixas de pedestres e não andar próximo do corredor, mas em outras coisas absolutamente básicas, como não jogar lixo na rua que pode causar enchente depois, andar na calçada, não na rua – e ainda vendo carro se aproximando e sequer se digna a sair da rua, continua no mesmo lugar, sabendo que corre o risco de ser atropelado – , cenas que basta sair na janela pra ver e que dependem exclusivamente de EDUCAÇÃO e não é a educação que se aprende na escola, que por sinal também esta em franca decadência a tempos, mas sim a educação que se aprende dentro de casa). Acho que a educação que se aprende em casa, e que ajuda nessas situações, não depende de governo nem de governante nenhum…

  6. Antes de compararmos como as coisas funcionam nos países de primeiro mundo e no Brasil, vamos comparar como é a educação e a cultura desses povos em relação a educação e a cultura do povo brasileiro (novamente citando não a educação que se aprende na escola, a qual nem se compara, mas aquela que se aprende em casa, onde se aprende onde termina meu direito e começa o do próximo, questões relacionadas a respeito, afinal hoje as pessoas acham que podem tudo e o outro que se vire, deu no que deu….

  7. O correto é atravessar na faixa e isso se aprende na educação infantil. Além disso, deve-se ter bom senso, essa avenida não é uma ruazinha de bairro, que passa um carro de vez em nunca.
    Mas também teve a falha no planejamento do BRT, escolas, hospitais e outros lugares que atraem muitas pessoas devem ter faixa de pedestres ou passarela perto, dependendo do caso, ter até mesmo uma estação perto. Mas é recorrente no Brasil o planejamento ocorrer de um escritório fechado, sem levar em contas as necessidades do povo. O maior exemplo disso é a linha 4 do metrô, aqui em São Paulo. Porque a estação fica no Butantã e não na Cidade Universitária, que atrai muitas viagens.
    Mas, pelo menos no Rio de Janeiro tiveram o bom senso de corrigir as falhas,implantando a faixa de pedestres e intensificando campanhas de conscientização. Em São Paulo, os gênios das políticas públicas reduziram o limite de velocidade dos corredores.

  8. Edson Ferri dos Santos // 19 de agosto de 2012 às 13:43 // Responder

    Concordo com o bruno, se as pessoas atravessassem na faixa de pedestre ou ainda esperassem os ônibus passarem as morte não aconteceriam, aqui no corredor ABD em São Paulo, eu vejo pessoas correrem na frente dos trólebus em movimento para “tentarem parar ele e subir pra seguir viajem” isso é uma falta de educação, e não sei se passarela resolveria, é só ver os videos do que acontece nas rodovias, e no centro de São bernardo do Campo eu também vejo pessoas correndo no meio do trânsito e deixando de usar as passarelas que existe lá pra economizar 3 minutos correndo risco de vida, e atravessar a rua e olhar para os lados a gente aprende isso em casa, quando se tem na casa pessoas educadas que sabem respeitar o espaço uns dos outros, isso incluem também ônibus, carro, moto, caminhão, bicicleta e pedestre que é o meu caso pois não possuo carro e nunca sequer cheguei perto de ser atropelado.

  9. AI concordo com o Bruno Quintiliano. Se não foram colocadas faixas de pedestre em áreas com grande concentração de pessoas, foi uma falha no projeto do corredor BRT mesmo. Deveria haver o farol e a faixa (e novamente o bom senso do pedestre em respeitar o farol, coisa que também não costuma acontecer…). Durante a noite me lembrei do que li em reportagens a respeito dos acidentes e em nenhum dos casos os pedestres estavam na faixa também…Acredito que independente de ser via nova ou não, a sinalização é sempre a mesma, então ninguém pode dar a desculpa de “a eu não sabia” e, se for para cercar a via, então isso devia acontecer em todas as ruas do país, pois essas situações não são exclusivas dos corredores, entretanto, resolveram fazer isso em algumas rodovias (pelo menos que eu vi) no litoral sul de SP, onde estão colocando cercas no canteiro central. Agora pergunto, ali o limite de velocidade é de 80km/h e ainda assim via-se (na verdade ainda se vê mas com uma drástica redução) pedestres atravessando na frente de carros, até de caminhões e ônibus, por vezes embaixo da passarela…eu pergunto, se um motorista atropela uma pessoa nessas condições, a culpa é do motorista, que estava trafegando a 80km/h (se estava acima ou infringindo qualquer lei, a culpa é do motorista mesmo, embora também não sozinho) ou do pedestre que estava atravessando a rodovia embaixo da passarela? Eu acho que esta mais do que na hora de não culpar apenas os governantes (que estão la pela escolha da maioria também) mas analisar que o problema esta mesmo na própria população que insiste em querer dar “um jeitinho” e ser mais esperto pra levar vantagem sobre os outros, novamente caindo na situação do bom senso e do respeito ao direito do outro.

  10. O PROBLEMA É QUE VOCÊS GOSTAM DE FALAR SEM SABER, GRAÇAS AO NOSSO PROTESTO FOI COLOCADO UM SINAL E UMA FAIXA DE PEDESTRE EM FRENTE AO COLÉGIO, QUE ATE O OCORRIDO AINDA NÃO TINHA, SENDO QUE, O PONTO DE ÔNIBUS FICAVA BEEEEM EM FRENTE AO COLÉGIO SÓ QUE DO OUTRO LADO DA RUA E PARA OS ALUNOS CHEGAREM ATÉ O LOCAL TERIAM QUE ANDAR MAIS DO QUE É O CERTO ANDAR, NÃO VENHAM COM ESSA DE QUE O PEDESTRE É CULPADO E BLA BLA BLA NÃO, PORQUE NÃO SÃO SÓ ELES OS CULPADOS, AGORA ME DIGAM, PORQUE NOS COLÉGIOS PARTICULARES EXISTEM PASSARELAS OU PASSAGEM SUBTERRÂNEA? E EM UM COLÉGIO DO ESTADO O ALUNO E PROFESSOR QUE JÁ PRESENCIEI MUITOS SÃO OBRIGADOS A ANDAR PARA CHEGAR ATÉ SEU PONTO? PAREM DE SER HIPÓCRITAS, PERDI MEU NAMORADO NESSE ACIDENTE, POR IRRESPONSABILIDADE DE AMBAS AS PARTES SIM, MAS NÃO DEIXA DE VER QUE O GOVERNO É O MAIS CULPADO, POR TER QUE SE SUJEITAR A UM PROTESTO ONDE PARAMOS A BARRA DA TIJUCA PARA SER COLOCADO UM SINAL, PENSE ANTES DE JULGAR, PORQUE SE FOSSE UMA PESSOA PRÓXIMA, VOCÊS FARIAM O MESMO, SE TIVESSE AMOR NO CORAÇÃO E SE EU TIVER QUE PARAR ESSE RIO DE JANEIRO MAIS VEZES EU PARAREI!!! BOA TARDE.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: