COM SISTEMA NO CAOS, GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL ASSUME BILHETAGEM

ÔNIBUS DO DISTRITO FEDERAL

Os transportes coletivos no Distrito Federal estão caóticos, desorganizados e muito ruins. O que milhares de passageiros sabem há tempos foi admitido pelo diretor da gerenciadora de transportes, DFTRans, Marco Antônio Camapanella. Um dos maiores problemas é em relação a suspeitas de fraudes e irregularidades que teriam sido cometidas pela Empresa Fácil, de Bilhetagem Eletrônica, ligada às viações. Com a atuação da Fácil, o monitoramento dos ônibus, das arrecadações e das despesas fica difícil. A empresa foi descredenciada e agora é o governo que vai controlar a bilhetagem e as gratuidades. A frota que presta serviços em Brasília está com índice de ilegalidade de 75%. São ônibus de empresas legais, mas que não estão registrados na DFTRans. Apesar de terem o validador, as viagens nestes ônibus não são registradas e o repasse que deveria ser feito ao poder público não é realizado. Mil e duzentos ônibus piratas em esquema envolvendo nomes como do empresário Wagner Canhedo e do ex governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, teriam provocado prejuízos de R$ 14 milhões. Foto: Ônibus de Planaltina Blogspot.

Governo do Distrito Federal vai administrar bilhetagem eletrônica
Bilhete Fácil não é mais de responsabilidade da empresa ligada ao sindicato das empresas de ônibus. Desorganização do sistema e suspeitas de irregularidades são algumas causas da transferência

ADAMO BAZANI – CBN

O Governo do Distrito Federal é agora responsável pela comercialização e gestão da bilhetagem eletrônica que conta com o Cartão Fácil.
Assim, o governo agora vai administrar o passe livre estudantil, o cartão cidadão o vale transporte, todas as gratuidades e o atendimento ao passageiro.
A medida ocorreu depois de o Governo constatar desorganização nos transportes públicos, falta de transparência nas informações de despesas e receitas por parte da Empresa Fácil e das companhias de ônibus. Além disso, há suspeita de irregularidades na contratação da empresa de bilhetagem eletrônica liga ao Setransp – DF – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Passageiros do Distrito Federal.
O próprio diretor da DF Trans, a gerenciadora pública de transportes, Marco Antônio Campanella admitiu que os transportes em Brasília estão desorganizados e caóticos.
“O sistema de transporte em Brasília está muito desorganizado. O serviço está muito caótico e ruim”, disse o diretor da DFTRans, Marco Antôniio Campanella.
O Governo fará uma auditoria na Empresa Fácil para detectar possíveis irregularidades, como desvios de créditos de gratuidade, contabilização de viagens gratuitas não realizadas e omissão de dados.
Segundo Marco Antônio, é necessário ter um maior controle do sistema de transportes, para saber realmente quais sãos as receitas e as despesas e definir políticas tarifárias:
“O governo vai poder identificar com mais precisão custos e receitas. Até para que possamos discutir a questão da tarifa com segurança. Precisamos ter mais controle”, disse o diretor da DFTRans.
O convênio com a Empresa Fácil foi anulado em 15 de junho de 2011, após publicação no Diário Oficial do DF no último dia 14 de junho.
A suspensão do contrato foi determinada pelo governador Agnelo Queiroz, no Decreto 32.815 do dia 25 de março de 2001.
Por conta da mudança, o atendimento do cartão Fácil ficou fora do ar na semana passada pro três horas até que o Governo assumisse legalmente a operação e o gerenciamento do cartão.
Antônio Campanella disse ao portal G 1 que num primeiro momento, o passageiro não deve sentir alterações, já que por enquanto, por questões legais e operacionais continuam os mesmos fornecedores da Empresa Fácil.
Mas depois, com o maior controle das receitas e despesas e com informações mais precisas, será possível dinamizar os serviços e aperfeiçoar a bilhetagem eletrônica, bem como todo o sistema de transportes, já que a bilhetagem pode passar informações importantes para o dimensionamento da oferta frente a demanda, ou seja, mostrar quais linhas e pontos registram mais ou menos passageiros e quais tipos de usuários.
Entre as mudanças pretendidas pelo Governo do Distrito Federal será emitir o Passe Livre Estudantil no ato da matrícula.
O poder público que melhorar o sistema de recargas para ser feito dentro dos próprios ônibus, shoppings e dentro das escolas.

UM SISTEMA CHIEO DE IRREGULARIDES E MUITA COISA A SER ESCLARECIDA:

Os transportes no Distrito Federal passam por uma das piores fases, tanto do ponto de vista de atendimento à população quanto a legalidade. Na verdade, um interfere no outro.
O Governo do Distrito Federal disse que o índice de ilegalidade nos ônibus das empresas cadastradas chega a 75%.
São ônibus que não estão cadastrados ou não tiveram os cadastros renovados na DFTrans.
Alguns com idade superior a 10 anos e sem condições satisfatórias de manutenção.
Na sexta-feira, dia 13 de maio, o Decap (Divisão Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública), da Polícia Civil do DF, indiciou o ex governador José Roberto Arruda pela circulação de 1200 ônibus piratas de empresas registradas no Distrito Federal.
Também foram indicados outros funcionários públicos e empresários, entre eles, o ex secretário de transportes e agora deputado, Alberto Fraga (DEM – DF), o ex diretor da DFTrans, Paulo Munhoz (indicado na primeira fase da operação Drakkar) e os empresários Wagner Canhedo, Victor Foresti e Eduardo Queiroz.
Wagner Canhedo é presidente do sindicato das empresas de transportes e Victor Fortesti e Eduardo Queiroz são diretores do Setransp. Todos são gestores da empresa de bilhetagem Fácil.
A Fácil foi contratada sem licitação.
Os validadores funcionavam nos ônibus não castrados pela DFTRans, mas como os ônibus estavam fora do sistema, eles não registravam as passagens.
O suposto esquema entre José Roberto Arruda, os empresários de ônibus e a Empresa Fácil teria começado no ano de 2007.
Por não registrarem as passagens, eram deixados de ser repassados para a DFTRans e o Governo os 3,84% de cada viagem. A prática, segundo a Polícia Civil, teria provocado rombos superiores a R$ 14 milhões nos cofres públicos.
Os ônibus possuíam placas falsas e nem multa por infração de trânsito pagavam pois as placas não eram registradas no Detran.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

7 comentários em COM SISTEMA NO CAOS, GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL ASSUME BILHETAGEM

  1. …..Passageiros podem ficar tranquilos pois nao havera greve dos rodoviarios e sistema de Transporte Publico funcionara normalmente a partir desta segunda-feira.O Governo do Distrito Federal conseguiu com o acompanhamento da Secretaria dos Transportes e do DFTrans que rodoviarios e empresarios chegassem a um acordo coletivo sem que o preco das passagens de onibus sofram qualquer reajuste evitando assim prejuizos ainda maiores para a sociedade. O GDF entende que assim procedendo pode dar continuidade ao processo de melhoria do transporte coletivo do Distrito Federal que passa pela licitacao ja em andamento para regularizacao e modernizacao da frota de onibus com controle do sistema via GPS implantacao de corredores exclusivos de onibus e da racionalizacao das linhas.

  2. Precisamos que o DF forneça apoio para as empresas de ônibus o quanto antes. Vamos apoiar iniciativas positivas assim. Vamos que vamos.

  3. Não adianta paliativos, o GDF precisa investir de verdade no setor de transporte público, seja nas empresas de ônibus ou compra de mais ônibus

  4. O caio tem razão, enquanto o GDF não apoiar de verdade as empresas, esse sistema de transportes só tende a piorar.

  5. Isso n é ruim, o DF precisa de apoio para empresas de ônibus, vamos DF, vamos buscar tais melhorias.

  6. DF, melhorias para as empresas de ônibus é o que precisa ser feito, pois assim, conseguiremos muitas melhorias.

  7. Elaiá DF, mudanças precisam ser feitas para que as coisas melhorem, vamos que vamos, buscar apoioar e incentivar as empresas de ônibus com urgência.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: