Número de passageiros cresce em São Paulo e frota dimunui

ônibus corredor

Demanda de passageiros de ônibus na Capital Paulista cresceu nos quatro primeiros meses deste ano em comparação ao mesmo período de 2011. Mesmo assim, frota de ônibus foi reduzida em junho de 2012 na relação com o mesmo mês do ano passado. Demanda de corredores variou muito entre os trajetos, ficando na media 2,41% menor. Foto: Adamo Bazani

Número de passageiros de ônibus cresce em São Paulo
Quantidade de usuários em corredor caiu, mas passageiros continuam destacando a importância de vias exclusivas para ônibus e querem melhorias

ADAMO BAZANI – CBN

A quantidade de passageiros de ônibus transportados pelo sistema municipal de São Paulo cresceu este ano, de acordo com a SPTrans – São Paulo Transportes, que gerencia os serviços na Capital Paulista.
Em relação aos primeiros quatro meses do ano passado, a variação foi de 0,7%.
Neste período de 2012, a sistema registrou 947 milhões de pessoas usando ônibus municipais. O número é 3% maior que os 921 milhões de 2009.
A frota de ônibus entre junho deste ano e junho do ano passado teve uma pequena queda, passando de 15.033 veículos para 14.972 ônibus.
Apesar de a redução ser considerada pequena, com o aumento do número de passageiros, ela significa menor oferta de vagas no sistema de ônibus.

CORREDORES DE ÔNIBUS:

A situação dos corredores de ônibus de São Paulo, muitos se limitando a apenas serem faixas que não oferecem mais eficiência aos ônibus, como ocorre com o Transoeste do Rio de Janeiro, o Corredor ABD, do ABC Paulista, e da rede de Curitiba, apresenta dados que variam de acordo com situações pontuais.
Em comparação aos quatro primeiros meses do ano passado, no mesmo período de 2012, a demanda geral dos corredores caiu 2,41%.
A queda foi puxada pela situação do corredor Campo Limpo / Rebouças / Centro.
A demanda nesta ligação foi reduzida em 20,71% no quadrimestre por conta do prolongamento da linha 4 Amarela do Metrô, que absorveu uma parte da demanda dos passageiros que saíam da zona Oeste, e da conexão desta linha com o serviço 9 Esmeralda da CPTM.
Pelo transporte por trilhos ser mais rápido muita gente migrou para o sistema.
O corredor, no entanto, é considerado importante por passageiros entrevistados numa sondagem. Mais da metade dos que migraram para o metrô dizem que eventualmente ainda usam o corredor como opção quando a linha do metrô está superlotada.
Outros passageiros, principalmente os que fazem deslocamentos menores vêem vantagens no corredor por julgarem perder tempo nas estações lotadas.
No outro extremo dos números, o corredor de ônibus Inajar – Rio Branco – Centro registrou alta no número de passageiros de 13,38% por conta de várias linhas do sistema local servirem apenas até este corredor.
A variação entre os quatro primeiros meses de 2011 e 2012, nos corredores de ônibus de São Paulo é bem diferente entre os trajetos:

– Inajar / Rio Branco / Centro: +13,38%
– Paes de Barros: + 4,67%
– Pirituba / Lapa / Centro: + 1,98%
– Jardim Ângela / Guarapiranga / Santo Amaro: + 0,48%
– Expresso Tiradentes: – 1,35%
– Vereador José Diniz / Ibirapuera / Santa Cruz: – 3,26%
– Parelheiros / Rio Bonito / Santo Amaro: – 4,16%
– Santo Amaro / Nove de Julho / Centro: – 7,02%
– Itapecerica / João Dias / Santo Amaro: – 8,64%
– Campo Limpo / Rebouças / Centro: – 20,71%
Os passageiros reconhecem a importância dos corredores, mas pedem vias melhores para os ônibus.
Em todo o ano passado, o sistema de ônibus municipal transportou 2 bilhões e 940 milhões de passageiros.
A maioria pede mais estrutura para os ônibus.
Corredores com pontos de ultrapassagem nas paradas, para evitar filas de coletivos, sistema de pré-embarque, pelo qual o passageiro já paga a passagem na estação antes de o ônibus chegar, e embarque em nível, com o piso da estação na mesma altura do assoalho do ônibus, tornariam os corredores ainda mais atrativos e as viagens mais rápidas e confortáveis.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

6 comentários em Número de passageiros cresce em São Paulo e frota dimunui

  1. O grande mau da prefeitura esta sendo jogar grande parte de sua responsabilidade no transporte de onibus para os trilhos (do estado), e com isso há cortes nas linhas de onibus até as estações do metrô e consequentemente há redução de frota e também redução na qualidade do transporte.

  2. Não chega a ser um problema o trem tirar um pouco dos passageiros do ônibus. Isso alivia um pouco a lotação dos mesmos equilibrando a demanda com o metrô.
    Isso sim que é corredor de ônibus! Não precisa passar por semáforo nem para sair do terminal, como acontece com a maioria dos corredores de ônibus.

  3. Adamo, esta queda em relação ao número de onibus não pode estar relacionada a substituição de ônibus convencionais por Articulados? Pois muitas linhas operadas pelo Grupo Ruas estão trocando os ônibus convencionais por articulados. Ou até mesmo articulados por Bi-articulados? Ainda assim teriamos um aumento na quantidade de pessoas a serem transportadas e um menor número de carros poluindo. Posso estar falando besteira, mas acredito que esta seja um das justificativas e na verdade, a diminuição na utilização dos corredores deve estar ligada a dois fatores a linha amarela do metrô e o aumento da frota de carros nas ruas o que nesta segunda hipótese é a pior de todas. Um abraço e parabens pela denuncia dos ip´s e mais um aótima matéria.

  4. muita gente deixa de usar os corredores por causa do caos que é pra chegar até o corredor. Na minha região, o corte de linhas fez com que para chegar até o corredor Sto Amaro – 9 de Julho – Centro, gaste-se pelo menos de 20 a 30 min a mais. Aí muita gente vai pro carro mesmo. E a prefeitura continua agindo cada vez menos.

  5. Boa matéria, com números importantes.
    Concordo com Robson e André.
    Além do aumento de articulados, a baixa velocidade dos corredores “joga” usuários para Metrô/CPTM.
    Lamento a pequena diminuição dos ônibus porque a capilaridade ainda é ruim, com muitos usuários desatendidos.
    Quanto ao corredor Campo Limpo/Rebouças, DISCORDO da “superlotação do Metrô”. Linha amarela só tem problemas nas estações Pinheiros e Paulista/Consolação. E mesmo nelas, os trens NUNCA estão superlotados. Além de serem muito rápidos, até pela viagem (por enquanto) direta Faria Lima-Paulista. Com SP-Morumbi e Vila Sônia funcionando, o corredor vai ter redução ainda mais severa.
    Inajar-Centro é um grande sufoco, porque não tem opções. Só a Metrô 6 Laranja deverá aliviá-la.

  6. Se o candidato do atual prefeito ganhar, vamos ter uma redução sem precedentes no numero de onibius na cidade de São Paulo, e o que sobrar ele vai enfiar os pontos finais em estações do metro, quem viver verá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: