GREVE DE ÔNIBUS EM FORTALEZA CHEGA AO FIM

Publicado em: 23 de junho de 2012

Fim da Greve de ônibus em Fortaleza

Termina a Greve de Motoristas e Cobradores de Ônibus em Fortaleza. Apesar dos quatro dias de paralisação, prevaleceu a proposta aceita pelas companhias de ônibus em reunião com a justiça no início da semana. Greve chegou ao fim depois de um acordo neste sábado entre o Sintro (sindicato dos trabalhadores) e Sindionibus (representação das empresas). Prefeita Luiziane Lins classificou a greve como política e descartou aumento nas passagens de ônibus.

Greve de Ônibus em Fortaleza chega ao fim
Decisão foi tomada depois de encontro entre os sindicatos de empresas e dos trabalhadores
ADAMO BAZANI – CBN
A greve de motoristas e cobradores de ônibus em Fortaleza foi encerrada na noite deste sábado depois de acordo feito no MPT – Ministério Público do Trabalho durante encontro entre o Sindionibus – Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado Ceará e o Sintro-CE – Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará.
Na parte da manhã, já houve um consenso entre os representantes de trabalhadores e das companhias de ônibus.
Prevaleceu a proposta aceita pelos empresários de ônibus, formalizada na segunda-feira pela Justiça do Trabalho.
O aumento salarial será de 8,5%, o valor da cesta básica passa de R$ 60,00 para R$ 70,00 e a folha do vale-refeição vai de R$ 7,00 para R$ 8,00.
Os motoristas e cobradores pediam 15% de reajuste nos salários, cesta básica de R$ 80,00 e vale-refeição de R$ 12,00.
Antes de o Sintro – CE anunciar o fim da paralisação, militantes foram aos terminais e garagens comunicar a categoria.
A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, disse nesta semana que mesmo com reajuste nos salários dos motoristas, cobradores e demais funcionários das empresas, não vai promover aumento nas passagens de ônibus.
Ele chegou a declarar que a greve, em pleno ano eleitoral, tem motivação política e que, mesmo que os empresários “oferecessem ouro em pó para os motoristas e cobradores” , o Sintro – CE faria a greve.
O Sintro nega e diz que os salários e demais benefícios dos trabalhadores estavam desatualizados e que o movimento foi unicamente trabalhista.
Durante a greve, ônibus foram depredados, o trânsito ficou mais complicado em horários de pico porque muita gente que deixa o carro em casa habitualmente usou o transporte particular e por conta dos bloqueios com ônibus vazios que os grevistas faziam nas principais ruas e avenidas da região central de Fortaleza.
Houve também cobrança abusiva de passagens pelos mototaxistas.
Os serviços de ônibus devem ser normalizados aos poucos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta