Greve de ônibus em Teresina prejudica cerca de 300 mil passageiros

teresina

Ônibus particulares foram cadastrados pela STrans – Superintendência de Transportes e Trânsito de Teresina para minimizarem o impacto da greve dos motoristas e cobradores. Veículos não oferecem a possibilidade de integração, mas gratuidade para idosos e deficientes e meia passagem para estudantes estão garantidas. Foto: Evelin Santos/Cidade Verde.com

Polícia Militar tem de intervir em greve de ônibus em Teresina
Quase 300 mil pessoas estão sendo prejudicadas em paralisação na capital piauiense
ADAMO BAZANI – CBN
A greve de motoristas e cobradores de ônibus em Teresina, no Piauí, prejudica cerca de 300 mil pessoas e teve de mobilizar a Polícia Militar.
Os policiais tiveram de intervir na porta das garagens para a saída de alguns ônibus que tiveram de cumprir a frota mínima de 30% dos veículos em circulação. Houve piquetes na frente de algumas garagens.
A Strans – Superintendência de Transporte e Trânsito de Teresina ainda não tem um balanço sobre o cumprimento da frota mínima exigida por lei.
O Sintetro, sindicato dos rodoviários, inicialmente pedia um reajuste de 15% nos salários dos motoristas e cobradores, mas aceitava negociar com uma contraproposta de 12%.
O Setut – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina ofereceu proposta de 10% de reajuste, o que foi negado pela categoria no último final de semana.
O sistema de Teresina é formado por cerca de 3,5 mil trabalhadores nas ruas do setor de transportes.

ÔNIBUS EXTRAS E INTEGRAÇÃO:

Para minimizar os impactos da paralisação, a Strans cadastra ônibus particulares para os serviços de transportes na cidade.
Cerca de 50 ônibus foram cadastrados até o momento, mas o número de ônibus tem sido insuficiente e os passageiros enfrentam muitas dificuldades.
Estes veículos particulares não aceitam cartão eletrônico e nem oferecem a integração dos ônibus regulares. Pela integração é possível andar em dois ônibus pagando apenas uma tarifa, de R$ 2,10 no período de duas horas.
Os estudantes têm o direito de pagar meia passagem, em dinheiro, desde que apresentem a carteira escolar.
Idosos, portadores de deficiência física e outras pessoas com direito a gratuidade não precisam pagar passagem nos ônibus particulares cadastrados desde que se identifiquem.
De acordo com o Sintetro, sindicato dos trabalhadores, a paralisação é por tempo indeterminado.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Greve de ônibus em Teresina prejudica cerca de 300 mil passageiros

  1. Este Ciferal GLS da foto lembra-me alguns onibus que circularam em CUBATÃO, pela extinta ECTC. Seria este um deles ? Tinham chassis Ford, os unicos da Baixada Santista.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: