Projeto quer visor de velocidade em ônibus rodoviários

ônibus rodoviário

Ônibus interestadual. Projeto de Lei 2152/11, do deputado Nelson Bornier, propõe que ônibus que fazem ligações rodoviárias interestaduais tenham um visor no salão de passageiros que informa a velocidade do veículo. Objetivo é facilitar a fiscalização por parte dos passageiros que podem denunciar na hora abusos, já que ao lado do visor devem ser fixados telefones do DER, da Polícia Rodoviária e da empresa operadora de transporte. Boa parte dos acidentes com ônibus rodoviários ocorre por conta do excesso de velocidade. Foto: Adamo Bazani.

Ônibus interestaduais podem ter painel de velocidade
Objetivo do equipamento é informar ao passageiro se o motoristas está desrespeitando os limites e possibilitar denúncia em tempo real

ADAMO BAZANI – CBN

A cena é muito comum. O passageiro está num ônibus rodoviário, na estrada, e dá a impressão que o motorista está correndo muito. Ultrapassagens a caminhões, a outros ônibus e até carros de passeio.
Mas é difícil saber se a velocidade máxima permitida está sendo extrapolada porque não há nenhum referencial para o passageiro que não pode ir à cabine do motorista e ver o velocímetro.
Para auxiliar o passageiro a fiscalizar este aspecto, o deputado federal pelo Rio de Janeiro, Nelson Bornier, apresentou o Projeto de Lei PL 2152/11, que sugere a instalação de visores digitais nos ônibus que informam em tempo real a velocidade. A proposta se destina a veículos que fazem linhas interestaduais.
O equipamento, de acordo com a proposta, deve estar fora da cabine do motorista, no salão de passageiros, em local de fácil visualização, independentemente da claridade externa e interna e de onde o passageiro estiver sentado.
Ao lado do visor, devem estar colocados de maneira clara e simples telefones do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), da Polícia Rodoviária Federal e da empresa de ônibus, para o passageiro denunciar na hora possível abuso nas viagens.
O número do ônibus também deve ser colocado de maneira clara.
Boa parte dos acidentes envolvendo ônibus nas estradas é ocasionada pela alta velocidade dos veículos.
Se a denúncia for feita em tempo real, o ônibus pode ser até mesmo parado no próximo posto da Polícia Rodoviária.
O projeto de lei 2152/11 não precisa se aprovado em plenário, mas somente pelas comissões que vão apreciá-lo, tendo caráter de “apreciação conclusiva”.
A proposta foi encaminhada para a Comissão de Viação e Transportes, e aguarda parecer do relator deputado Newton Cardoso, e para a Comissão de Justiça e Cidadania.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

11 comentários em Projeto quer visor de velocidade em ônibus rodoviários

  1. Boa tarde.

    Tudo têm a sua importância. Entretanto, penso humildemente que, estamos diante de uma questão menor, haja vista, outras tantas de maior importância, como por exemplo, a desoneração tributária, do transporte de passageiros, não aprovada por sinal.

    Com este projeto, nossos legisladores, dão um pouco de pão e circo ao povo, tratando de temas pouco polêmicos e mais fáceis de serem aceitos, deixando de lado, questões realmente mais importantes.

    É uma pena.

    Abraço.

  2. Eu fico imaginando o que motiva um detentor de um mandato parlamentar fazer uma proposição destas. Se o senhor deputado tivesse um minuto de atenção e voltasse a atenção para o seu próprio estado verificaria que há linhas estaduais de ônibus que tem o prazer de cobrar centavos fazendo pouco caso da inteligência dos cidadãos (que são seus potenciais eleitores). Há entre as diversas linhas de ônibus intermunicipais do Estado do Rio uma que tem o preço afixado em R$ 33,33. Ou este preço é estampado na passagem para que o passageiro siba o que é uma dízima periódica, ou trata-se de uma falta de atenção mesmo com um cidadão que deve ser tratado com respeito.

    Não acredito nos burocratas que estão dominando os transportes. Podem colocar para rodar veículos banhados em ouro que, ainda assim, os passageiros não serão beneficiados.

  3. E quando o motorista estiver em uma via de mão dupla, sinalizada, segura, como a Rodovia Dutra, entre SP-RJ, de noite, ultrapassando uma das milhares de carretas que voam a 110km/h carregadas de chapas e bobinas de aço, e o passageiro olha o visor de velocidade marcando 111km/h, e denuncia o motorista via torpedo SMS. Legal, GRANDE IDEIA !!!
    E até o motorista explicar, já foi demitido. Ah é, o cliente tem sempre razão.
    Existem sistemas muito mais eficientes de monitoramento, como o próprio rastreamento por GPS.

    O governo criou a lei anti-fumo e colocou o cidadão para fiscalizar e denunciar. Criou a lei anti-álcool para menores e colocou o cidadão para fiscalizar e denunciar. Agora cria este ‘sistema de segurança’ e coloca o passageiro para fiscalizar.
    Será que ninguém percebe que o governo está terceirizando suas atribuições para os contribuintes que pagam impostos?
    Bobos são aqueles que consideram isto uma vantagem para aumentar a segurança, e re-elegerão estes parlamentares geniais nas próximas eleições.

    • Não tem como um país com as dimensões do Brasil ter fiscalização onipresente. Essas medidas devem ser para que, todos usem sua cidadania e reclamem. A fiscalização vai para o local e pode até ser intensificada em locais com maior índice de reclamações. E ninguém é demitido assim sem investigação.

      • Concordo contigo. Afinal o usuário tem todo o direito de denunciar e reclamar, e o governo tem como seu dever criar métodos que facilitem essa fiscalização!

        Afinal, de 111km/h para 125 ou 130 km/h não é nada, isso se não acontecer uma tragédia pior antes! Por isso que o Brasil não vai pra frente, pois muitos dos brasileiros vivem na base do “jeitinho” e do “deixa disso”.

    • SABE… REALMENTE VC TEM RAZÃO! Seu Ponto de Vista está Correto.

  4. Me lembra o fim daquela piada:
    “…Puxa, como você sabe quantos elefantes passam pelo jardim se eles estão atrás da cerca?!”
    “Eu pintei todas as unhas deles de vermelho, pra poder contar por debaixo da cerca!!”

  5. Há muitos projetos referente ao trânsito e ao transporte. Mas todos eles tem algo em comum que é MIRAR NO CONDUTOR como se este fosse o VILÃO, o único responsável por toda e qualquer ocorrência negativa relacionada a acidentes. Ao final concluem que: Ou o Motorista estava embriagado ou estava em alta velocidade!.
    Na verdade o projeto em si não é ruim, não é algo que se deva deixar de analisar, mas há de se entender que existem outras coisas mais, muito mais importantes e sérias a serem abordadas que dizem respeito ao trânsito e trasnporte em geral. Já exitem os aparelhos de GPS que conseguem até mesmo parar um veículo na rodovia a grandes distâncias da base. Existem os fiscais de linhas, os radares rodoviários, os agentes, a própria concientização do condutor que se considera PROFISSIONAL EFICAZ, etc.
    Vai ver deve haver algum deputado ou senador que montou uma pequena fabriquinha desses aparelhos… rsrsrsr.
    Um Abraço.

  6. Em São Paulo, o transporte publico também tera que aderir este mostrador de velocidade, corto o meu pulso, se quem fabrica estes aparelhos, não tem ligação com algum vereador ou até mesmo com alguem da prefeitura de São Paulo, lembram do Kit de primeiros socorros, tudo perfumaria, em quanto isso andamos em onibus velhos com bancos quebrados, sujos, mas o importante e que eles não passem de 20 Kilometros por Hora.

  7. julio rodrigo da silva // 20 de Janeiro de 2012 às 18:00 // Responder

    ja que se trata de ideia de jerico vamos chutar o pau da barraca, tantos acidentes com carros de passeios a 140 ou ate mais porque ele nao coloca a lei para colocar TACOGRAFO em carros de passeios tambem? sabe porque nao implantaram esta lei? porque os nossos nobres deputados nao poderiam mais andar a 180kmh com seus carroes importados. ( este nosso pais e so balela mesmo lamentavel)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: