PESQUISADOR DA USP DEFENDE CORREDOR DE ÔNIBUS NO COMBATE A POLUIÇÃO

Trolebus e Combate a poluição

Corredores de ônibus são apontados como a solução mais rápida e condizente com a realidade da região do ABC Paulista para privilegiar os transportes públicos, única forma de combater a poluição do ar de maneira eficiente para o coordenador do Laboratório de Poluição Atmosférica da USP, Paulo Saldiva, um dos mais respeitados sobre o tema no País. Corredor ABD além de ser considerado exemplo de privilégio ao transporte público também é apontado como modelo de uso de tecnologias que não agridem o meio ambiente, como ônibus híbridos e trólebus. Foto: Adamo Bazani.

Corredor de Ônibus para uma sociedade que protege o ser humano
Coordenador do Laboratório de Poluição Atmosférica da USP defende a ampliação de corredores de ônibus para a melhoria do meio ambiente das cidades do ABC Paulista
ADAMO BAZANI – CBN
“Os transportes públicos são a única solução possível não só para a melhoria da mobilidade das cidades, mas também para a garantia de que a população respire um ar com qualidade aceitável para preservar a própria vida”
A afirmação é do coordenador do Laboratório de Poluição Atmosférica da USP – Universidade de São Paulo, Paulo Saldiva.
O pesquisador participou do encerramento do projeto “Poluição do Ar: da Percepção a Ação”, desenvolvido pela Secretaria de Gestão Ambiental de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, diretoria municipal de ensino e a ONG (Organização Não Governamental) Terra Viva.
Durante o projeto, entre os dias 18 de agosto e 25 de outubro, alunos de 5ª série de 28 escolas públicas de São Bernardo do Campo, fizeram a seguinte experiência: colocaram lençóis expostos ao tempo para verem na prática o quanto a poluição atmosférica é grave na região do ABC Paulista.
Na maior parte das escolas, que envolveram 1200 alunos no Projeto, os lençóis ficaram bem sujos, um indicativo de poluição do ar.
O objetivo do projeto foi conscientizar crianças e jovens sobre os problemas ambientais mostrar de maneira simples o que os sofisticados aparelhos de medição revelam: a qualidade do ar no Grande ABC precisa de melhorias urgentes.
Paulo Saldiva disse, no encerramento das atividades, que o caminho mais rápido e garantido para que a poluição atmosférica seja combativa é a diminuição da frota de veículos nas ruas. Se antes eram as indústrias as grandes vilãs do ar, hoje cerca de 80% dos poluentes atmosféricos são por conta do excesso de veículos.
Mas as pessoas precisam se deslocar para o trabalho, estudo e demais atividades.
Entra aí, na opinião do pesquisador, um dos mais respeitados especialistas do tema no País, a necessidade de as políticas públicas privilegiarem os transportes coletivos.
E para a região do ABC Paulista, Saldiva, disse em sua palestra, que a solução mais adequada e rápida (já que as pessoas não podem esperar a implantação de modais de transportes muito complexas) são os corredores de ônibus.
Ele destacou as diversas vantagens do corredor de ônibus.
Por permitirem que os ônibus desenvolvam melhor velocidade por contarem com espaço exclusivo, as viagens em transporte público se tornam mais rápidas, o que convence as pessoas a deixarem o carro em casa.
Um ônibus convencional pode substituir pelo menos 40 carros de passeio, se for levado em consideração que um carro não leva em média nas cidades mais que duas pessoas, e que o ônibus pode transportar até 80 pessoas.
A vantagem do corredor é que pelo espaço ser separado dos demais veículos do trânsito convencional, ele pode comportar ônibus maiores, como articulados e biarticulados que podem transportar até 270 pessoas de uma só vez. Menos ônibus podem realizar mais viagens e substituir uma quantidade maior de veículos.
O corredor Metropolitano ABD (entre São Mateus, na zona Leste de São Paulo, e o Jabaquara na zona Sul, atendendo aos municípios de Santo André, Mauá, São Bernardo do Campo e Diadema), operado pela empresa concessionária Metra, é um exemplo não só de prioridade aos transportes públicos como também de ampliar as vantagens ambientais de um corredor de ônibus.
Além de ele ser acompanhado por uma extensa área ajardinada, do Programa Corredor Verde, responsável por plantar mais de 4 mil mudas de árvores no trajeto, o sistema conta com ônibus com tração limpa, como a etanol, elétrico híbrido (que funciona a energia elétrica diminuindo a queima de diesel), a hidrogênio (tecnologia ainda testada) e principalmente com os trólebus, uma solução já conhecida e que foi modernizada. Os trólebus não emitem nenhum poluente atmosférico durante a operação, além de serem bem mais silenciosos até mesmo em comparação a carros de passeio novos.
Paulo Saldiva defendeu a integração entre corredores de ônibus e ciclovias para a região do ABC Paulista e afirmou que nenhum conforto possibilitado eventualmente pelo transporte individual justifica o fato de milhares de pessoas perderem a vida por causa da poluição atmosférica.
“Quase 7 mil pessoas morrem por ano devido a poluição ambiental, isso só na Grande São Paulo Será que nosso conforto justiça isso? Aqui no ABC talvez possa nascer a sociedade protetora do ser humano” – alertou Paulo Saldiva.
Pior qualidade do ar e mais tempo no trânsito, longe da família, do lazer ou mesmo de uma atividade produtiva. É isso que a cada ano as pessoas sofrem com o aumento da frota de veículos.
Paulo Saldiva concluiu dizendo que a cada ano, o índice de congestionamentos aumeta 15 quilômetros e a velocidade dos carros diminui em média anualmente cinco quilômetros por hora.
E não adianta ampliar a quantidade ou o tamanho das vias, já que o crescimento da frota de veículos se dá numa velocidade que nenhuma obra vária tem condições de acompanhar.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

1 comentário em PESQUISADOR DA USP DEFENDE CORREDOR DE ÔNIBUS NO COMBATE A POLUIÇÃO

  1. Bom dia.

    Por vexes, dialogamos aqui, sobre este tema. Minha humilde visão, sobre o assunto, continua a mesma. O ônibus pode não resolver os problemas do transporte, mas, o seu emprego mais ordenado e eficiente, penso ser, mais barato e rápido, de ser implantado.

    Ao mesmo tempo, precisamos lembrar, planejar e implementar, o crescimento, surgimento e melhoria, das linhas da CPTM e Metrô, no caso de SP – Capital e RMSP.

    É a união de meios e esforços que, podem melhorar o transporte de passageiros, não apenas de São Paulo, mas, de muitas cidades brasileiras.

    Abçs.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: