Greve de ônibus em Curitiba será decidida hoje

greve de ônibus
Motoristas e cobradores de ônibus decidem se cruzam os braços nesta terça-feira. A categoria tem 54 itens de reivindicação, mas as principais são aumento de 40% nos salários, 200% no vale -alimentação e melhores condições de trabalho. Uma assembléia para apresentar aios trabalhadores a contraproposta das empresas será realizada hoje à noite. Foto: Adamo Bazani

Greve de ônibus em Curitiba será decidida em assembléia nesta segunda-feira
Trabalhadores do setor de transportes pedem 40% de reajuste salarial e mais 200% de aumento no vale-alimentação
ADAMO BAZANI – CBN
Passageiros do sistema de ônibus de Curitiba e região metropolitana devem estar atentos para a possibilidade de uma greve de motoristas e cobradores nesta terça-feira, dia 14 de fevereiro de 2012.
A paralisação deve ser decidida em assembléia nesta segunda-feira depois da apresentação de uma contraproposta dos empresários.
Podem ser prejudicados pelo menos 2, 5 milhões de passageiros só da RIT – Rede Integrada de Transporte, que possui 350 linhas e atende a Curitiba e municípios vizinhos em linhas expressas, de corredores e convencionais.
O indicativo de greve foi anunciado pelo Sindimoc – Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região já na sexta-feira, dia 10 de fevereiro de 2012, mas ainda sem decisão.
O sindicato reivindica aumento de 40% nos salários, 200% no vale-alimentação e mais segurança e melhores condições no trabalho. Ao todo, são 54 pedidos na pauta de reivindicação.
A entidade trabalhista vai analisar a proposta dos empresários de ônibus e levá-la à categoria em assembléia na noite desta segunda-feira.
GREVE EM SÃO PAULO:
A greve de motoristas e cobradores de ônibus anunciada para esta segunda-feira, dia 13 de fevereiro de 2012, na Capital Paulista foi cancelada.
Assim, os serviços de ônibus em São Paulo operam normalmente.
A categoria se queixava dos descontos nos salários dos motoristas quando as empresas eram multadas pela SPTrans.
Mesmo muitas das multas sendo geradas por erros dos motoristas, como parar fora de ponto, longe das plataformas, falar ao celular enquanto dirige, não usar o cinto de segurança, etc, o Sindmotoristas (Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores no Transporte Rodoviário Urbano) contestava o alto valor das infrações anotadas pela SPTrans previstas no Resam – Regulamento de Sanções e Multas.
Segundo o sindicato, muitas destas infrações são contempladas pelo CTB – Código de Trânsito Brasileiro, mas com valores inferiores.
Apesar de as empresas de ônibus se comprometerem a não mais descontarem os valores da SPTrans nos salários, mesmo com o erro dos motoristas, com a ameaça do sindicato dos trabalhadores elas devem se beneficiar, já que a Prefeitura de São Paulo se comprometeu em rever o Resam e a forma de atuação dos fiscais.
Atualmente, a SPTrans aplica cerca de 400 multas diárias.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes