TRANSPORTES: As autoridades sabem o que fazer

Transportes: autoridades sabem o que fazer
No entanto, o medo da rejeição política é o maior entrave para que os responsáveis pelas cidades e regiões metropolitanas tomem atitudes

ADAMO BAZANI – CBN

“Todo mundo sabe o que tem de ser feito em relação aos transportes, trânsito e qualidade de vida nas cidades, mas e o ônus político disso? Se o Gilberto Kassab fizer duas faixas de ônibus na 23 de maio, não se elege nem para síndico do prédio dele”
A afirmação é de Paulo Saldiva, professor de medicina da USP, que estuda os efeitos da poluição causados na saúde das pessoas por conta do excesso de veículos.
Ele participou do Seminário Transporte Coletivo: Mobilidade, Sustentabilidade e Saúde, iniciativa da Metra, operadora de ônibus e trólebus no Corredor ABD, que liga São Mateus, na zona Leste de São Paulo, ao Jabaquara, na zona Sul da Capital Paulista, por municípios do ABC, e da Eletra, que fabrica para o mercado naciojnal e exporta tecnologia limpa para o funcionamento de ônibus..
Também estiveram presentes Adalberto Maluf, especialista em mobilidade Urbana e membro do C 40 (grupo das maiores cidades do mundo que discutem ações para minimazr as mudanças climáticas) Vitor Seravalli, consultor em sustentabilidade empresarial e Adriano Branco, que foi secretário de transportes de São Paulo, responsável pela implantação do maior projeto que a cidade teve de expansão da rede de trólebus, veículos de transportes coletivos sobre pneus que não emitem poluição por serem elétricos.
O Jornal Canal do Ônibus esteve lá. A reportagem é de Nicolle Fantinati, os trabalhos técnicos de Cláudio Lopes, edição Eduardo Pinto e texto da matéria de Adamo Bazani. CONFIRA O VÍDEO ABAIXO:

Veja também outras reportagens em:

http://reportagens.canaldoonibus.com.br/jornal-canal-do-onibus.html

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

3 comentários em TRANSPORTES: As autoridades sabem o que fazer

  1. e lamentavelmente Ádamo,o professor da USP está certíssimo no raciocínio.esse indivilualismo(obrigado grande imprensa Brasileira),pegou de um jeito avassalador sobretudo em São Paulo.onde andar de onibus”é coisa de pobre”!

  2. Isso é fato, não investem por que não tem interesse. Eles só fazem o que lhes angariar mais votos. E transporte público definitivamente não é.

    A SPTrans não investe em trólebus, temos o corredor Rio Branco com rede elétrica mas que são utilizados veículos poluidores, e saiu a notícia de que não terá trólebus na Casa Verde. A única linha que passava por uma pequena parte do local (2290/41 Princ. Isabel) foi desativada. A rede aérea do Vd. D. Luciano de Almeida (estaiado) instalada ano passado está abandonada e se deteriorando, dinheiro público jogado fora. Depois eles vem fazer falsas propagandas de “Ecofrota”, só visando a promoção “pessoal”.

    Lamentável a falta de política séria, esse ano tem eleições vamos prestar muita atenção em quem vamos colocar no poder. Infelizmente são pouquíssimas opções e as que temos já sabemos como são. Junta tudo num saco e joga fora.

    Parabéns pela matéria Ádamo, abraço.

  3. DR PROTESTO INDIGNADO E P..TO DA VIDA!!! // 4 de julho de 2012 às 22:58 // Responder

    O certo era o coletivo se sobrepor o INDIVIDUAL, sinceramente é mais a vontade de se eleger do que a vontade do povo. ótima matéria ADAMO.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: