Redentor do Paraná e Consórcio Guaicurus disputam licitação em Campo Grande

licitação campo grande

Ônibus da Viação Cidade Morena que já opera os transportes de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e que participa da licitação do sistema local. Ela faz parte do Consórcio Guaicurus formado também pela Viação São Francisco, Jaguar Transportes e Viação Campo Grande, todas locais. A outra concorrente é a Auto Viação Redentor Ltda que opera em Curitiba, no Paraná

Redentor, do Paraná, e Consórcio local entregam propostas para licitação de Campo Grande
Quem ganhar o certame terá de investir R$ 40 milhões inicialmente, mas faturamento bruto é de R$ 170 milhões por ano.
ADAMO BAZANI – CBN
Dois grupos apresentaram propostas para a licitação do sistema municipal de ônibus de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.
Agora os documentos da fase de melhor oferta serão analisados pela Comissão de Licitação. Se caso houver algum entrave, haverá também a possibilidade de apresentação de recursos por parte das empresas. Ainda não há estimativa de quando essa etapa será finalizada. Se tudo estiver em ordem, as interessadas serão habilitadas. Posteriormente, entra a fase de proposta técnica quando será verificado se as empresas possuem condições técnicas e financeiras de operarem e se atendem aos pontos do edital. Fazem parte da fase de análise técnica, a verificação de itens como potencial de investimentos, propostas tecnológicas, experiência em transportes coletivos de passageiros, número de veículos em disponibilidade e contratação dos empregados atuais do sistema.
Os grupos interessados na operação dos transportes sul-matogrossenses são Auto Viação Redentor Ltda e o Consórcio Guaicurus.
O Consórcio Guaicurus é formado basicamente por empresas que já operam em Campo Grande: Viação Cidade Morena, Viação São Francisco, Jaguar Transportes Urbanos Ltda e Viação Campo Grande Ltda.
A Viação Redentor Ltda presta serviços urbanos no sistema de Curitiba, no Paraná.
A empresa ou consórcio que ganhar a licitação terá direito de prestar serviços por 20 anos.
Os investimentos iniciais devem ser de R$ 40 milhões. Além deste valor, a vencedora terá de colocar entre frota reserva e de operação, 600 ônibus. Todos devem ter equipamentos para acessibilidade de portadores de deficiência física ou visual.
Atualmente, Campo Grande possui uma frota de 551 ônibus, dos quais 450 oferecem acessibilidade para quem precisa usar cadeira de rodas.
Diariamente são transportadas 190 mil pessoas.
A estimativa de faturamento bruto é de R$ 170 milhões por ano. Em 20 anos, prazo da vigência do contrato, a companhia ou consórcio terá de investir R$ 800 milhões.
A Agência de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Campo Grande, responsável pelo gerenciamento do sistema, acredita que até o final do ano a licitação tenha sido concluída dependendo do número de recursos apresentados pelas concorrentes.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: