No País da Imobilidade, direito de ir e vir para nas promessas!

transito

Congestionamento em São Paulo. Os números são alarmantes. Por mês são emplacados cerca de 27 mil veículos em São Paulo. Se forem colados um carro atrás do outro, a frota da cidade somaria 26 mil quilômetros, uma extensão maior que os 17 mil quilômetros de vias asfaltadas na Capital Paulista. As promessas e os discursos em relação a mobilidade foram muitos,mas de ações práticas, pouca coisa ainda foi feita, ainda mais em se tratando de transporte público.

Mobilidade, tema atual mais falado no Brasil, porém….Vivemos no país da IMOBILIDADE.
Os discursos em relação ao direito de ir e vir das pessoas com conforto e qualidade são muitos e bonitos,mas ações práticas m simples e eficazes são insuficientes
MARCOS GALESI
Amigos, mobilidade rima com tantas palavras, como por exemplo, MORALIDADE.
No Brasil muito se fala de mobilidade e nada de ações, poucos governos estão sendo sensíveis à esta questão.
Especialistas como Dr. Adriano Branco, afirmam que São Paulo vai parar se nada for feito com relação ao trânsito, a preocupação tem grandes fundamentos.
Conforme pesquisa, são emplacados só na cidade de São Paulo cerca de uma média de 27.000 veículos por mês. Essa enorme quantidade faz com que a cidade tenha 630 veículos para cada 1.000 habitantes. Só como comparação, nem EUA, Japão ou Itália se aproximam dessa marca.
Além disso, se fossem enfileirados com os para-choques colados, a fila teria 26.000 km, mas teria que “exportar” boa parte da frota, visto que o município tem apenas 17.000 km de vias asfaltadas. Em 1970 São Paulo tinha 14.000 km de vias com asfalto, mas apenas 965.000 veículos.
O dado é preocupante, já que o sistema de rodízio não funciona mais e mesmo o Rodoanel não serviu para reduzir os congestionamentos na cidade. Outro dado que assusta é o crescimento da frota. Para passar de 5 para 6 milhões, São Paulo demorou oito anos. Mas para chegar aos 7 milhões, precisou de apenas três anos. Nesse ritmo, teremos a Copa do Mundo e mais de 8 milhões rodando na maior cidade da América Latina.
E o que a Secretaria de Transportes tem feito para melhorar o sistema de transportes num todo??
Vejamos o plano de metas da prefeitura de São Paulo:
Melhoria da mobilidade urbana
10 terminais de ônibus requalificados
R$ 1 bilhão de investimento no Metrô
R$ 300 milhões de investimento no Rodoanel
Concluir Corredor Expresso Tiradentes SMT
Implantar 66 km de corredores de ônibus SMT
Requalificar 38 km de corredores de ônibus SMT
9 novos terminais urbanos SMT
2 novos terminais rodoviários SMT
Revitalizar 46% dos abrigos nos pontos de ônibus SMT
Implantar Anel Viário/ Via Parque Guarapiranga SIURB
Concluir o prolongamento da Radial Leste SIURB
Concluir a duplicação da Estrada do M’Boi Mirim SIURB
Concluir o Complexo Viário Padre Adelino SIURB
Prolongar a Avenida Roberto Marinho SIURB
Recuperar 30 pontes e viadutos SIURB
Ampliar o rodízio de caminhões após conclusão do Trecho Sul do Rodoanel
Realizar intervenções em 15 pontos de congestionamento CET
1 milhão de m² de sinalização horizontal nas vias públicas CET
160.000 novas placas de sinalização vertical CET
288 novos dispositivos de sinalização eletrônica CET
289 câmeras de circuito fechado de TV em cruzamentos CET
100 km de ciclovias e ciclofaixas CET

Mais detalhes, fonte: http://www.agenda2012.com.br/static/pdf/relatorio_semestral.pdf

Destas metas quais efetivamente foram concluídas???

Se todas estas metas fossem concluídas, quem realmente seria beneficiado??
Vamos analisar os que beneficiam o coletivo:

10 terminais de ônibus requalificados – Quais terminais foram requalificados????

R$ 1 bilhão de investimento no Metrô- Em qual linha?? Até porquê na agenda 2012 não tem especificação.

Concluir Corredor Expresso Tiradentes SMT – O Expresso Tiradentes pode ser concluído em 2012? Mesmo sendo SISTEMA MONOTRILHO??? E Será que o Monotrilho dará conta da demanda??

Implantar 66 km de corredores de ônibus SMT – Um deles seria o Celso Garcia, até os vereadores contribuíram com parte do orçamento. Como resposta da prefeitura, a Celso Garcia terá metrô, mas em que horizonte podemos contar com esta linha de metrô??

Requalificar 38 km de corredores de ônibus SMT – Creio que só o Rebouças que está sendo requalificado. Os outros?? Estão em completo abandono.

9 novos terminais urbanos SMT – Onde estão estes terminais??? Vila Maria?? Nova Penha?? Raposo Tavares?? Itaim Paulista?? Vila Mara??

2 novos terminais rodoviários SMT – Itaquera e Vila Sônia (cadê os onde estão os projetos executivo e funcional??)

Revitalizar 46% dos abrigos nos pontos de ônibus SMT- Amigos, a revitalização se resumiu em apenas 1 ponto ecológico, com sinal de internet wi fi na região da Paulista?? Cadê o ponto de ônibus aqui da Salomão de Vasconcelos que há 2 anos estamos esperando uma simples manutenção??? (Só tem um toquinho do ponto na calçada.)

Recuperar 30 pontes e viadutos SIURB – A ponte dos Remédios estava inclusa??? Só caindo para recuperarem, esta é a política de recuperação de viadutos e pontes da Cidade de São Paulo.
– 288 novos dispositivos de sinalização eletrônica CET
– 289 câmeras de circuito fechado de TV em cruzamentos CET
Ah sim, nestes 2 tópicos a prefeitura tem se tornado bem eficiente, e a pergunta é para onde vai este dinheiro todo??? Para multar, a prefeitura de São Paulo é super-hiper-mega-eficiente. Que o diga o Controlar, que mesmo com o carro parado na garagem, e você não sair com o carro você além de pagar o Controlar, tem que pagar multa no Controlar, ou seja uma mina de dinheiro, espero que o Ministério Público investigue quem está ganhando com o Controlar.
Bom, voltando à mobilidade, em 2014 vai ser o ano em que a onça vai beber água, não temos uma rede ideal de trilhos (METRÔ/CPTM), inclusive eu fui no negócio nos trilhos e vi o mapa das linhas de metrô e trem, e dizem que aquela malha estará totalmente pronta num horizonte de 2030, isso é, se houver continuidade nas obras do metrô. Quanto aos corredores da EMTU, na JACÚ-PÊSSEGO-NOVA TRABALHADORES, não há nenhuma movimentação, porém alguns terminais estão já sendo construídos (Terminal CECAP), com relação à SPTrans, aí é muito preocupante: Para se ter uma idéia, quem mora na Zona Leste vai sofrer os impactos, pois mesmo que o Corredor Radial Leste saia, só para se ter idéia, nem a licitação saiu, e se sair esta licitação , ele poderá sair em Março de 2012, e quem ganhar a licitação corre o risco de não construir, pois as empresas injustiçadas na licitação entrarão com recursos e o julgamento do mérito (com a nossa justiça eficiente) pode ser que com muita sorte o mérito seja julgado em Dezembro e a Ordem de Serviço, seja expedido em Janeiro para inicio das obras, e a conclusão das obras?? Só Deus sabe. Sinceridade, esta administração da Cidade de São Paulo, não colaborou com a população e a traiu.O povo confiou em grandes obras e realizações. O prefeito tem o melhor secretário de Transportes, mas sabemos que só a secretaria não faz nada isolado, sem a assinatura do prefeito.
São Paulo, a cidade que fala de MOBILIDADE, mas que VIVE NA IMOBILIDADE.

Marcos Galesi, técnico em transportes, vice-presidente do Movimento Respira São Paulo e membro do Movimento Defesa do Trólebus

27 comentários em No País da Imobilidade, direito de ir e vir para nas promessas!

  1. Primeiro, se o Monotrilho não der conta, é meio óbvio que o seu BRT não vai dar;
    Segundo, pra que tanto terminal? é só requalifica-los e troncaliza-los;
    Terceiro, corredor na Celso Garcia é um delírio do Kassab, porque nunca ali haveria espaço para como ele prometeu(pista de ultrapassagem em toda extensão)
    Quarto, os demais corredores não estão em tão abandonados assim, como você mesmo disse precisam ser requalificados, e não esse exagero todo que você disse.
    Quinto: Corredor na Jacu-Pêssego não é tão importante para quem mora na cidade de São Paulo, por isso não há movimento da parte onde o projeto está sendo desenvolvido, ou seja, a PMSP.
    Sexto: Você já andou em Itaquera? Pois bem, lá não está aguentando nem o transito de ônibus urbano direito, querem enfiar Rodoviários?

  2. Foram 3 anos de vagas promessas e Zona leste não tem seu corredor… Lamentável.

  3. Prezado Samuel

    Benvindo,

    O BRT tem mais chances de dar certo do que o Monotrilho e por uma questão simples: CUSTO, Se você tiver a oportunidade, veja este link: http://www.vivapocos.com/2009/04/o-fim-do-monotrilho.html e depois comente: Segundo: Os poucos terminais que existem não suportam a demanda de ônibus atual, eu trabalho no setor de planejamento e sei o quanto é dificil de se acomodar uma linha de ônibus dentro de um terminal. Terceiro: a Celso Garcia é um corredor de onibus, e a avenida (Projeto de 1970) era para ser apenas trânsito local no caso de carros pequenos, terceiro há sim corredores que estão abandonados, com o pavimento todo detonado, só andar pela cidade e você vai ser se há abandono ou não, quarto a Jacu Pêssego necessita de um corredor de ônibus por uma questão simples, para alavancar o desenvolvimento de toda zona leste, é fundamental este corredor para ligar vários polos importantes e incentivar as empresas ao longo da Jacu pessego, pois aí serão vários postos de trabalho, e assim ajudará a amenizar o problema no transporte público, quinto, a Rodoviária, em parte concordo com você, mas é necessário uma rodoviária na Zona Leste para ajudar a desafogar parte da marginal do tietê, pois imagine várias linhas do Norte-Nordeste, vale do paraíba e Rio de Janeiro partindo da Zona Leste, pois aqui temos conexões com a Dutra, Trabalhadores e Fernão dias?? Então amigo Samuel, nada é por acaso, tudo é planejado. Há sim, para troncalização das linhas, são necessários corredores, e para abrigar as linhas alimentadoras para distribuição nas linhas troncais é necessário terminais.

    Espero ter esclarecido suas dúvidas

    Abraços
    Marcos Galesi

  4. mais uma obra engavetada, se bem que esta obra ainda bem que não foi para frente a do enterramento das linhas da CPTM por questão de coerência.
    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,projeto-de-revitalizar-eixo-ferroviario-entre-a-lapa-e-o-bras-vai-para-a-gaveta-,805651,0.htm

  5. Dizer que não há corredores de ônibus abandonados é não conhecer a cidade.
    Há corredores que o ônibus precisa quase parar para superaros buracos.
    A situação de muitos é ruim assim, sim.

    Terminais também são necessários.

    Há baias que não suportam a quantidade de ônibus. Com novos terminais, poderia haver remanejamento de linhas em algumas regiões e melhorar até a questão do trânsito.

    É muito relativo dizer que se o monotrilho não der conta o BRT não vai dar. O moniotrilho pode ser uma excelente alternativa ou uma total furada. Não adianta ter um belo sistema se o número de compisições não for adequado. Em Cuiabá dizem que o monotrilho pode levar atpé 70 mil passageiros / hora sentido.Mas com o número limitado de compiosições que vão comprar, na prática esse número não vai passar de 25 mil.

    E se éprá usar muito dinheiro, eu prefiro um metrô de verdade. Caso contrário, o BRT é uma solução economiacamente viável.

    O texto do Galesi foi feito por alguém que enxerga o sistema de dentro.

  6. Muito boa a reportagem, só discordo da parte que a gestão traiu a população: ela não traiu ninguem. Desde quando o Kassab assumiu ele foi assim, depois pra fazer campanha eleitoral fingiu na tv que estava tudo lindo e que faz e acontece ect. Muita gente deixou se levar pela propaganda na TV, mas a realidade estava lá para quem quisesse ver. Provavelmente ano que vem, ele vai fazer a mesma coisa, as pessoas vão ver a propaganda e, de novo, vão se esquecer de tudo isso, votar nele ou no sucessor dele e depois falar que ele enganou todo mundo. Um corredor pode não dar conta, assim como uma linha de metrô como a 3 não dá. O que precisa fazer é interligar, fazer uma rede de corredores, como os mais de 200 km anunciados no início do sistema interligado (e antes, no sistran), mas que não teve continuidade. Se continuar assim, a zona leste inteira passando pela radial/celso garcia pra ir pro centro, pode fazer o modal que quiser que não comporta.
    No caso da zona leste, quem conhece melhor pode falar, mas na zona sul, tem av sto amaro e ibirapuera, se fizesse o binário santo amaro, um no corredor norte sul, na berrini (mas seguindo até a faria lima/pinheiros) e na brigadeiro, reformular os já existentes (acabar de uma vez por todas com essas máfias de empresários e perueiros, operar quem tiver condições), uma verdadeira rede por toda a cidade, reformular vai muito além de colocar onibus na região do centro e lotação no bairro, mantendo esses coroneis do seculo XXI.

  7. A celso Garcia é uma lastima, em horário de pico tem um montão de ônibus, sendo que muitos rodam vazios, então são sub utilizados. Se a empresa responsavel tivesse gente de pistola… deveria reorganizar tudo aquilo e utilizar nas linhas mais carregadas somente articulados e bi, fazendo com que as linhas menos densas integrassem e não circulassem por ali. Na verdade a gente não conhece os interesses por traz disso tudo, e ai o Kassabão vai enganando todos, chega na hora da eleição é aquele troço novamente ( Voto util) , dai a cidade continua se ferrando.

  8. Olá Marcos,

    Boa matéria a sua. Honestamente, não sou um cidadão paulistano e quando estou na Capital, em ocasiões profissionais, circulo pelo eixo, Barra Funda – Sé, ou seja, em síntese, não possuo o conhecimento que você e muitos que aqui escrevem, têm da Capital, mas, desejando contribuir lhe digo que, como em outras ocasiões aqui escrevi, é preciso fazer mais com menos.

    Não é possível, no momento, construir mais metrô, então, que se construa o BRT e não se esqueça do metrô. Fazer o que é possível, para o momento e não perder de vista o futuro, bem planejado.

    Pensar bem, planejar bem, o que vai ser realizado, para não começar algo e paralisar a obra no meio, criando um ELEFANTE BRANCO.

    Por fim, acredito que, não precisamos nos tratar com severidade, como em alguns momentos aqui vemos, pois afinal, estas questões afetam a todos e o importante é debatê-las, sugerir soluções e expô-las para serem ou não utilizadas, pelos administradores das cidades e empresários.

    Abraço.

  9. o povo de São Paulo tambem tem culpa.pisotearam o bem comum(coletivos),para priorizar o individual.sem falar no preconceito de quem usa onibus.o caminho é esse.investir em coletivos.se não,São Paulo,vai parar de vez!

  10. Galesi
    Muito bom texto, “dando nome aos bois”.
    Polêmicas a parte, os trilhos vêm evoluindo. Vejo problema nas decisões discutíveis de quem atender antes e no ritmo eternamente lento das licitações e obras, que as administrações aceitam como padrão.

    Mas os indispensáveis ônibus continuam patinando em todos os sentidos. Posso compreender as dificuldades de se alocar ônibus em terminais, mas não consigo ver explicação razoável para a eterna enrolação com as integrações e redistribuição de linhas. Pior: vejo linhas novas sendo criadas que repetem rotas metroferroviárias, com o emblemático exemplo do inconcebível “corredor Itapevi-Butantã”.
    Gostaria muito de ler suas considerações “de dentro” sobre estas questões.

    • Ah sim, sobre a “imobilidade de São Paulo”.
      Como o maior enlace de vias é o Cebolão, tem que ser prioritário que ele ande. É nítido o excesso de veículos nos picos, no mínimo. Os caminhões estão sendo retirados, o que ajuda a congestionar o Rodoanel Oeste e travar as Rodovias.

      A quantidade de carros no Cebolão tem que ser consistentemente reduzida.

      Uma sugestão: bolsões de estacionamento nas CPTM 8 e 9. Além de aumento e agilização da integração com ônibus, claro, a (bom!) exemplo da estação central de Osasco.
      Se usuários de carros tiverem, principalmente na CPTM 8, uma boa, rápida e confortável alternativa para entrar na capital, vários farão a opção. Por isto sugeri dia destes intervalos mais agressivos para a CPTM 9 que os 3 minutos prometidos, além de aumento da capacidade de algumas estações. Talvez fosse o caso de substituir os bons trens (que certamente são MUITO necessários nas outras linhas) por outros tipo tipo todos-os-truques-motorizados, como os do Metrô.

      • Gustavo Cunha // 15 de dezembro de 2011 às 19:17 //

        Luiz,

        Suas palavras vêm de encontro ao fazer mais, com menos.

        Mas, e os interesses ocultos ? Ah, estes, ficariam chateados.

        Abraço Mr. Engenheiro

  11. Amigos Gustavo cunha, Luiz Vilela, Bruno Quintiliano, Leonardo, Adamo Bazani, Antônio Carlos e amigos de Blog que nos acompanha.

    O que mais me deixa chateado, é que o Datena faz matérias negativas do transporte coletivo nas suas reportagens, é só critica e nunca o vi trazendo soluções.
    Sabemos que muitas matérias negativas acabam desestimulando o usuario a não usarem o transporte coletivo em geral. Eu incluo também a própria SPTrans, me lembro que houve uma época que no verso do bilhete único, teve até propaganda de moto, foi uma infelicidade. Sabemos que dos anos 70 até os anos 2000 muita coisa melhorou, inclusive tivemos um salto de qualidade a partir de 2003 quando foi estabelecido o prazo máximo de 10 anos, hoje temos uma frota na cidade de São Paulo uma média de 5 anos ou seja uma frota praticamente nova.
    O que é necessário atualmente é que haja mais corredores e mais terminais de ônibus para que haja mais mobilidade, é necessário a troncalização máxima de linhas. Muitos falam do ótimo exemplo de Curitiba, do Expresso Tiradentes e do corredor ABD, que são muito funcionais, e a resposta é simples, não há sobreposição de linhas, há total troncalização das linhas (no caso de Sacomã). O Expresso Tiradentes funciona e bem, é um trecho de 8 kms feito em 15 minutos. Imaginem se tivesse um corredor na Celso Garcia ligando o PQ D Pedro à Penha, seria possivel fazer em 15 minutos. pois são os mesmos 8 kms. Tudo parte da vontade politica que infelizmente depende também da pressão da população, mas infelizmente também parte da população é acomodada, e são poucas as associações que tem conhecimento e lutam por um corredor de ônibus.

    • É por essas e outras que eu não consigo assistir o Datena e outros como ele. E pode ter certeza, o dia que ocorrer um protesto por um transporte público de qualidade, ele vai ser o primeiro a ficar contra, chamar todo mundo de vagabundo e mandar trabalhar (como no protesto da Estr do M’Boi Mirim). Ele se esquece que as pessoas lá estão tentando ir para o trabalho, escola ou o que for e tem essa locomoção prejudicada por quem não está nem aí para a mobilidade urbana. Lembra do documentário que você indicou? No Brasil não precisa de tudo isso, temos uma população totalmente passiva, que aceita todo e qualquer tipo de absurdo e não só para os transportes, mas também para segurança pública (temos uma polícia que faz o que quer e ninguém fala nada) e etc, tudo isso apoiado por esses Datenas da vida

      • Concordo com você em Gênero e Grau, mas cabe a nós esclarecermos a população mostrando que podemos melhorar o transporte, e para que esta melhora vem, só depende da própria população e suas associações de bairro e lideres comunitários que são os vereadores do bairro que representam.

  12. Amigo Luiz Vilela

    pegando o gancho do seu comentário:” Pior: vejo linhas novas sendo criadas que repetem rotas metroferroviárias, com o emblemático exemplo do inconcebível “corredor Itapevi-Butantã”.

    Concordo contigo (em parte), até porque os trens da linha 8 darão conta do recado, por conta dos baixos intervalos que serão praticados pelas linhas da CPTM. E para mim o corredor Itapevi-Butantã é uma descarada sobreposição da EMTU sobre duas linhas da CPTM. (8 e 9).
    Na região de Itapevi até Butantã a linha da CPTM é um ótimo troncalizador e as linhas poderiam alimentar o sistema CPTM, é uma questão bem lógica.

    Agora no caso da Radial Leste, é um caso CRÔNICO pois nem a linha 3(Metrô) e 11(CPTM) dão conta da demanda da Zona Leste na região de Guaianazes/Itaquera. Creio que neste caso específico é necessário um corredor de ônibus que inclusive poderá fazer um papel importante a de micro-acessibilidade coisa que nem o Metrô e a CPTM fazem. Para ter uma idéia, no caso do corredor a distância de um ponto ao outro é de mais ou menos 400 metros, enquanto que uma estação do Metrô é em média 1 km de distância de uma da outra,mas para melhor funcionalidade deste corredor, os modais tem que se integrarem fisicamente.
    Também é necessário neste corredor, haver linhas expressas e semi expressas.
    Quando os modais se entendem, o transporte é de qualidade e há países no mundo que se integram, não há competiçaõ entre modais.

    Abraços
    Marcos Galesi

  13. Isso mesmo amigo Galesi, o problema é que somos sempre os mesmos que estamos nas discussões, nas reclamações do http://onibus.blog.br/, etc. Eu tento fazer a minha parte, mas infelizmente ainda são muito poucas pessoas que se importam

    • Bruno
      Acredito que milhões se importam, todos os dias.

      Mas só um ou dois – nós! – acredita que é possível ser decentemente atendido em sua mobilidade.

    • Bruno,

      Em algum momento de nossa história, acredito que, grãos de areia farão a diferença !

      Não podemos desanimar, pois do contrário, é admitir a derrota.

      Ainda que distante, o atual Presidente Americano, durante sua candidatura disse: “sim, nós podemos” e, foi eleito.

      Ele acreditou e levou a acreditarem.

      Nós podemos também.

      Abraço.

  14. Puxa, mais um ponto muito importante: marketing do transporte coletivo!

    Noto que – por exemplo – a propaganda intensiva da CPTM divulga extensões, intervalos, tempo de viagem e principalmente $, muito $ sendo investido. Aqui no blog sabemos muito bem que um efeito NECESSÁRIO é tirar carros das ruas. E se me perdoarem o comentário, tirar ônibus também. Mas NÃO DIMINUIR ÔNIBUS e sim melhorar a capilaridade com troncalização bem projetada e implantada. Portanto a quantidade ônibus deveria diminuir nas avenidas, para que os ônibus e carros que ficarem consigam trafegar.

    Voltando ao marketing, o ponto em que a administração pública acerta é divulgar prazos de viagens agressivamente menores. Onde erra feio é não divulgar os acessos às estações, os interiores, os vários recursos para compra e recarga de bilhetes, a segurança, a limpeza, enfim, a EXPERIÊNCIA COMPLETA do usuário. E compará-la aos muitos minutos perdidos num anda-e-pára nas Marginais.

    Quanto a SPTRANS e EMTU, lamentavelmente não fazem nem o mais básico. Mais ainda a EMTU, que só agora ameaça descobrir que somos uma RM de 39 municípios com necessidades comuns. Divulgar acesso a internet em percentual ínfimo de pontos de parada me soa muito hipócrita. Somado á incrível omissão e descompromisso deste governo, não consigo ver nenhum bom argumento de marketing.

    • Boa tarde,

      Luiz e amigos,

      Conforme mencionei acima, os interesses ocultos, ficariam chateados se, o transporte público fosse melhor divulgado, incentivado, mais e melhor utilizado.

      E não são os empresários de ônibus que ficariam chateados, não. Ao contrário, havendo mais passageiros, ainda que meio a contragosto, eles compram mais carros e aumentam a oferta, pois é mais $$$ em caixa.

      Abraços.

  15. Amigos e companheiros de Blog

    A grande luta é tirarmos o maior número de veículos das ruas, e só conseguimos isso se houver mais mobilidade nos meios de transportes, agora do jeito que está o nosso querido transporte de que maneira muitos carros ficarão na garagem????
    Pessoal, espero que prestigiem a próxima matéria na qual irei detalhar um problema que é simples de ser resolvido e que depende apenas de VONTADE POLITICA, pois de investimento não é necessário.
    abs

  16. Pessoal, em algumas semanas virá a outra matéria sobre a imobilidade, enquanto isso, vamos comentando. abraços

  17. Galesi
    Hoje está uma manhã bonita na Marg. Pinheiros.

    Andei algumas estações na CPTM 9 e observei o paisagismo, que vem melhorando. Mas ainda era notória a diferença entre os belos jardins da ponte Cidade Jardim e as plantas no entorno da estação, misturadas com postes deitados, restos de obras e mato crescendo no meio das pedras.

    Acredito que a CPTM deveria fazer campanha para as bem aquinhoadas empresas locais “adotarem” o paisagismo das estações. Num primeiro momento; a seguir poderia ser adotado o entorno viário – calçadas, PONTOS DE ÔNIBUS DE INTEGRAÇÃO, locais para parada de carros, tornar a pesada e feia fiação subterrânea (OK, a das estações, já que mudar as catenárias é obra para longo prazo).

    Tenho certeza que uma bela apresentação com cuidados e bom gosto atrairão mais usuários de carros para “o trem”.

    • Mudando da parte nobre – milionária talvez seja o têrmo – da cidade.

      A sensação de passar de carro pelo terminal de ônibus de Itapevi ontem a noite, fugindo da Raposo e seu acidente de 21 carros + 1 carreta infelizmente foi muito ruim.
      Ônibus amontoados num congestionamento onde ninguém andava, instalações feias e mal cuidadas, integração da recém reformada estação com a avenida mal feita. Nada de paisagismo.

      Alckmin promete ônibus expresso Terminal Cotia-CPTM Itapevi. Para se amontoar também?!

      Naquele local é muito oportuna uma profunda revitalização, com pátio de estacionamento para carros e até mesmo túnel sob a ferrovia para melhor aproveitamento da área.

      Para quem acha “absurdo gastar tanto num lugar daqueles”, uma consideração:
      – Usuários de carros e ônibus vindos da Raposo e da Castello Branco (do interior) PODERIAM ENTRAR RÁPIDO EM SÃO PAULO SEM CARROS E ÔNIBUS.

      O mesmo conceito – numa versão muito mais cara e complexa, é verdade – vale para o entroncamento do Rodoanel com a CPTM 8 Diamante.

  18. Marcos Aurelio Roque E-mail: marquinho ccb@hotmail.com Endereço: Av. 27 de março, 56 Bairro: Vila Garcia- Votorantim-SP Telefone: (15) 33432169 – (21 ) 31031987 Data de Nascimento: 02/09/1969 Formação Escolar: 1° Grau Completo Outros Cursos: Curso: vigilante Entidade: Academia de vigilantes Cidade: São Paulo Curso: Motorista Cidadão Curo: Inglês e Espanhol em transito Direção defenciva legislação de Transito 1° socorros , meio ambiente convivio social Motorista Rodoviário Obrigatório no Rio de Janeiro Resolução Art. 168, Curso: Transporte coletivo. Formação Profissional : Empresa: Verdun Transportes S/A Função: Motorista Urbano Período: 07/05/2009 à 09/11/2011 Empresa: Envitec Saniamento Ambiental Função: Ajudante Geral Período: 02/05/2005 à 31/07/2007 Empresa: SPL do Brasil Função: Ajudante Geral Período: 20/05/1998 à 03/12/2001 Empresa: Julio & Julio Ltda Função: Ajudante Geral Período: 26/03/2002 à 03/10/2003 Empresa: Filon Confecções Ltda Função: Auxiliar de Qualidade, Maquinista Pleno Período: 03/07/1995 à 05/12/1996 Votorantim______de_______2011 Responder

  19. carmelitasantosdeoliveira // 28 de dezembro de 2012 às 17:15 // Responder

    é necessario urgente um projeto de avenida beirando a jacu pessego porque a avenida são miguel ninguem merece, é um orror.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: