Programa de Mentoria em empresa de ônibus auxilia qualificar mão de obra no setor de transportes

Mentoria

Programa de Mentoria do Grupo Leblon Transporte de Passageiros é inédito na empresa. Por ele, trabalhadores com mais experiência transmitem aos funcionários que estão ingressando, o conhecimento do dia a dia do setor de transportes coletivos, que exige cada vez mais qualificação dos profissionais. Além disso, na troca de informações é proporcionada uma oportunidade de mais integração entre os colaboradores da empresa e o desenvolvimento de valores humanos de cooperação. Foto: Karoline De Falcão

INOVAÇÃO: Grupo Leblon cria programa inédito de mentoria para qualificar novos profissionais dos transportes
Além de receberem os treinamentos já aplicados pela empresa, motoristas e cobradores que ingressam na companhia são acompanhados por profissionais mais experientes.

ADAMO BAZANI – CBN
O setor de transportes de passageiros exige cada vez mais profissionais qualificados, que não se limitem a operar um ônibus, mas que saibam lidar com pessoas, que entendam da realidade das cidades, tenham um senso de paciência e bom atendimento.
Além disso, os ônibus são dotados de tecnologias cada vez mais complexas que também requerem um nível de especialização dos profissionais.
As empresas investem cada vez mais em treinamentos e em cursos de qualificação, no entanto, nada melhor que um profissional mais experiente passar seus conhecimentos para as pessoas que ingressam num setor ou numa empresa.
E foi com base nisso que o setor de Recursos Humanos do Grupo Leblon Transporte de Passageiros criou de forma inédita na empresa um Programa de Mentoria, pelo qual, os profissionais com maior conhecimento das funções de motorista e cobrador acompanham e auxiliam os colegas que iniciam na companhia.
A empresa realiza todos os testes admissionais e faz os treinamentos essenciais para cada função.
O Programa de Mentoria não substitui nenhum destes processos, mas vem somar na qualificação dos novos profissionais.
Por melhores que sejam os treinamentos, não é possível abordar todas as situações que ocorrem no dia a dia dos serviços de transportes, que são complexos. Já no contato diário com um profissional mais experiente, a pessoa que está ingressando no trabalho tem essa oportunidade, como explica o coordenador de recursos humanos do Grupo Leblon, Celso José Adolfato Vieira.
“A ideia surgiu por existirem diversas informações que não eram passadas
ao novo colaborador no momento da Integração à Empresa. Muitas delas, só
serão entendidas com a prática. É o que vai acontecer a partir de agora
com o Programa de Mentoria.” – disse o executivo.

TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTO É ESSENCIAL:

Sempre na história do homem, muito mais agora, no entanto, quando o volume de informações é cada vez maior, a transmissão de conhecimento é um valor estratégico que beneficia não apenas o mercado de trabalho, mas o ser humano em sua essência.
Quem recebe o conhecimento se beneficia diretamente e quem passa o conhecimento, cresce. Isso porque, a melhor maneira de aprender, é ensinar. E tanto no mercado de trabalho como na vida, as pessoas aprendem a cada dia.
E é assim que se desenvolve o Programa de Mentoria do Grupo Leblon.
Os mentores, profissionais mais experientes, são selecionados pelas coordenadorias de suas áreas e o setor de recursos humanos e recebem um treinamento para passarem da melhor forma seus conhecimentos para os recém contratados.
Cada mentor, que é reconhecido financeiramente pela empresa pelo seu trabalho, pode acompanhar até dois mentorandos, que são os novos profssionais.
A interação entre eles dura no mínimo três dias, tempo que pode ser prolongado de acordo com a necessidade identificada neste período.
O mentorando deve acompanhar toda a jornada do mentor e pode, a critério do profissional mais experiente, assumir o posto de trabalho para desenvolver com mais segurança suas habilidades.
Aliás, esse procedimento é essencial para eliminar a normal insegurança do primeiro dia de trabalho.
Quantos profissionais do setor no passado que nunca tiveram contato com o dia a dia dos transportes, recebiam o treinamento dentro da garagem, em viagens reservadas e logo em seguida pela primeira vez tinham de operar um veículo de grande porte que transporta centenas de pessoas por viagem. Isso pode deixar qualquer um receoso de fato.
Ao final de cada período de qualificação, o mentor deve preencher um relatório sobre as perspectivas em relação aos novos profissionais.
Os mentorados também podem expressar suas opiniões.
Nove mentores foram qualificados na primeira fase, realizada neste mês de junho.
Fez parte do treinamento, a simulação de limitações físicas nos profissionais, que sentiram um pouco da realidade e das dificuldades de passageiros que possuem necessidades especiais.
Assim, os motoristas e cobradores foram limitados dos movimentos:
2 Colaboradores se passaram por cadeirantes: Foram alugadas duas cadeiras
de rodas e os pés da pessoa foram amarrados junto a cadeira.
2 Colaboradores se passaram por usuários de muletas : Uma das pernas
foi amarrada para trás, dificultando o seu movimento.
3 Colaboradores se passaram por deficientes visuais: Foram vedados com
óculos e fitas preta isolante para a não visualização.
2 Colaboradores com andadores: Foram alugadas dois andadores,
dificultando a mobilidade ao terem as pernas amarradas em um curto espaço de movimento.
O treinamento sensibilizou e conscientizou ainda mais os profissionais de que as pessoas que possuem limitações merecem mais atenção no dia a dia, inclusive no setor de transportes públicos.
“Havendo um crescimento de pessoas com necessidades especiais, é tempo de
nos preparar para servi-los em oportunamente. Temos visto a preocupação da empresa neste sentido. “, disse o cobrador Geremias Faria que é mentor.
O motorista Vanderlei de Assis Ribeiro, que também é mentor, disse que nada como sentir na pele as dificuldades para compreender as necessidades de quem possui algum tipo de limitação.
“Para mim foi uma experiência muito boa. É uma coisa neste sentido pra gente ver como é difícil o dia a dia de uma pessoa com necessidades especiais. Muito boa a iniciativa.”
O treinamento chamou a atenção de passageiros como a Márcia, que tem na família pessoas que precisam de auxílio em diversas situações do cotidiano
“É muito legal fazer estas experiências, principalmente com os motoristas e cobradores. Há muitas pessoas que sofrem com estas deficiências para pegar ônibus, inclusive tenho parentes nesta situação”
Transmitir conhecimento é muito mais que passar informações de como realizar uma tarefa, mas é pensar nas gerações futuras de acordo com frase do conferencista e palestrante dedicado à liderança, John C. Maxwell
“Todos os certificados de reconhecimento que recebemos em nossas vidas se esvairão. Os monumentos que construímos se desmoronarão. Os troféus ficarão corroídos. Porém, o que fazemos para o próximo terá um impacto permanente no mundo. O verdadeiro sucesso só é evidenciado quando cada geração desenvolve a geração futura, ensinando a ela o valor e o método de como oferecer ensinamentos ao próximo grupo de líderes.”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.
Colaborou Karoline Dea Falcão

3 comentários em Programa de Mentoria em empresa de ônibus auxilia qualificar mão de obra no setor de transportes

  1. excelente matéria, nela os motorista tem a empatia, se colocam no lugar das pessoas com deficiência, assim eles vão prestar um serviço melhor a população !

  2. Josue Marcio Lopes // 19 de junho de 2012 às 14:23 // Responder

    Disso que os transportes precisam para melhorar. Solucoes simples, de custos coerentes e inteligentes.
    Parabens a esta empresa

  3. Boa noite !
    Excelente iniciativa !!
    Parabéns à empresa e a você Ádamo, por divulgar isto.
    Que sirva de exemplo, para as que nada fazem.
    Abraço forte.
    Ah propósito Ádamo, José de Anchieta apesar de triste contigo, te manda lembranças !!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: