GREVE DE ÔNIBUS EM BH: Movimento nos terminais abaixo do prometido

BH Greve

Polícia Militar teve de garantir a segurança na porta de algumas garagens em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Sindicato reviu proposta de reajuste salarial. Foto: Renato Well – EM DA/Press

Greve de ônibus em BH: Alguns terminais estão abaixo do percentual prometido pelo Sindicato
Algumas estações ficaram fechadas e outras tiveram pouco movimento de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
Apesar do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários de Belo Horizonte – STTR-BH ter prometido frota mínima de 30% de ônibus em operação, a BHTrans, empresa que gerencia os transportes da região, registrou movimento baixo deste valor terminais da capital mineira e na região metropolitana.
De acordo com o balanço divulgado agora às 10h30 pela gerenciadora, as estações Barreiro e Diamante ficaram sem serviços de ônibus.
Na estação Venda Nova o número de atendimentos superou o prometido pelo sindicado e houve 43% das operações.
Mas nas estações Vilarinho e São Gabriel, a movimentação de ônibus foi muito baixa.
Na Vilarinho houve 28% dos atendimentos e na São Gabriel, 27% dos serviços.

NOVA PROPOSTA:

O Sindicato dos Rodoviários modificou a proposta de reajuste salarial. Anteriormente, a categoria reivindicava reajuste de 49%. Agora trabalha com reivindicação de aumento de 20%. Com isso, os salários dos motoristas e despachantes subiriam para R$ 1632,00 e o de cobradores para R$ 816,00.
As demais reivindicações permanecem: redução da jornada de trabalho para 6 horas diárias, aumento para 30 folhas de tíquete-alimentação no valor de R$ 15,00, fim da dupla função (motoristas que também cobram), banheiros femininos nos terminais e Participação nos Lucros e Resultados.
As empresas ofereceram aumento salarial de 13% condicionado à elevação na carga horária em 20 minutos ou 6% sem alteração de carga horária. Pelas empresas de ônibus, o tíquete – alimentação subiria em 6% e a Participação nos Lucros seria de R$ 150,00 para quem ganha até R$ 1000,00 e de R$ 300,00 para quem recebe acima de R$ 300,00.
Em duas assembléias, os motoristas e cobradores rejeitaram as propostas.

TRÂNSITO:

O trânsito melhorou agora no final da manhã nas principais vias de Belo Horizonte e Região Metropolitana, mas ainda está acima do normal. Muita gente, sem a opção de ônibus, acabou usando veículos particulares para se deslocarem, o que agravou os congestionamentos.
As vias mais afetadas foram: Cristiano Machado, Avenida Dom Pedro I, Avenida Dom Pedro II, Avenida Antônio Carlos, Via expressa, Viaduto Castello Branco, Pampulha, MG – 10, Avenida Amazonas.
Houve também casos de depredações de ônibus nos bairros Floresta, Caiçara, Carlos Prates e Palmeira. Um motorista foi ferido pelas pedradas e outro foi preso porque retirou as chaves de alguns ônibus no meio da rua para impedir que os colegas trabalhassem.
Passageiros tiveram de abandonar os ônibus.
O sistema de Belo Horizonte conta com 3010 veículos em 296 linhas que realizam 27,5 mil viagens por dia. Só na capital mineira, dependem de ônibus pouco mais de 1.6 milhão de passageiros.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

3 comentários em GREVE DE ÔNIBUS EM BH: Movimento nos terminais abaixo do prometido

  1. Eles prometem um minimo de 30% de ônibus em funcionaento más não é assim que funciona, a linha 2004 por exemplo sentido olhos d’água esperei mais de uma hora e nenhum passou. A greve pode ser feita, más os motoristas e cobradores devem respeitar a população que necessita dos mesmos para ir trabalhar, faculdades ou o destino que lhes desejam.

  2. Esperei o 9250 sentido nova cintra e nada, fiquei dede as 07:20 e so foi aparecer um as 9:00 no BH Shoping

  3. o Gente, 30% da frota geral, que são de mais de 2000 ônibus. Não foi prometido 30% da frota para cada linha. Avaliem direito o que foi dito.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: