Operação do Detro e DESCASO nos transportes do Rio de Janeiro

Operação Detro

Fiscais do Detro em operação contra irregularidades em ônibus que prestam serviços intermunicipais no Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira, em mais uma operação do Departamento de Transportes Rodoviários, foram recolhidos 99 ônibus de grandes empresas com os mais diversos problemas, como documentação vencida, alteração nas características originais dos veículos, dupla função do motorista, catracas em ônibus rodoviários, além de irregularidades por falta de manutenção, que iam desde limpadores de para brisa quebrados e equipamentos para portadores de necessidades especiais sem funcionar.

Operação recolhe 99 ônibus intermunicipais do Rio de Janeiro por irregularidades
Problemas detectados iam desde documentação vencida até catraca em ônibus rodoviários e dupla função de motoristas

ADAMO BAZANI – CBN

Mais uma operação do Detro, Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro, mostrou como são tratados os passageiros do sistema de ônibus intermunicipais do estado: com descaso, segundo o próprio presidente em exercício da autarquia Alcino Rodrigues.
Das 06 horas às 10 horas da manhã desta segunda-feira, dia 27 de fevereiro de 2012, quando a operação foi realizada em diversos terminais, 99 ônibus foram recolhidos. Além disso, foram aplicadas 119 multas.
Este descaso se via por todas as partes. Vários ônibus tinham documentos vencidos e outros estavam com características adulteradas, como bancos no lugar do posto de cobrador, com motorista assumindo a dupla função de dirigir e cobrar, o que é proibido nos intermunicipais, catraca em ônibus rodoviários, documentos vencidos e problemas de conservação que iam desde defeito nos limpadores de para-brisa, falta de extintor de incêndio, pneus carecas e não funcionamento de rampas e elevadores que deveriam garantir a acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida.
E os problemas não ocorrem com empresas piratas e transportadores autônomos. Pelo contrário, as fiscalizações são feitas em serviços regulares prestados por grandes companhias.
Entre as que tiveram ônibus apreendidos nesta segunda-feira estão: Jurema, Rio Ita, Limousine Carioca, Auto Viação 1001, Nossa Senhora do Amparo, Transmil, Mageli, Master, Caravelle, Reginas, Tinguá, União, Macaense, Teresópolis, Ponte Alta, São José, Expresso Mangaratiba, Vera Cruz, Flores, Santa Teresinha, São Cristóvão, Macabu, Mauá, ABC, Fagundes, Viação Brasil, São João Baptista, Normandy, Resendense e Colitur.
As apreensões e multas foram realizadas em vários terminais do Estado do Rio de Janeiro.
Acompanhe matéria do Jornal O Dia On Line
A fiscalização do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) retornou, na manhã desta segunda-feira, a vários terminais do estado para checar as condições da frota de ônibus que opera as linhas intermunicipais. Como resultado da ação, 99 veículos foram recolhidos às garagens das empresas e 119 infrações foram aplicadas por irregularidades diversas. O valor das multas aplicadas está entre R$ 503,56 e R$ 2.275,20, sendo que, nos casos de reincidência, este valor é duplicado.
A fiscalização teve início às 6h e prosseguiu até as 10h, com veículos recolhidos nos terminais da Misericórdia (Praça XV), Menezes Cortes, Américo Fontenelle (Central), Rodoviária Novo Rio, Campo Grande e na Pavuna, no Rio; Duque de Caxias, Itaguaí, Nilópolis e São João de Meriti, na Baixada Fluminense; João Goulart, em Niterói; Alcântara, em São Gonçalo; Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana; Itaperuna, Macaé e Campos, no Norte do estado; Paraty, no Sul Fluminense; e em Volta Redonda e Barra Mansa, no Vale do Paraíba.
“É inaceitável que aqueles que têm a obrigação de prestar à população um serviço seguro e de qualidade, teimem em não cumprir com este compromisso. O direito de ir e vir tem que ser assegurado ao cidadão e o transporte público é base para o exercício do mesmo, assim como para o desenvolvimento de qualquer região. Se os empresários não cumprem com a sua obrigação, o Detro cumpre com a dele que é a de fiscalizar sem tréguas as prestadoras de serviço a fim de garantir aos usuários uma frota capaz de transportá-los com segurança e presteza”, afirma Alcino Rodrigues Carvalho, presidente em exercício do Detro.
As principais irregularidades encontradas foram a alteração de características (instalação de roleta em ônibus rodoviário ou substituição do banco do trocador por de passageiros), descumprimento do edital do Detro, dupla função do motorista, rampa para portador de deficiência defeituosa, limpador de para-brisa e iluminação defeituosos, falta de equipamentos de segurança como extintor, estacionamento em fila dupla, veículo sem registro no Detro e documentação em atraso.
No Rio, tiveram ônibus recolhidos no terminal da Praça XV, as empresas Jurema (dois por alteração de características) e Rio Ita (um por alteração de características e um por CRLV atrasado e bancos a mais, além de três veículos infracionados por dupla função). No Menezes Cortes, foram recolhidos veículos da Limousine Carioca (dois por alteração de características), da 1001 (um por alteração de características) e da Nossa Senhora do Amparo (três por alteração de características).
No Américo Fontenelle (Central) foram mandados para as garagens por trafegarem com limpador de para-brisa inoperante veículos da Transmil (dois), da Mageli (um) e da Master (um); e por circularem com iluminação inoperante um veículo da Caravelle, um da Reginas, um da Tinguá e outro da União. A Reginas teve também um ônibus apreendido por pneus lisos.
Ainda na Capital, na Rodoviária Novo Rio, houve apreensões nas empresas Costa Verde (um por alteração de características), Macaense (um por CRLV atrasado), Teresópolis (um por para-brisa trincado e outros dois por alteração de características) e 1001 (um por alteração de características), além das infrações aplicadas na Costa Verde (um), Única (um) e Útil (um) por falta dos adesivos obrigatórios. Na Pavuna, foi apreendido um ônibus da São José que teve quatro infrações por CRLV vencido, falta de documentação obrigatória, falta de selo e tacógrafo inoperante e um outro da Vila Rica por limpador de para-brisa inoperante. E, por fim, em Campo Grande, três veículos da Expresso Mangaratiba foram recolhidos, sendo dois por alteração de características e um terceiro por limpador de para-brisa inoperante.
Na Baixada Fluminense, em Duque de Caxias, foi recolhido um ônibus da Vera Cruz por para-brisa trincado; dois da Master por iluminação inoperante; dois da Expresso Mangaratiba por alteração de características e iluminação inoperante; um da União por iluminação inoperante, empresa que teve também outro veículo infracionado por estar parado com o motor ligado; e um da Flores por iluminação inoperante.
Em São João de Meriti, foram flagradas irregularidades em veículos da Santa Terezinha (um apreendido por limpador de para-brisa inoperante e outro infracionado por falta de adesivos) e da Flores (três apreendidos por limpador de para-brisa inoperante, um infracionado por rampa de portador de deficiência inoperante e outro infracionado por falta de adesivos obrigatórios). Em Nilópolis, foram apreendidos ônibus da Cruzeiro do Sul (um por CRLV atrasado), da Ponte Coberta (um por limpador de para-brisa inoperante) e da Transmil (um por CRLV atrasado). Finalmente, em Itaguaí, foram mandados para as garagens seis ônibus da Expresso Magaratiba, sendo dois por CRLV atrasado, dois por limpador de para-brisa inoperante e dois por alteração de característica e aplicadas infrações em veículos da São Cristóvão e da Macabu – um de cada – por atraso superior a 10 minutos.
No Terminal João Goulart, em Niterói, foram para as garagens um ônibus da Rio Ita por não estar cadastrado no Detro; um da ABC por para-brisa trincado e falta de registro, empresa que teve também dois veículos infracionados por pararem em fila dupla; e um da Fagundes por falta de documento obrigatório, sendo que outros dois veículos da mesma empresa foram infracionados por pararem em fila dupla. A Estrela também teve um veículo infracionado por falta de adesivos. No Terminal do Alcântara, em São Gonçalo, a Fagundes teve quatro veículos recolhidos por CRLV atrasado e a Mauá outros quatro por iluminação inoperante, limpador de para-brisa inoperante, alteração de características e pneu liso.
No Norte do estado, as apreensões aconteceram em Itaperuna onde dois veículos da 1001 foram recolhidos por selo vencido; em Macaé, na 1001 (sete veículos, sendo cinco por selo vencido e dois por farol quebrado) e na Macaense (quatro por selo vencido e um por para-brisa trincado); e em Campos dos Goytacazes, onde a 1001 teve quatro carros recolhidos por selo vencido e outros dois por farol trincado, sendo este último, o mesmo motivo para apreensão de outro ônibus da Brasil.
Já no Sul Fluminense, houve registro de dois veículos da Colitur recolhidos em Paraty, por mau estado de conservação e CRLV vencido. Na Região Serrana, em Teresópolis, os fiscais do Detro recolheram três ônibus da Viação Teresópolis por iluminação inoperante e para-brisa trincado e; em Nova Friburgo, dois da Viação Teresópolis por iluminação inoperante e falta de CAT, um da Viação Brasil por falta do seguro obrigatório, dois da Natividade por falta do CAT e quatro da 1001 por iluminação inoperante, CAT vencido e falta de selo.
Por fim, no Vale do Paraíba, um ônibus da Aparecida foi infracionado em Barra Mansa por falta de adesivos obrigatórios, enquanto em Volta Redonda, três ônibus foram apreendidos das empresas Normandy, São João Baptista e Resendense por extintor vazio e um quarto da Colitur por iluminação inoperante.
Texto Inicial: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes
Matéria: O Dia On Line e Assessoria do Detro.

4 comentários em Operação do Detro e DESCASO nos transportes do Rio de Janeiro

  1. Boa noite.

    Depois, só o GRANDE presta um bom serviço.

    Abçs.

  2. Sou gestor de manutenção de frota (atualmente desempregado) e o que tenho visto em empresas é justamente a falta de manutenção. As empresas não investem na manutenção de suas frotas. A poucos dias saí de uma empresa que trabalhei por um mês aqui em SP, justamente por não terem responsabilidade na manutenção da frota e eu como gestor não posso aceitar isso. É uma empresa grande de quase 200 onibus. Veículos saem da garagem com lonas de freio desgastadas entre outras coisas. Tenho um blog onde procuro mostrar a importancia da manutenção da frota http://manutencaofrota.blogspot.com (um desabafo… acho que estou desempregado por isso… quero trabalhar corretamente…e com responsabilidade….) me ajude Adamo a mostrar a importância da manutenção de frota.

    • Boa noite, Eduardo!

      Também estou no mesmo barco que você meu amigo. Trabalhei em uma empresa de ônibus urbanos no interior de Minas Gerais por aproximadamente 20 anos, passei por todos os setores da empresa de cobrador a gerente e me orgulho disso. Saí e fui trabalhar em transporte de cargas, e apos quatro anos fui convidado a retornar a empresa de ônibus. Fiquei lá por dois meses, mas tive que pedir demissão por não concordar com os procedimentos adotados pela empresa, limitando gastos e fazendo aproveitamentos que colocam os veículos em situação de risco, dos quais não quero ser responsabilizados. Um grande abraço.

  3. Opa, pode contar comigo no que precisar. Aqui no Blog há artigos sobre manutenção preventiva. Vou te mandar um texto interessante também sobre manutenção preditiva em ônibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: