Novos ônibus híbridos de Curitiba são apresentados na Rio +20

onibus

Ônibus a hidrogênio da Volvo apresentado na Rio + 20. Redução de alguns tipos de poluentes pode chegar a 90%, segundo a fabricante. Foto: Divulgação Volvo

Volvo apresenta na Rio+20 o seu primeiro ônibus híbrido fabricado no Brasil
Primeiras unidades devem rodar em Curitiba no mês de setembro.

ADAMO BAZANI – CBN

A Volvo apresentou agora pela manhã, na Rio +20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, uma solução tecnológica que beneficia o meio ambiente na área de transporte público.
Trata-se da primeira unidade do ônibus elétrico híbrido produzida no Brasil, movido com dois motores: um a eletricidade e outro a diesel.
A tecnologia é denominada de Híbrida em Paralelo.
O motor elétrico funciona quando o ônibus faz as arrancadas e em movimento até 20 quilômetros por hora.
São os momentos que os ônibus mais emitem poluição com motores convencionais. Assim, de acordo com a Volvo, a operação da tração elétrica nestas ocasiões minimiza os maiores impactos de emissão de poluentes.

onibus

Veículo possui dois motores que usa a tecnologia Híbrida em Paralelo. O motor elétrico opera nas arrancadas e até 20 quilômetros por hora, situações onde os ônibus mais poluem. Depois disso, entra em operação o motor diesel. Sistema também aproveita energia gerada nas frenagens. Foto: Divulgação Volvo

O ônibus usa o princípio da frenagem regenerativa, ou seja, a energia que não é usada quando o veículo é menos exigido e gerada quando é freado, não é desperdiçada. Essa energia é armazenada em bancos de baterias que vão fornecer força ao veículo quando as condições de operação são mais exigentes.
Estima-se que entre 30% e 40% do tempo operacional do veículo são usados com o ônibus parado.
E no caso do Hibridus, segundo a Volvo, neste tempo, não há emissões de poluição.
A redução de poluentes pode ser de até 90%, dependendo do tipo de gás ou material, em comparação com os ônibus diesel de motorização Euro III, da antiga tecnologia.
Entre os poluentes reduzidos estão materiais particulados, Óxido de Nitrogênio e Gás Carbônico.
Após o ônibus atingir 20 quilômetros por hora, entra em funcionamento o motor diesel, que também gera energia e já segue as novas normas de redução à emissão de poluição com base no Euro V, que são mais rígidas. Nestes momentos, em velocidades maiores, normalmente os motores a combustam poluem menos.
Quando ônibus para nos pontos, congestionamentos ou semáforos, o motor diesel se desliga automaticamente.

onibus

As primeiras unidades dos ônibus híbrido da Volvo devem circular na cidade de Curitiba, no Paraná, na Linhas Interbairros I e em serviços bairro a bairro. Os trinta primeiros ônibus chegam em setembro e outros 30 no ano que vem. Foto: Divulgação Volvo

A cidade de Curitiba, no Paraná, reconhecida pelos sistemas de BRT (Bus Rapid Transit), deve receber um lote de 60 veículos destes, de acordo com o prefeito Luciano Ducci, que esteve no evento.
As primeiras trinta unidades devem começar a circular em setembro e as outras trinta serão colocadas no sistema no ano que vem.
Inicialmente vão operar na linha Interbairros I, que liga as vilas aos terminais, sem passar pelo centro, e em outras linhas bairro a bairro
No caso de Curitiba, o motor a combustão vai operar com 100% de Biodiesel, o que deve contribuir para aumentar os níveis de redução de poluentes.
Os veículos da capital paranaense são encarroçados pelo modelo Viale BRT, da Marcopolo
Segundo a Volvo, pelo fato de o veículo não operar o tempo todo com o motor diesel, a economia de combustível pode chegar a 35%.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

ABAIXO NOTAS DA VOLVO E DA MARCOPOLO:

onibus

Motor Elétrico rende 160 cavalos e a Biodiesel 215 cavalos de potência. Carroceria é Marcopolo, modelo Viale BRT com 12,45 metros de comprimento e capacidade para 76 passageiros: 27 sentados e 49 em pé. Foto: Julio Soares / Marcopolo

VOLVO –

A Volvo mostra na Rio+20 (Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável) o ônibus híbrido da marca já produzido no Brasil. O veículo, movido a eletricidade e a diesel, até então era fabricado apenas na Suécia. O evento foi realizado hoje, 14 de junho, pela manhã, em cerimônia com a presença do presidente da Volvo Bus Américas, Stefan Tilk, e o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci.

A fábrica da Volvo, em Curitiba, é a primeira fora da Europa a produzir chassis híbridos da marca. A unidade exposta na Rio+20 é a primeira de um lote de 60 adquiridos por operadores de Curitiba, reconhecida mundialmente pelo pioneirismo de seu sistema organizado de transporte coletivo urbano.

Os 30 primeiros híbridos começam a rodar em setembro em Curitiba. Eles trafegarão nas linhas convencionais bairro a bairro, e na linha Interbairros 1, ligando terminais e bairros sem passar pela região central. Os 30 restantes serão entregues no próximo ano. Inicialmente, a Volvo fabricará um chassi padrão, na configuração 4×2 eixos.

“Estamos muito otimistas com este revolucionário veículo. É o ônibus do futuro”, afirma Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America. A tecnologia Volvo permite economia de combustível de até 35% e reduz em 90% as emissões de gases poluentes, em relação aos ônibus com tecnologia Euro 3, além de não emitir ruído em cerca de 30% a 40% do tempo de operação.

O híbrido tem dois motores (diesel e elétrico) que funcionam em paralelo ou de forma independente. O motor elétrico é usado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até 20 quilômetros por hora, e também como gerador de energia durante as frenagens.
O ônibus híbrido que a Volvo está produzindo no Brasil tem uma tecnologia revolucionária e é a solução híbrida mais avançada já desenvolvida. Chamada de “Híbrida em Paralelo”, foi projetada para um ônibus com dois motores, um a diesel e outro elétrico, que funcionam em paralelo ou de forma independente. O motor elétrico é utilizado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 quilômetros por hora, e também é usado como gerador de energia durante as frenagens.

O motor diesel entra em funcionamento em velocidades mais altas. A cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar as baterias. Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor diesel fica desligado. O tempo que o veículo fica parado pode representar entre 30% e 40% do período total de operação do ônibus. Durante todo esse tempo, não há emissões de poluentes, pois o motor diesel se apaga completamente.

Menor consumo, menos poluentes

“Esta tecnologia tem duas vantagens principais: mais economia de combustível e grande redução no impacto ambiental”, destaca Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America. O sistema híbrido da Volvo proporciona uma redução no consumo de combustível de até 35%. Já a diminuição das emissões de poluentes que saem do escape pode chegar a 90%, na comparação com motores a diesel convencionais Euro 3.

Estes excelentes resultados não se devem somente por causa do reaproveitamento de energia para tracionar o ônibus. A alta potência do motor elétrico possibilita a instalação de um motor diesel menor e mais econômico. “Além disso, funções auxiliares como compressor de ar e bomba hidráulica, são feitas por motores elétricos”, explica Euclides Castro, gerente de ônibus urbanos da Volvo Bus Latin America.

“O sistema híbrido da Volvo reduz não somente as emissões de CO2 (gás carbônico, um dos principais gases responsáveis pelo efeito estufa), mas também de NOx (Óxidos de Nitrogênio, responsáveis por alergias e ardência nos olhos, por exemplo) e de materiais particulados”, complementa Fábio Lorençon, engenheiro de vendas da empresa.
ASSESSORIA VOLVO

MARCOPOLO:

A Marcopolo, uma das principais empresas mundiais no desenvolvimento de transporte público terrestre, apresenta na Rio+20 o primeiro modelo Viale BRT com tração híbrida (biodiesel/elétrica). O veículo, protótipo, está no estande da cidade de Curitiba na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que se realiza de 13 a 22 de junho, na cidade do Rio de Janeiro.

Segundo Paulo Corso, diretor comercial da Marcopolo para o mercado brasileiro, o projeto do Viale BRT Híbrido é baseado na tendência internacional de pesquisa por alternativas que permitam a mobilidade veicular com preservação do meio ambiente.

O novo Viale BRT constitui-se no mais avançado estágio da tecnologia híbrida. É equipado com conjunto propulsor formado por um motor elétrico de 160 cv de potência, que utiliza baterias de íon de lítio e também dispõe de motor 100% biodiesel de 215 cv. Os propulsores estão instalados na parte traseira do veículo, o que contribui para melhor distribuição de pesos e conforto para os passageiros.

“O arranque é feito pelo motor elétrico até a velocidade de 20 km/h e sua energia é fornecida pelas baterias de lítio. Depois disso, o ônibus funciona em paralelo com o motor a biodiesel e o elétrico em sintonia. A energia para o elétrico é fornecida pelo sistema de regeneração dos freios e ainda pelo gerador interno acoplado no próprio motor elétrico. Outro detalhe é que a cada parada do ônibus, seja em semáforos ou em pontos, o motor diesel se desliga automaticamente, religando somente após o veículo alcançar velocidade maior que 20 km/h”, explica Corso.

Com 12.455 mm de comprimento, o Viale BRT Híbrido tem capacidade para transportar 76 passageiros, sendo 27 sentados e 49 em pé. O modelo é equipado com transmissão automática, poltronas com encosto de cabeça, descansa-braços e descansa-pés, três lixeiras no salão de passageiros, sirene de marcha à ré e sistemas de gerenciamento de frota e de iluminação interna em LEDs. Conta ainda com sistema de acessibilidade com elevador e espaço para cadeira de rodas com cinto de segurança de três pontos.

“Diversos estudos mundiais indicam a necessidade de utilização de ônibus modernos, confortáveis, silenciosos, eficientes e que gerem o mínimo possível de custos e de impactos ao meio ambiente. O Viale BRT Híbrido proporciona todos estes atributos para os usuários”, destaca.

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável é o maior evento destinado à importância da preservação ambiental e deverá contribuir para definir a agenda dos programas para as próximas décadas. O encontro tem como objetivo a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável, por meio da avaliação do progresso e das lacunas na implementação das decisões adotadas pelas principais cúpulas sobre o assunto e do tratamento de temas novos e emergentes.
SECCO COMUNICAÇÂO

7 comentários em Novos ônibus híbridos de Curitiba são apresentados na Rio +20

  1. Interessante, mas poderiam lembrar dos Tróleibus também.. por que só na Europa eles são tão valorizados??

  2. Não só os Trólebus Emerson, mas tambám os tais “hidrogênibus” [uma analogia do “hibribus” rsrs], que também é uma espécie de hibrido por usar dois sistemas de tração; que não deixa de ser meio trólebus por produzir eletricidade.
    O Viale BRT [está fazendo sucesso em garoto!] ficou legal nessa versão 4×2, mas será que ficaria legal também na 6×2 e biarticulado? Outro detalhe que me chamou atenção foi o trólebus chinês. Ja foi anunciado que eles iriam investir no mercado de ônibus brasileiro, além de uma companhia italiana. Eu gostaria que o Urbanuss Plus também tivesse a mesma oportunidade de se destacar. Melhor que esse mega feioso da Neobus. E entendam de modo abiguo mesmo: Mega por ser o nome do ônibus e grande feioso. Mas me refiro só a esta versão do Mega.

  3. Nossa, “tambám” foi de mais!! Desculpem rsrs. Boa matéria Adamo.

  4. “De mais” foi demais também. Coitado do português!!!

  5. muito interesante mais uma ves a dobradinha volvo e marcopolo,vamos falar a verdade é o hibrido a la brasileira, tentando baratiar o projeto o maximo possivel,so nao entendo porque nao foi utilizado o sistema de porta em nivel com a lateral da carroçeria ,dessa forma valorisando muito mais o aspecto do veiculo,outra questao todos veiculos hibrido do mundo ,todos ate o modelo chileno utilizam veiculos low entry, entrada baixa ,aonde fica a acessibilidade? outra situaçao foi a propaganda feita pela cidade a respeito dos hibribus de curitiba ,na epoca dos primeiros teste foi utilizado o modelo importado sueco monobloco volvo 7700 hybride, que me desculpem, tive a oportunidade de andar nele no interbairros II de longe muito diferente do modelo atual apresentado, no entanto mais uma vez curitiba mostra preocupaçao com o meio anbiente diante do que esta cidade vem se transformando, um polo em todos os sentidos ,cada vez mais atraindo pessoas a conhecer nossa cidade ,numa segunda oportunidaqde voltam ,ja para firmar residencia nessa capital.

  6. A Volvo já pensa em ônibus híbridos há um bo mtempo : veja esse modelo em 1985 :http://buswikia.blogspot.com.br/2012/06/volvo-flywheel-onibus-hibrido-e-energia.html

  7. muita inovador gostei parabéns

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: