Nova Fábrica da Comil: mais que encarroçadora, uma montadora

comil

Ônibus urbano da Comil: produção vem para São Paulo. Fabricante vai concentrar a produção de veículos deste segmento na planta que vai ser inaugurada no ano que vem em Lorena, no Interior Paulista. Com isso a capacidade de produção de rodoviários em Erechim, no Rio Grande do Sul, vai ser ampliada em 100%, e a de urbanos com uma planta única cresce na mesma proporção. Foto: Adamo Bazani

Mais que uma encarroçadora, uma montadora de veículos
Com nova planta em Lorena, no Interior Paulista, a Comil promete inovar a forma de fazer ônibus no País
ADAMO BAZANI – CBN
“A Comil entra para uma fase de muito mais que fabricar carrocerias, ser uma montadora de veículos”.
A frase do diretor geral da fabricante, Silvio Calegaro, mostra o que o mercado pode esperar da marca com sede em Erechim, no Rio Grande do Sul, com a inauguração de uma planta na cidade de Lorena, no Interior Paulista.
O executivo diz que essa nova fase se dará por conta das tecnologias avançadas que serão aplicadas na produção dos veículos.
“Hoje a produção de ônibus como um todo ainda é muito artesanal. Vamos padronizar as formas de construção e montagem das carrocerias, diminuindo as oscilações entre as unidades, mas respeitando a característica do mercado que apresenta necessidades de configurações diferentes entre as regiões” – disse Silvio Calegaro.
O executivo e outros representantes da empresa, o prefeito de Lorena, Paulo Cesar Neme e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinaram ontem no Palácio dos Bandeirantes, na Capital Paulista, o protocolo de intenções para a construção da unidade fabril, no Vale do Paraíba.
Com investimentos na ordem de R$ 110 milhões, o empreendimento deve gerar 500 empregos diretos e mais mil empregos indiretos.
Mas a perspectiva do prefeito de Lorena, Paulo Cesar Neme, é que a geração de empregos seja maior ainda com o tempo.
“Tenho certeza que a presença de uma indústria do porte da Comil em Lorena vai atrair outros investimentos, empresas da cadeia produtiva. Lorena abre os braços para São Paulo retomar totalmente sua condição de locomotiva do Brasil” – disse o prefeito.
O governador Geraldo Alckmin, em seu discurso, disse que se empenhou para a vinda da Comil para o Estado de São Paulo.
“Confesso que raras vezes me empenhei como agora para trazer uma indústria para São Paulo. E a Comil fez uma excelente escolha ao optar por Lorena, uma das mais importantes esquinas do Brasil, com fácil acesso para Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo” – disse Alckmin.

Comil

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinou protocolo de intenções no Palácio dos Bandeirantes para a instalação da fábrica em Lorena. Alckmin disse que vinda de empresa para São Paulo não foi fruto de guerra fiscal e sim de incentivo legal a quem quer investir. Foto: Adamo Bazani.

Ele negou que São Paulo, vítima da Guerra Fiscal, que fez o Estado perder várias indústrias, esteja dando o troco com a mesma moeda.
“São Paulo tem uma economia de 42 milhões de habitantes. O PIB do Estado é 1,6 vezes maior que da Argentina. Não participamos de Guerra Fiscal. O Estado é atraente e o que fazemos é dar condições para quem quer se instalar, quem quer investir.” – declarou o governador Geraldo Alckmin que anunciou melhorias nas marginais da rodovia Presidente Dutra nas proximidades das instalações.
A localização de Lorena, além dos incentivos, foi um dos principais pontos para a Comil decidir pelo Vale do Paraíba.
“A planta vai produzir exclusivamente ônibus urbanos. Cerca de 60% destes veículos feitos pela Comil tem mercado concentrado em São Paulo, Minas Gerais e Belo Horizonte. Os maiores fornecedores de chassis para nossos produtos urbanos estão no Sudeste. A nova fábrica em Lorena fica a 80 quilômetros da MAN – Volkswagen Caminhões e Ônibus (que fica em Resende, no Rio de Janeiro) e 180 quilômetros da Mercedes Benz (localizada em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista).” – explica o diretor da Comil Silvio Calegaro que acrescenta:
“Os prédios desta nova unidade serão feitos pensando na produção. Não serão prédios ocupados por uma fábrica. Tudo será feito de forma a agilizar a fabricação. Essa unidade do Sudeste já sai com uma vantagem logística pela sua localização. Não para por aí, com processos e produção mais modernos os ganhos para a Comil, os clientes e os passageiros serão maiores ainda” – disse Silvo Calegaro sobre a planta que terá capacidade para produzir até 20 carrocerias por dia. A área ocupada é de 210 mil metros quadrados.
O diretor da Comil não descartou a possibilidade de além da linha de urbanos já em produção pela empresa, em breve serem lançados novos modelos e configurações de urbanos na planta de Lorena.
O governador Geraldo Alckmin destacou a importância de a indústria se empenhar em fazer ônibus cada vez mais modernos e confortáveis.
“A boa política é aquela que estimula a mobilidade urbana, o transporte coletivo de qualidade. O poder público faz a sua parte e a população também espera ônibus confortáveis e de qualidade” – disse Alckmin.
Mesmo com o mercado desaquecido este ano, por conta das renovações antecipadas de frota devido à mudança de tecnologia de combate a poluição que em 2012, deixou os ônibus e caminhões mais caros, a Comil olha para a frente.

Neste ano, a empresa espera igualar o desempenho de 2011, que foi positivo, ou ter uma queda de no máximo 5% nos negócios.
Mas 2012 não pode ser considerado como referência.
As perspectivas de médio e longo prazos são positivas por conta da modernização dos transportes nas cidades e da movimentação maior de investimentos gerados por eventos de grande porte, como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.
E a maior demanda destes eventos será por ônibus urbanos, embora que para outros modelos, o mercado também vai registrar crescimento.
Por isso que com a nova fábrica em Lorena, a capacidade geral da Comil dobra. A planta em Erechim, no Rio Grande do Sul, amplia para 100% a capacidade de fabricação de rodoviários e em Lorena, a empresa terá uma capacidade de 100% para fazer ônibus urbanos.
UM SONHO, UM PROJETO E UMA REALIDADE:

Comil

Ilustração de como deve ser a fábrica da Comil em Lorena, no Interior Paulista. De acordo com a Comil mais tecnologia e novos métodos de produção inauguram uma nova fase da indústria, passando de uma encarroçadora para uma montadora de veículos. Em uma área de 216 mil metros quadrados, com investimentos de R$ 110 milhões, unidade deve gerar 1,5 mil empregos entre diretos e indiretos. Foto/Ilustração: Comil

Em outubro do ano de 2005, de um sonho da família Corradi, uma das fundadoras da Comil, nascia um projeto: o U 2012. U de urbano e 2012 para quando era prevista a finalização de uma nova planta. O ano atrasou um pouco, já que a nova fábrica deve estar pronta no final de 2013: variações de mercado e necessidades de estudos detalhados para a decisão certa justificam o atraso que acabou sendo até benéfico pelo fato de o ano de 2012 não ser um dos melhores da indústria de ônibus.
A Comil, de acordo com o diretor Silvio Calegaro, pesquisou, além de Lorena, cidades no Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Deoclécio Corradi, um dos fundadores da Comil, e presidente do conselho de administração da empresa, diz que o sonho para a produção no Sudeste foi crescendo junto com a Comil.
“Quando em 1985, junto com a família Mascarello, adquirimos a Incasel (Indústria de Carrocerias Serrana Ltda) fomos corajosos. Não tínhamos experiência em carrocerias de ônibus, trabalhávamos com silos de armazenamento. Primeiro focamos o mercado que já pertencia a Incasel e com a aceitação de novos clientes e aproveitando bem os bons momentos do país e agindo corretamente nas épocas mais difíceis, fomos crescendo até que hoje o projeto U 2012 deixa de ser um projeto e parte para a realidade” – disse Corradi que se apaixonou pelo mundo dos ônibus.
A maior presença da Comil em São Paulo se deveu também a ação de pioneiros da marca.
Um deles é Fermino Kozak, representante da companhia em São Paulo.
Fermino conta que um sonho de 40 anos se realiza agora.
“A Comil é muito ligada às raízes históricas. Assim, sua diretoria considera a época da Incasel, onde comecei minha carreira com ônibus. Vim para São Paulo com o objetivo de fazer um porta a porta com os empresários e expandir a marca. E deu certo. A implantação de uma fábrica no estado de São Paulo para mim é a concretização de um sonho de 40 anos. E tenho certeza que a presença da unidade em Lorena vai atender melhor os clientes do Sudeste e chamar outros novos para a Comil” – disse Kozak que começou na Incasel com o objetivo de participar do time de futebol da empresa e acabou se apaixonando pelo mundo do ônibus.
A nova planta abre espaço também para o crescimento de rodoviários esperado pela Comil que terá a sede de Erechim todinha para estes veículos.
No ano passado, a Comil teve crescimento de produção em relação a 2010 de 27% passando neste intervalo de 3,1 mil unidades para 4,1 mil unidades.
A receita total da empresa foi de R$ 595,46 milhões. Mas o destaque de crescimento ficou por conta da linha Campione de rodoviários, que teve acréscimo de 40% na produção, com 1.798 veículos.
O município de Lorena e o Estado de São Paulo como um todo abriram os braços para o novo investimento.
A Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – Investe São Paulo – tem dado apoio de infraestrutura e tributário para a Comil.
A cidade também se prepara com o aperfeiçoamento dos cursos profissionalizantes.
O objetivo também com novos investimentos é melhorar a qualidade de vida em Lorena. O município tem IPRS – Índice Paulista de Responsabilidade Social, indicador elaborado pela Fundação Seade no grupo 5, considerado o mais baixo quanto a níveis de riqueza, escolaridade e longevidade.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

9 comentários em Nova Fábrica da Comil: mais que encarroçadora, uma montadora

  1. Boa noite !

    Parabéns a Comil, pelo crescimento !!

    Que ela mantenha o bom atendimento pré e pós venda, prestado aos frotistas, não se seduzindo pelo comportamento muito comum, depois algum mercado conquistado, de olhar o cliente “de cima para baixo” e tratar a maioria, como mais um.

    Abraço.

  2. É bom mesmo que a Comil providencie uma estrutura específica para urbanos, mesmo que seja só de motor frontal, porque os chineses estão chegando por aí. E o dragão é faminto por competitividade!
    O comentário do governador sobre a nova fábrica foi bem político, ja que contraria a intenção do psdb, pelo candidato serra á eleição municipal, em não investir em ônibus na capital mas sim em trem. Sou totalmente á favor de se investir em trem (metrô ou de superfície) até para desafogar um pouco a lotação dos ônibus, mas a política de transporte desse partido é exclusivamente voltada para o sistema ferroviário e de veículos particulares.
    Quando se diz “passando para uma montadora de veículos”, devemos entender que a Comil fará o mesmo que a Busscar, produzir o ônibus completo (chassi e carroceria)?
    Curioso esse nome U 2012. Parece nome de submarino alemão. Boa sorte para a Comil.

    • Andre, O Serra tem 37% de rejeição, e sabido que o governador e ele não se bicão, estou muito otimista, se não ocorrer nemhum fato novo e quase impossivel ele vencer, estou otimista em relação ao proximo governo, por incrivel que pareça, até a novo horizonte, talvez por medo, estão dando uma melhada, me parece que eles estão comprando onibus velhos porem em melhor estado dos que os seus antigos, menos mau, mas também acho que o ano que vem eles vingam.

  3. FELIPE Augusto Felicio // 31 de julho de 2012 às 12:23 // Responder

    Parabéns a Comil pela fabrica moderna e tambem a voce e sua familia como representantes e responsáveis pelo sucesso da Comil em nosso estado…Parabéns e que Deus os abençoe sempre…grande abraço

  4. Cssiano Henrique Cordeiro // 23 de setembro de 2012 às 16:57 // Responder

    Ola soube que estão contratando pessoas do RS que se disponham a ir pra nova unidade em SP,moro em Marcelino Ramos RS,acho que isto é otimo pois temos poucos postos de trabalho aqui no interior,me desloco daqui ate concordia todos os dias para trabalhar,sei que as pessoas que acompanharem a COMIL nesta nova fase tera um grande crescimento profisional. PARABENS por esta nova conquista da empresa e seus colaboradores

  5. Lorena no rumo correto do desenvolvimento, com uma lei altamente atual que propicia grandes investimentos na cidade.

  6. nivaldo lopes pacheco // 23 de novembro de 2013 às 14:22 // Responder

    Eu trabalhei na construção desta fabrica, é muito bom ver uma obra deste porte em nossa região! Sejam bem vindos a Lorena e ao Vale do Paraiba, Comil!

  7. LUCAS SOARES DE ARAUJO // 24 de novembro de 2013 às 01:23 // Responder

    GOSTEI MUITO DA FÁBRICA E COMO ESTOU CURSANDO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, GOSTARIA DE FAZER ESTÁGIO AÍ E COOPERAR PARA O DESENVOLVIMENTO DA EMPRESA E AO MESMO TEMPO APRENDER E APRIMORAR MEUS CONHECIMENTOS COLOBORANDO PARA O CRESCIMENTO DA MESMA.COMO FAÇO PARA ME CADASTRAR?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: