GREVE DO METRÔ E DA CPTM: Ministério Público quer saber de quem são as responsabilidades

metrô

Funcionária do Metrô usa mega fone na Estação da Sé, a mais movimentada do sistema. Greve de metroviários atinge a cerca de 4 milhões de pessoas. Foto: BOL

GREVE DO METRÔ E NA CPTM: Ministério Público vai investigar responsabilidades
Órgão quer saber os motivos pelos quais os sindicatos de trabalhadores não seguiram determinação da Justiça de operação durante o protesto, enquanto PT e PSDB politizam um assunto que deveria ser estritamente de serviços à população
ADAMO BAZANI – CBN

Enquanto o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o Sindicato dos Metroviários, trocam farpas e o PT entra no meio da briga, dizendo que o PSDB quer se eximir da responsabilidade pela paralisação, politizando um assunto que deveria se restringir à prestação de serviços para milhões de passageiros, o Ministério Público de São Paulo, instaurou um inquérito civil para apurar até que ponto os sindicatos dos trabalhadores do Metrô e de parte da CPTM são responsáveis de fato pelo prejuízo no ir e vir das pessoas atingidas pela paralisação.
De acordo com o Ministério Público, as lideranças sindicais desrespeitaram a Justiça.
“Os primeiros informes dão conta de paralisação parcial do sistema de transporte urbano sobre trilhos – Metrô (linhas 1, 2, e 3) e CPTM (linhas 11 e 12) – em desrespeito à decisão judicial proferida pela desembargadora Anélia Li Chum, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, determinando que os funcionários deveriam manter 100% do efetivo nos horários de pico (das 5h às 9h e das 17h às 20h) e 85% nos demais horários e que, segundo informações colhidas nos meios de comunicação, tal decisão não seria cumprida pelos sindicatos”.
O Ministério Público vê indícios de violação à Política de Nacional de Mobilidade Urbana comprometendo a acessibilidade universal aos transportes, a eficácia na prestação de serviços e a segurança dos passageiros.
Ofícios foram encaminhados para o Sindicatos dos Metroviários e Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central do Brasil, que representa os funcionários das linhas 11 e 12 da CPTM.
Os metroviários em São Paulo reivindicam aumento salarial de 20,12%, sendo 5,13% de reposição por conta da inflação e 14,99% de ganhos reais. O metrô oferece 4,20%, dos quais 4,15% de reposição salarial e 0,5% de ganho real.
Já os ferroviários pedem 0,83% de reajustes, sendo 5,83% de reposição inflacionária e 5% de aumento real.

ALTERNATIVAS PARA OS PASSAGEIROS:

A greve dos metroviários em São Paulo e dos ferroviários das linhas 11 Coral (Luz – Estudantes) e 12 Safira (Brás – Calmon Viana) deixa sem muitas opções de deslocamento para boa parte dos passageiros.
Mesmo assim, com algumas dificuldades, existem algumas alternativas.

ZONA SUL PARA O CENTRO:

Quem está em parte da zona Sul de São Paulo pode usar a linha 5 Lilás (Capão Redondo – Largo Treze), que opera com velocidade reduzida, mas pelo menos tem as composições em operações. Esta linha permite conexão com a linha 9 Esmeralda, da CPTM, na Estação Santo Amaro, que não está parada. Depois, a linha Esmeralda, no sentido Ceasa permite integração com a Linha 4 Amarela na estação Pinheiros. De lá, é possível seguir para a região da Estação da Luz no Centro.

REGIÃO DO IPIRANGA E SACOMÃ PARA A AVENIDA PAULISTA

Os passageiros podem optar por linhas intermunicipais do ABC Paulista que seguem para a Paulista. Além disso, há linhas municipais que passam nas proximidades do Museu do Ipiranga. Mas saia cedo, além de enfrentarem o trânsito, estas linhas de ônibus dão bastante volta.

REGIÃO DO IPIRANGA PARA A REGIÃO CENTRAL:

Linhas intermunicipais no ABC Paulista vão para o Parque Dom Pedro II, de onde saem ônibus para diversas regiões de São Paulo. Além disso, o passageiro pode embarcar na estação Sacomã, do Expresso Tiradentes, antigo Fura Fila. Ele sai de parte da zona Leste para o Centro e de Sacomã para o centro.

REGIÃO DE ITAQUERA PARA O CENTRO DA CIDADE:

É um dos piores trajetos a serem feitos, porque além da linha 3 Vermelha do Metrô, as linhas 11 e 12 da CPTM estão paradas na região.
A SPTrans prolongou várias linhas de ônibus até a região central. Mas o trânsito e a lotação dos ônibus enfrentados pelos passageiros é grande.

REGIÃO DA BARRA FUNDA – CENTRO:

Da Estação Barra Funda saem alguns ônibus no sentido da Região Central da cidade.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: