Greve de ônibus: Não se confunda

onibus

Ônibus foram atingidos por ovos e pedras jogados por manifestantes que tentavam impedir os colegas de trabalhar em Nova Iguaçu. Na região de Niterói e São Gonçalo, greve continua no final de semana. Na Baixada Fluminense foi suspensa até segunda-feira. Foto: Jadson Marques / R 7

Greve é suspensa na Baixada Fluminense e continua na região de Niterói
Passageiro não deve se confundir. Na região de Niterói e São Gonçalo, serviços não vão operar. Já na Baixada, voltam ao normal até segunda-feira
ADAMO BAZANI – CBN

Os passageiros de ônibus do Estado do Rio de Janeiro devem estar atentos para não se confundirem em relação à greve de motoristas e cobradores.
Nos municípios da Baixada Fluminense, a greve foi suspensa até segunda-feira, e os serviços devem ser normais neste final de semana. A decisão foi tomada no início da noite desta sexta-feira em assembléia da categoria.
Já na região de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maracá e Tanguá, a greve continua neste final de semana.
Ocorre que são dois sindicatos de trabalhadores diferentes apesar de as reivindicações serem as mesmas.
A base de Niterói, Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Niterói e Arraial do Cabo – Sintronac, após reunião de conciliação na Justiça do Trabalho ter terminado sem acordo, quis manter a greve. O Sindicato foi multado em R$ 100 mil por dia de paralisação pela Justiça por não cumprir a frota mínima de 40% dos veículos circulando durante a greve.
Já a base da Baixada Fluminense é representada pelo Sindicato dos Rodoviários de Nova Iguaçu. A paralisação, de acordo com o Transônibus, sindicato das empresas, atingiu as cidades de Nova Iguaçu, São João do Meriti, Nilópolis, Belford Roxo e Mesquista. Nestes municípios, a greve está suspensa.
Somando a Baixada Fluminense e a região de Niterói e São Gonçalo, a greve afetou 2,3 milhões de pessoas que ficaram sem transporte coletivo.
A pauta de reivindicação das duas bases sindicais é a mesma:

– Aumento Salarial de 16%
– Reajuste no valor da Cesta Básica de 50%
– Fim da dupla função de motoristas que dirigem os ônibus e cobram ao mesmo tempo.
– Término da função de motorista júnior, cujos salários são menores.

As empresas de ônibus oferecem:

– Reajuste salarial de 10%
– Aumento no valor da cesta básica de 25%
– Manutenção das funções atuais.
As empresas retiraram essa proposta e baixaram a sugestão de reajuste salarial para 5,6%. A justiça pediu a manutenção da proposta, mas as empresas condicionaram a manutenção ao retorno ao trabalho nesta sexta-feira, o que não ocorreu.

Em Nova Iguaçu, houve tumulto no terminal da cidade, nesta sexta-feira. Manifestantes tentaram impedir os colegas de trabalhar. Ônibus foram atingidos por pedras e ovos, uma bomba foi estourada no terminal por causa do tumulto um ônibus acabou batendo no outro.
O trânsito ficou complicado na volta para casa em São Gonçalo, Niterói e parte da cidade do Rio de Janeiro na noite desta sexta-feira.
As vans continuaram a ter preços de passagens abusivos, com passagens até de R$ 20,00
Uma nova reunião de conciliação entre empresas e trabalhadores foi marcada para segunda-feira na parte da tarde.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

3 comentários em Greve de ônibus: Não se confunda

  1. Vinicius Gonçalves // 31 de Março de 2012 às 03:21 // Responder

    A greve está sendo ótima por um lado, pois não ta tendo aula aqui em Niterói…

  2. Nem aqui em Itaborai, hahahaha

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: