Metrô vai passar 600 metros sob maciço do Cantagalo

Metrô Rio de Janeiro

Autoridades vistoriam obras da linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro. A fala de informações claras sobre os métodos e materiais usados nas obras causou desconfiança por parte da população.

Ampliação do metrô no Rio abrirá caminho de 600 metros sob maciço do Cantagalo

REPORTAGEM CBN

Após a reportagem da CBN sobre a polêmica criada pela falta de informações sobre a obra, Secretaria estadual de Transportes deu detalhes sobre a implantação das linhas 1 e 4, a partir da estação General Osório.

Depois que a Rádio CBN revelou uma polêmica sobre as obras de interligação entre as linhas 1 e 4 do metrô, a Secretaria estadual de Transportes informou os detalhes das obras para ampliar a estação General Osório. As obras começaram em janeiro de 2011 sob o maciço do Cantagalo ao lado do túnel Sá Freire Alvim, em Copacabana.

Segundo a secretaria, a perfuração sob o maciço do Cantagalo vai abrir um caminho de aproximadamente 600 metros com duas detonações por dia que utilizam cerca de 500 quilos de explosivos cada. As escavações, que avançam em média 7 metros por dia, têm previsão de término para abril de 2013.

A secretaria informou ainda que, para garantir a estabilidade do maciço, todas as escavações utilizam tirantes – peças metálicas para estruturar a escavação -, e que toda a extensão rochosa de paredes e tetos das galerias recebem camadas de telas metálicas e concreto projetado. Outras ações são realizadas para prevenir acidentes no local, como a utilização de sismógrafos, monitoramento das obras 24 horas via câmera de segurança e a presença de profissionais de segurança do trabalho que acompanham as equipes.

O metrô também informou que os prédios vizinhos à obra são monitorados por pinos de recalques que medem possíveis variações na vibração dos edifícios. Lembrando que o Relatório de Impacto Ambiental das obras na região será apresentado pela Comissão Estadual de Controle Ambiental em uma audiência pública na próxima segunda-feira. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) ainda não se pronunciou sobre o assunto.

2 comentários em Metrô vai passar 600 metros sob maciço do Cantagalo

  1. Esse senhor que aparece na foto publicada acima não entende de Transporte. Ele e o governador do Estado do Rio não respeitaram o projeto original do Metrô do Rio. Eles rasgaram o projeto existente, coisa aliás corriqueira em nosso país e transformaram alguma coisa que seria um Metrô em um trem urbano subterrâneo. A administração do Transporte na cidade do Rio de Janeiro vai assim seguindo com uma política de varejo. As coisas são administradas no dia-a-dia. Projeto para que?

  2. Armando Torres Fortes // 9 de Fevereiro de 2012 às 22:54 // Responder

    Concordo PauloZ,
    Concessionários de serviços de trens no Rio são constantemente presentados pelo Governo do RJ, que mesmo prestando um serviço digno-de-vaso-sanitário, ganham mais trens de “presente” sem investir um p-u-t-o no sistema. Isso que chamam de linha 4, na verdade, é uma extensão da linha 1 (para não fazer outra licitação, talvez?). Quero ver quando ficar pronto, abrirem as estações, e já no primeiro dia, uma massa incrível de pessoas sendo injetadas num trecho (linha 1) já saturada hoje. E ninguém vai preso!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: