Dilma anuncia R$ 32 bi para transportes

PAC da Mobilidade

Corredores de ônibus serão algumas das obras realizadas com recursos de nova fase do AC da Mobilidade anunciado nesta terça-feira pela presidente Dilma Rousseff. Obras vão auxiliar na mobilidade, no desempenho econômico das cidades e na redução da poluição.

Dilma anuncia mais investimentos para transportes
Fase do PAC da Mobilidade Urbana vai destinar R$ 32 bilhões para obras de metrô e corredores de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
A presidente Dilma Rousseff anunciou na tarde desta terça-feira, dia 24 de abril de 2012, a liberação de R$ 32 bilhões, em cerimônia no Palácio do Planalto, dentro do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento – Mobilidade Urbana Grandes Cidades.
Serão contemplados 51 cidades de 18 estados.
Deste total, R$ 22 bilhões virão do Governo Federal e outros R$ 10 milhões como contrapartida dos estados.
O dinheiro deve ser aplicado em obras de expansão e criação de redes de metrô, de VLT (Veículos Leves sobre Trilhos), corredores de ônibus expressos e BRT – Bus Rapid Transit, corredores de ônibus mais modernos.
Foram feitos os anúncios oficiais dos projetos durante a cerimônia.
Parta Dilma Rousseff, o PAC da Mobilidade é mais uma maneira de estados e Governo Federal interagirem de maneira melhor para que a população seja atendida na área de transportes.
Antes do anúncio do Brasil para sediar a Copa do Mundo, praticamente o Governo Federal se eximia do tema transportes públicos, embora Dilma tenha afirmado que esta fase do PAC não tem relação direta com o mundial de futebol. Tanto é que serão contempladas cidades que não vão sediar as competições mundiais.
As cidade de Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro já tiveram investimentos anunciados nesta área.
Os transportes de média e de alta capacidade são o foco deste PAC da Mobilidade.
Entre as obras previstas nas cidades estão:
– 600 quilômetros de corredores de ônibus.
– 380 terminais e estações
– 200 quilômetros de metrô
– 1000 veículos sobre trilhos.
De acordo com o Ministério das Cidades, estas obras devem beneficiar 53 milhões de pessoas diretamente.
Segundo o Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, além de melhorar o ir e vir das pessoas, as obras vão gerar empregos, melhorar o rendimento econômico das cidades, que perdem muito dinheiro com trânsito, e auxiliar na redução da poluição, principalmente emissão de gases poluentes do ar.
Aguinaldpo estime que uma melhor mobilidade pode “devolver” à vida das pessoas cerca de um mês por ano pelo fato de não ficarem presas em engarrafamentos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

5 comentários em Dilma anuncia R$ 32 bi para transportes

  1. É, antes tarde do que nunca. A muito se clama por melhoria nesse setor, mas nunca se sabe quando isso acontecerá – ou, na melhor das hipóteses, atenuar o problema. A critica não pára por aí: se esses 600 corredores de ônibus forem como o tal passa rápido será exatamente um atenuante, ja que essa faixa de ônibus não passa disso mesmo, uma mera faixa semi exclusiva de ônibus. Isso porque é muito fácil simplesmente pintar uma divisória e dizer que fez um corredor de ônibus. Corredor de ônibus tem que ser segregado! Quando o corredor de Diadema chegou a São Paulo transformou-se em um passa rápido. Por isso espero que essa idéia não se repita nesse programa do governo federal.

    Por isso que se um projeto for caro mas eficiente, vale a pena. Se bem que um corredor exclusivo de ônibus não quer dizer que seja caro por ser isolado das faixas convencionais. Eu costumo criticar os VLTs por me parecer uma oposição aos BRTs. Mas se for melhor para o usário, mesmo sendo mais caro que o sistema de ônibus, que se construa. Depende da necessidade e capacidade orçamentária de cada cidade: se um municipio não poder implantar metrô ou trem de superficie (não vem ao caso o motivo), o VLT faz o papel do veículo ferroviário – por ser uma versão “micro” dos trens. Modal, aliás, indispensável! O BRT, nesse caso, seria um complemento do sistema férreo.

    Perceberam que o transporte fluvial não foi considerado nesse pacote de investimentos? Nem toda cidade tem rio poluido (eu acho rsrs). É uma opção que deveria ter sido considerada.
    Apesar das ponderações, é torcer que dê certo. Boa sorte para todos nós e que os ônibus sejam realmente contemplados, ja que são responsáveis pela maior parcela de deslocamentos coletivos da população urbana e que são os mais difamados por não existir compromisso político em relação á eles! Amém.

    • BRT polui mto mais que o VLT. Além disso, o VLT tem custo de implantação maior, porém de manutenção bem menor, sem contar que tem capacidade de carregamento maior que um ônibus bi-articulado. Tem que se pensar tb no fator ambiental. Ambos retiram carros das ruas, mas o VLT seria bem mais aceito que os ônibus pelo fato de ser ecologicamente limpo.

    • Será que um dia vai ter transporte fluvial no rio tietê e pinheiros?

  2. quero ver…..prometem e falam o valor e na hora gastam tudo e parace que fizeram nada….torço para o melho!!

  3. o monotrilho de são bernardo só em 2020! vai demorar muito …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: