PLANO DE EXPANSÃO DO METRÔ RETIRA PASSAGEIROS DOS ÔNIBUS

ÔNIBUS DE SÃO PAULO
Ônibus em São Paulo perdem passageiros em áreas contempladas pela Expansão do Metrô de São Paulo. A falta de qualidade dos corredores da Capital Paulista, muitos que se limitam a faixas pintadas na via ou pistas simples que não permitem ultrapassagem, e o fato de não haver espaços prioritários para os ônibus, que ficam presos no trânsito como veículos comuns, são algumas das causas. No entanto, especialistas advertem que essa migração do ônibus para o Metrô é algo esperado e que os ônibus não vão perder a utilidade nas áreas servidas pelo metroferroviário. Os ônibus serão usados em trajetos mais curtos e vão complementar o Metrô, auxiliando a malha de trilhos. Pela carência por transportes em São Paulo, passageiros para o ônibus e para o Metrô. Foto: Adamo Bazani

Paulistano tem trocado Metrô por ônibus
O fato tem ocorrido por conta da expansão das linhas de Metrô. Queda de passageiros de algumas regiões nos ônibus coincide com a inauguração de estações do Metrô

ADAMO BAZANI – CBN

Pela falta de espaços prioritários adequados, o ônibus em São Paulo tem perdido a preferência dos passageiros que optam pelo Metrô, mais rápido e de maior capacidade em regiões onde o meio de transporte tem sido implantado.
Até mesmo os corredores de ônibus não têm conseguido segurar os passageiros no sistema. Vale ressaltar que muitos que se limitam apenas a uma faixa pintada na via ou simplesmente a uma pista em cada sentido segregada, sem permitir pontos de ultrapassagem, o que ocasiona diminuição na velocidade operacional dos ônibus e congestionamentos nas proximidades dos pontos, como ocorre com o corredor da Rebouças.
O Plano de Expansão do Metrô na Capital Paulista tem criado uma migração dos passageiros do ônibus para o modal sobre trilhos.
A ampliação do horário de funcionamento da linha 4 Amarela do Metrô e das estações Tamanduateí e Vila Prudente, da linha 2, é um dos exemplos de mudança de sistemas pelo passageiro.
A SPTrans – São Paulo Transportes – registrou queda de 25 mil passageiros por dia útil em média, no Corredor Campo Limpo – Rebouças – Centro, neste mês de agosto de 2011 em comparação ao mês de agosto de 2010. No ano passado, a média diária de transportes em agosto era de 400 mil passageiros, Neste ano, foram transportados em média, 375 mil passageiros.
A gerenciadora dos ônibus da Capital Paulista atribuiu os números ao fato de a linha 4 Amarela ser sobreposta em boa parte do trecho do Corredor Campo Limpo – Rebouças – Centro.
O Expresso Tiradentes, antigo Fura Fila, também sofreu queda de demanda. No mês de junho de 2011 a média de passageiros foi de 5 mil pessoas a menos por dia em comparação a junho de 2010.
O motivo foi a extensão da Linha 2 Verde do Metrô para a Vila Prudente.

TENDÊNCIA DE REDUÇÃO:

De acordo com técnicos do Metrô e da SPTrans, a tendência é de redução ainda maior no número de passageiros de ônibus em regiões que vão ter atendimento ampliado ou inaugurado de Metrô.
Essa queda deve começar já nesta segunda-feira, quando o trecho entre as estações Butantã e Paulista funcionará com horário integral do Metrô.
No entanto, os especialistas afirmam que isso se trata de uma reorganização da demanda.
Para os profissionais, o ônibus, mesmo sobreposto a algumas linhas de Metrô vai ter uma redução inevitável do número de passageiros, mas ele não ficará ocioso. A tendência é de que as pessoas usem o ônibus para trajetos mais curtos e como complemento ao Metrô ou alternativa à superlotação do modal metroferroviário.
Durante este processo de reorganização da demanda, a redução no trajeto de algumas linhas de ônibus e na frota não está descartada.
Mas o ônibus continuará tendo passageiro, já que a carência por transportes públicos é tão grande em são Paulo que haverá demanda para os dois meios.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.