Mesmo com greve de policiais e medo, transportes funcionam normalmente em Salvador

Publicado em: 3 de fevereiro de 2012

Bahia

Serviços de ônibus em Salvador foram normais, apesar de o sindicato ter ameaçado o recolhimento dos veículos se caso a onda de violência persistisse como consequencia da greve dos policiais da Bahia. Não houve ocorrências na sexta-feira. Homens da Força Nacional de Segurança Pública fizeram o patrulhamento na cidade. Em Fewira de Santana, houve paralisação de motoristas e cobradores de ônibus com medo da violência.

Salvador tem operação de ônibus normal
Sindicato dos Rodoviários ameaçou recolher os ônibus mais cedo, mas não houve registro de violência nesta sexta-feira
ADAMO BAZANI – CBN

A circulação dos ônibus urbanos municipais e intermunicipais de Salvador, na Bahia, será normal em toda esta sexta-feira.
Por causa da greve dos policiais militares do Estado da Bahia e o consequente medo da violência, o Sindicato dos Rodoviários da Bahia ameaçou recolher os ônibus mais cedo, a partir das 18 horas.
Mas como não houve registros de ações violentas no decorrer do dia, a categoria decidiu operar normalmente.
Desde a greve dos policiais, várias cidades registraram uma série de arrastões,k assaltos, tentativas de homicídio, saques e tiroteios.
Em relação aos transportes, uma das cidades mais atingidas foi Feira de Santana, que não teve pela manhã a circulação completa dos ônibus, o que trouxe diversos prejuízos aos passageiros.
Na cidade, um sargento da Polícia Militar, Valmir Ramos, de 52 anos, foi morto. Um suspeito também foi motor numa outra ocorrência.
Homens da Força Nacional de Segurança Pública e do Exército fazem o trabalho de prevenção e patrulhamento em Salvador.
Na cidade, de quinta-feira para sexta-feira foram registrados dois assaltos a ônibus, mas sem relação com a greve dos policiais.
O movimento grevista envolve cerca de 10 mil policiais na Bahia. O soldado Marco Prisco Caldas Nascimento, soldado Prisco, da Aspra – Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia é considerado um dos líderes da greve.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta