OBRAS COM SUSPEITA DE CORRUPÇÃO SERÃO LIBERADAS ANTES DO PRAZO DETERMINADO POR DILMA

trem

No Brasil existem cerca de 1200 obras ferroviárias e rodoviárias em curso. As obras com suspeita de corrupção que foram suspensas por 30 dias por determinação da presidente Dilma Rouseff não devem ficar todo este tempo paradas. O novo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos negociou com a presidente a flexibilização da suspensão. Assim que as obras forem analisadas já serão retomadas. Até mesmo os aditivos contratuais, que são mudanças nas obras que aumentam os custos, e que foram criticados pelo ministro do PR, podem agora ser liberados por iniciativa de Passos.

Contratos investigados serão flexibilizados
Novo ministro quer liberar obras suspensas antes dos 30 dias determinados por Dilma Rousseff depois do escândalo nos Transportes

ADAMO BAZANI – CBN

Por pressão política de governadores que não querem ver as obras paradas em seus estados, e alegando não prejudicar os cronogramas, o novo ministro dos transportes, Paulo Sérgio Passos, do PR, afirmou que as obras com suspeitas de superfaturamento ou irregularidades nos aditivos contratuais (mudanças de projetos que acabam encarecendo as intervenções) não devem ficar 30 dias paradas como determinou na semana passada a presidente Dilma Rouseff, após o escândalo de suspeito de corrupção envolvendo o Ministério.
Assim, a determinação da presidente será flexibilizada.
Paulo Sérgio Passos, que está no lugar de Alfredo Nascimento, também do PR, quer que à medida que as obras rodoviárias ou ferroviárias forem analisadas, sejam imediatamente liberadas, sem esperar o vencimento da interrupção determinada por Dilma, que era dia 06 de agosto.
Terão prioridades as obras que estejam relacionadas com a segurança em rodovias.
Até mesmo os aditivos contratuais, criticados pelo novo ministro do PR, que apontou falhas nos atuais processos de licitação, agora devem ser liberados novamente.
“Se eu eventualmente tenho um contrato que depende de aditivo para assegurar que aquela rodovia tenha alguma cobertura na sua manutenção, não há por que não autorizar o aditivo.” – disse o novo ministro.
As obras com suspeitas de gastos excessivos também devem ser liberadas.
Nesta sexta-feira, Paulo Sérgio Passos passou boa parte do dia reunido com Dilma Rouseff.
Mas desde quando assumiu, no lugar de Alfredo Nascimento, do mesmo partido, no dia 12 de julho, Passou já dava sinais de querer a flexibilização.
No Brasil existem aproximadamente 1200 obras entre rodoviárias e ferroviárias em curso, boa parte sob responsabilidade do Dnit – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transpores e a Valec, empresa do governo responsável por ferrovias, cujo preço elevado das obras chegou a explicitamente irritar Dilma Rouseff.
O escândalo estourou quando a revista Veja revelou suposto esquema de corruppção de servidores públicos e de propina envolvendo empreiteiras responsáveis por obras em transportes e membros do PR, partido ao qual o Ministério dos Transportes foi entregue e que mesmo depois do escândalo ainda continua.
Os membros do partido para aprovarem aditivos contratuais, superfaturamento das obras e garantir vitórias em licitações receberiam entre 4% e 5% do valor dos contratos.
O intermediador seria o ex deputado Waldemar da Costa Neto, da executiva nacional do PR, e que também foi apontado como envolvido no escândalo de compra de votos conhecido como mensalão.
O nome que iria subistituir o diretor executivo do Dnit, José Henrique Sadok, que deveria ser anunciado nesta sexta-feira, ainda não foi definido.
Sadok não ficou nem uma semana inteira no cargo. Ele estava no lugar do diretor do Dnit, Luiz Antônio Pagot, que teve o nome envolvido no escândalo do Ministério dos Transportes.
Mas Sadok teve de deixar o posto depois de denúncias de supostos favorecimentos à Construtora Araújo Ltda, que pertence à mulher de Sadok.
A Construtora Araújo Ltda tem contratos que somam cerca de R$ 18 milhões em rodovias federais entre 2006 e 2011.
Outras mudanças no Ministério dos Transportes não estão descartadas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

1 comentário em OBRAS COM SUSPEITA DE CORRUPÇÃO SERÃO LIBERADAS ANTES DO PRAZO DETERMINADO POR DILMA

  1. Citei seu blog no meu vídeo sobre o CONSÓRCIO LESTE 4: http://www.youtube.com/watch?v=Dcp8shPUU00
    Desculpe se este não for o melhor local para postar isso.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: