Greve em Recife. Paralisação no Distrito Federal

greve Distrito Federal

Ônibus no Distrito Federal ficam parados por 24 horas nesta quinta-feira. Motoristas e cobradores protestam pelo não depósito do reajuste salarial que foi combinado com as empresas para maio. Em Recife e Região Metropolitana, greve completa segundo dia, prejudicando diariamente 2,2 milhões de pessoas. Justiça decide hoje índices de reajustes e se movimento é ilegal ou abusivo.

Greve de ônibus no Distrito Federal e no Recife
No DF, paralisação é de 24 horas. Já em Recife, com greve desde quarta-feira, trabalhadores e empregados devem chegar a uma solução, caso contrário justiça intervém com maior rigor.

ADAMO BAZANI – CBN

Mais uma greve de motoristas e cobradores de ônibus atinge o dia a dia de quem precisa de transportes públicos.
No Distrito Federal, a categoria cruzou os braços por 24 horas nesta quinta-feira, o que pegou muitos passageiros de surpresa. A paralisação afeta cerca de 600 mil pessoas.
Muitos usuários, sem opção de deslocamento, tiveram de optar por vans do transporte clandestino que cobravam preços abusivos. Havia viagens que nos ônibus convencionais a tarifa é de R$ 3,00 e que estavam sendo cobradas por R$ 15,00 pelos piratas.
Os motoristas e cobradores reivindicam o pagamento de 7,88% de reajuste nos salários. O índice já foi aceito pelo Sindicato das Empresas de Transporte do Distrito Federal – Setransp / DF e os reajustes teriam de ser aplicados já nos salários de maio, o que não ocorreu, de acordo com o sindicato dos trabalhadores.
No ano passado, além do reajuste de 7,88% nos salários a partir de maio, foi acertada a manutenção de benefícios da categoria, além de R$ 150,00 para auxiliar no plano de saúde e R$ 15,00 no plano odontológico para cada trabalhador ao mês.
O Metrô do Distrito Federal disponibiliza trens extras nos horários de pico para amenizar os efeitos da paralisação.
Nesta sexta-feira, os ônibus devem voltar a operar normalmente no Distrito Federal, mas no domingo, dia 08 de maio, haverá uma assembléia da categoria caso os depósitos não sejam feitos para decidir se pode haver ou não greve por tempo indeterminado.
Entre motoristas e cobradores de empresas e de cooperativas de transportes são 13 mil profissionais.

GREVE DE ÔNIBUS EM RECIFE:

O Tribunal Regional do Trabalho de Recife vai determinar nesta quinta-feira, dia 05 de julho, o índice de reajustes dos salários e benefícios dos motoristas, fiscais, despachantes e cobradores e se a greve, iniciada na quarta-feira desta semana, pode ser considerada ilegal ou abusiva. Na quarta-feira da semana passada, houve uma paralisação de 24 horas a titule de advertência.
Cerca de 2,2 milhões de pessoas são prejudicadas diariamente. Elas dependem dos 2,9 mil ônibus que prestam serviços nas 360 linhas de Recife e região Metropolitana.
Os trens da Metrec / CBTU – Metrô do Recife da Companhia Brasileira de Trens Urbanos operam com frota reforçada e prolongaram os horários de pico.
Nesta quinta-feira, segundo dia de greve, mais ônibus foram vistos nas ruas por alguns passageiros, como em Boa Viagem, na zona Sul de Recife.
Mas em outras regiões, como na cidade de Jaboatão dos Guararapes, a falta de ônibus era grande.
O trânsito mais uma vez foi complicado nas principais vias de Recife e cidades de médio porte que ficam nas imediações.
Os motoristas e cobradores pedem reajustes em torno de 30% entre salários e benefícios.
Já as empresas de ônibus oferecem aumentos salariais entre 7,5% e 8%, o que elevaria os ganhos dos cobradores para R$ 690,00, dos fiscais para R$ 790,00 e dos motoristas para R$ 1,5 mil. Também é oferecido vale refeição de R$ 160,00.
As categorias não representadas por sindicatos, receberiam aumentos de 7% nos salários.
Todos estes percentuais agora serão estipulados por dissídio na Justiça.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: