ÔNIBUS EM CURITIBA PODE VOLTAR AINDA HOJE

GREVE CURITIBA

Ônibus em Curitiba podem voltar a operar ainda hoje. Foto: Adamo Bazani

Empresários aceitam reajustar em 10,5% os salários dos motoristas
Proposta foi apresentada pelo Ministério Público do Trabalho e pode terminar com a greve

ADAMO BAZANI – CBN

Os empresários de ônibus concordaram em aumentar em 10,5% os salários dos motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana.
A proposta foi feita pelo Ministério Público do Trabalho e deve ser discutida por volta das 15 horas entre os trabalhadores numa audiência realizada pelo sindicato no centro da capital Paranaense.
O órgão também propôs o aumento do vale alimentação para R$ 200 e um abono único de R$ 300 nos salários de junho.
Os donos de empresa de ônibus deram como condição de cumprir as propostas a volta de 100% dos serviços.
O Sindimoc sw comprometeu a incentivar os trabalhadores a colocarem 50% da frota em operação nos horários convencionais e 70% nos horários de pico.
Por conta do descumprimento da determinação judicial quanto a frota, o Ministério Público sugeriu aumento da multa ao sindicato dos trabalhadores de R$ 100 mil para R$ 300 mil.
Após a assembléia dos trabalhadores, deve haver uma nova reunião no TRT – Tribunal Regional do Trabalho, em Curitiba
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

6 comentários em ÔNIBUS EM CURITIBA PODE VOLTAR AINDA HOJE

  1. J.: E.: H.: morador do BAIRRO NOVO // 15 de Fevereiro de 2012 às 16:30 // Responder

    Ninguém é amigo de ninguém aqui em Curitiba, tomara que termine isso e ver qual outro setor nessa semana que vai entrar em greve aposto na Guarda Municipal de Curitiba.

  2. O episódio serve para alguma coisa. Para mim, baseado na notícia acima, é que os empresários foram inconsequentes. Se houvesse um mínimo de intenção de trabalhar em cima destes pontos a greve seria evitada. Fica evidente que os empresários não tem compromisso nem com seus passageiros nem com a cidade. Vida que segue.

  3. E a falácia continua.

    Ei, vocês motoristas, ou seja lá o que forem, que comentam nesse blog, o que significa essa postura de superioridade com ar de quem a sociedade necessita para sobreviver? Vi comentários aqui dizendo: “viu só, se não trabalharmos a cidade pára!”; ou “a cidade toda depende de nós”. Que maneira de pensar mais equivocada. E vocês senhores ‘deuses’ são dependentes do quê? O salto alto vai cair quando vocês lembrarem que vocês e suas famílias dependem da população. Isso mesmo, vocês dependem de médicos, de motoristas de ônibus (também), de auxiliares de produção, de eletricistas, de policiais, etc.

    Onde querem chegar dizendo um absurdo de tal natureza? A cidade parou porque os motoristas e cobradores entraram em greve – FATO. Mas sobrevivemos sem ônibus. Ainda respiramos! Agora, se a categoria de médicos entrar em greve amanhã? O que vocês motoristas, assim como toda a população, vai fazer para tratar uma doença caso algum ente querido seu venha a sofrer? Vocês vão apoia-los e dizer: “está certo, os médicos ganham pouco, procurem seus direitos e a população que se ‘foda’”. (claro que isso é uma situação hipotética, pois não entra em questão aqui se médico ganha bem ou não, e sim a intensidade do problema).

    Não importa o que digam senhores críticos, podem vir aqui em baixo e deixar vossas subjetividades voarem livres – CRITIQUEM. O fato é que greves atingem os grevistas e o proletariado, não os empregadores (esse é o objetivo na cabeça dos grevistas, mas não acerta o alvo).

    AS PESSOAS MAIS RICAS DA MINHA RUA NÃO DEPENDEM DE ÔNIBUS.
    OS FILHOS DOS EMPREGADORES QUE VOCÊS QUEREM ATINGIR, SENHORES MOTORISTAS, NÃO DEPENDEM DE ÔNIBUS.
    OS GOVERNANTES DESSE PAÍS E DESSA CIDADE NÃO ESTÃO INDO DE A PÉ TRABALHAR.

    SE MANIFESTEM SEM PREJUDICAR AQUELES QUE ESTÃO NO MESMO BARCO QUE VOCÊS.

    • Caro Marcel, por favor, dê uma outra solução para que a reivindicação dessa classe seja atendida. Apenas apontar um “problema” não leva a lugar algum.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: