GREVE DE ÔNIBUS EM CURITIBA NESTA TERÇA-FEIRA

gREVE DE ÔNIBUS EM cURITIBA
Ônibus que presta serviços na RIT – Rede Integrada de Transporte de Curitiba. Motorista e cobradores decidiram ENTRAR EM GREVE NESTA TERÇA-FEIRA

Greve de ônibus em Curitiba nesta terça-feira
Cerca de 2,5 milhões de passageiros dependem dos ônibus da RIT – Rede Integrada de Transporte que servem a Capital Paranaense e a região metropolitana
ADAMO BAZANI – CBN
Motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e região Metropolitana decidiram em Assembléia, realizada na noite desta segunda-feira, a entrar em greve nesta terça-feira, dia 14 de fevereiro de 2012.
A categoria pediu inicialmente 40% de aumento nos salários, 200% de reajuste no valor do vale-alimentação, melhores condições de trabalho, mais segurança, entre outros itens. A pauta de reivindicação é formada por 54 pedidos.
As empresas de ônibus ofereceram a contraproposta de reajuste de 7%, o que representa 1,3% a mais que as perdas inflacionárias.
Utilizam os ônibus da RIT – Rede Integrada de Transportes, cerca de 2, 5 milhões de passageiros por dia útil.
São mais de 2 mil 500 ônibus que prestam serviços em linhas convencionais, rápidas (com ônibus apelidados de Ligeirinho) e em corredores exclusivos do tipo BRT (Bus Rapid Transit).
A paralisação deve atingir todos os municípios que integram o sistema de ônibus integrados. Entre eles, além de Curitiba, estão: Almirante Tamandaré, Campo Largo, Colombo, Campo Magro, Pinhais, Araucária, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande.
De acordo com o Sindmoc, Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba, o salário da categoria sofria desatualização. De início, as empresas propuseram apenas a reposição das perdas da inflação anual.
Os trabalhadores também pedem mudança nas escalas de trabalho. Hoje são 07 dias de trabalho e uma folga. A categoria pede seis dias de trabalho e um de folga, alegando que pela atual escala, as folgas semnanais que os trabalhadores teriam como direito acabam sendo reduzidas, é a chamada pelo Sindimoc de semana de 08 dias.
A expectativa é de que uma frota mínima de 30% dos ônibus saiam para as ruas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.