A História do SOS CMTC

O SOS da CMTC
Nos últimos anos de existência da principal empresa pública de transportes do País, trabalhadores criam plano para tentar salvar a companhia
ADAMO BAZANI – CBN

CMTC ônibus

Monoblocos O 364 da CMTC - Companhia Municipal de Transportes Coletivos. A situação da empresa nos últimos anos foi crítica. Trabalhadores tentaram salvar companhia, mas não houve jeito.


A CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos – foi criada em 1946, na gestão do prefeito Abrahão Ribeiro, para organizar os transportes na cidade de São Paulo.
Em 1º de julho de 1947 assumiu os serviços encampando aproximadamente 90% das linhas de ônibus municipais e os serviços de bondes deixados pela desinteressada Light And Power Co.
O sistema pode ter sido organizado, mas logo de início, um tumulto marcou as operações. Foi um quebra quebra de grandes proporções por conta do aumento de 100% nas tarifas, que prejudicou milhares de passageiros e deixou os serviços de transportes sob clima de tensão.
A CMTC representou grandes avanços para o transporte coletivo não só no Brasil, mas em toda a América Latina. Delegações de todo o mundo visitavam suas garagens para aprenderem suas formas inovadoras de operação e manutenção.
A empresa também significou avanços para a indústria de ônibus no Brasil. A CMTC testava modelos inéditos que, se depois de aprovados pro ela, eram comprados com mais segurança pelos empresários particulares. Desenvolvia trólebus, veículos com combustíveis alternativos ao óleo diesel e construía seus próprios modelos.
Sem dúvida, um referencial em transportes.
Infelizmente, o final da CMTC foi trágico.
Não por causa de seus investimentos em tecnologia e inovações. Nem pelas suas linhas que tinham caráter social e serviram trajetos que não eram operados pelas empresas de ônibus.
Mas pela péssima cultura no Brasil de que pensar que dinheiro publico é de ninguém e pode-se colocar a mão a vontade.
Até ser privatizada, em 1993, os ônibus e garagens, e em 1994, os trólebus, a CMTC foi palco de cabidões de emprego, mau uso dos recursos públicos e falta de visão empreendedora de fazer com que os recursos multipliquem em vez de vazarem.
Pouco antes de ser privatizada, ainda no sistema municipalizado de Luíza Erundina, então do PT, quando as empresas particulares bem no início dos anos de 1990, eram remuneradas pelos serviços prestados, a CMTC estava agonizando. Agonizando mesmo!
De acordo com Nailton Francisco, que atuou na luta sindical dentro d CMTC, a situação da empresa estava deplorável nos seus últimos anos.
Segundo ele, para uma frota de 2 mil ônibus aproximadamente e 11 garagens só havia um pneu novo. Faltavam peças e a criatividade dos funcionários da empresa era fundamental para que os problemas que já eram visíveis não ficassem ainda maiores aos olhos da população.
Como tentativa de salvar a empresa pública, os trabalhadores criaram o plano SOS CMTC. Além de unir esforços entre eles mesmos para racionalizar os recursos, diminuir gastos e discutir com o poder público melhor formas de estruturar a Companhia.
Tal patrimônio público e referencial não poderia desaparecer.
A CMTC realmente até melhorou.
Alguns ônibus novos foram comprados e os mais antigos tiveram a manutenção melhorada.
No SOS CMTC, os funcionários se empenharam de uma forma que parecia que a empresa era deles. E na verdade era, assim como era de propriedade de todo o cidadão paulistano, inclusive aquele que não andava de ônibus.
Todos fiscalizavam a empresa e cuidavam de não haver desperdícios.
O pessoal da área operacional se empenhava.
Mas os beneficiários pelos chamados cabidões não tinham o mesmo empenho.
Além disso, comissões discutiam com o poder público a melhor maneira de estruturar novamente a empresa. Muitas vezes as discussões e reuniões eram bem acaloradas.
Dizer que o esforço foi em vão seria desqualificar a luta dos trabalhadores da CMTC. O SOS CMTC foi um exemplo de mobilização de trabalhadores não em prol de uma categoria ou de reivindicações salariais próprias. Mas por uma empresa, por um patrimônio, por algo maior, que claro, era de interesse deles e da manutenção de seus empregos. Mas os resultados não foram os esperados.
Adamo Bazani

18 comentários em A História do SOS CMTC

  1. Neste país já é comum a inversão de valores; Veja onde estão atualmente aqueles funcionários que davam o sangue pela CMTC e veja onde estão os pelegos incompetentes da administração, que sugavam a mesma até o osso, e depois me diga o que descobriu…

  2. Boa noite de segunda pra ti, Adamo !
    Dias e noites, cinzentos e de frio, aqui em Jundiaí. Certa vez, em uma biblioteca particular da qual, fui sócio nos anos 90, encontrei um livro, relatório sobre os feitos de uma determinada adminsitração municipal da capital que, contemplava planos de reorganização da CMTC, nos fins dos anos 70, com a aquisição de reluzentes MBB 0362. Na mesma época, também tive acesso a revistas, livros que, mostravam a qualificada manutenção dela.
    Bom…
    Como disseste em sua matéria, a empresa serviu no mais das vezes, ao empreguismo e não aos cidadãos e teve o triste fim que conhecemos.
    Ela foi exemplo de coisas boas e ruins e tomara que o alerta esteja sempre muito presente para os empresários e o poder público. Uma empresa pode ser boa ou ruim, depende de como é administrada. Simples assim.
    Abçs

  3. É tão chato ver uma empresa pública afundar…

    Ainda sou daquela opinião de que, se um governo é incompetente para administrar uma empresa pública, esse governo não deveria existir.

    Temos que lutar por uma lei rígida contra cabides de emprego em qualquer órgão público. Funcionários devem prestar contas aos patrões, no caso, ao povo. Não trabalha bem, cai fora!

    Infelizmente o país não é tão nosso como eles fazem as pessoas acreditarem, então “privatizar tudo” é a “melhor saída” que alegam… Enquanto o povo se lasca pra sustentar uns poucos empresários, muitas vezes do exterior.

  4. Amigo Adamo, esta reportagem me emocionou, confesso.

    Só para ter uma idéia, a CMTC o Dr. Paulo Maluf desde 1971 ele queria um motivo para acabar com a CMTC. A grande oportunidade que ele encontrou, foi quando a CMTC fez uma licitação para algumas toneladas de parafusos que dariam para serem utilizados por mais de 20 anos (versão Maluf). Creio que o fim da CMTC foi mais pelo motivo “VONTADE POLITICA” do que pelos cabides de emprego e outras desculpas.

    Sou a favor da volta da CMTC no cenário público, pois há linhas que muitas empresas não querem operar, mas que são linhas necessárias.Com a volta da CMTC que poderia ser uma empresa de economia mista e bem fiscalizado, creio que seria bem viável na conjuntura atual. Garagens ela tem as maiores, seria a garagem SANTA RITA, e a CATUMBI, creio que as duas garagens concentraria perto de 700 veiculos sendo que para a nova CMTC 1000 veiculos seria o suficiente, para inicio, uma empresa bem enxuta dentro da realidade atual. Seria uma forma das outras empresas de ônibus procurarem a prestar um bom serviço.
    Creio que com esta nova CMTC as inovações tecnologicas voltariam com tudo e a nova CMTC voltaria a ser uma grande referencia nos transportes, e para a cidade de São Paulo seria um grande avanço.
    A grande questão: QUAL O PREFEITO TEM A CORAGEM DE CRIAR UMA NOVA CMTC DENTRO DA CONJUNTURA ATUAL??????

    • Marcos, bom dia.
      Apesar de, apenas trocarmos msgs. pelo Blog, do nosso caro amigo Adamo, tomo a liberdade de lhe direcionar estas sinceras considerações à respeito desta matéria e de suas observações sobre ela:
      1. Não fosse o poder público brasileiro, em suas diversas esferas, ineficiente, incompetente, mal gerido, além de outras qualificadoras negativas, poderíamos pensar na recriação da CMTC, como bem disseste, através de uma empresa de economia – mista, onde, para ingressar em seus quadros, a pessoa tivesse de prestar um concurso público, mas o regime de contratação fosse CLT, ou seja, não trabalhou de acordo, tchau ! É cruel, sim ! Mas assim é hoje ! Onde sua diretoria e sua presidência fosse ocupada por funcionários de carreira e não apadrinhados políticos que, não entendem de gerenciar suas próprias vidinhas, quando muito, ADMINISTRAR um GIGANTE do serviço público;
      2. Tudo o que eu disse acima, é muito bonito, mas para a nossa atual realidade, apenas um lindo SONHO, nada mais. Nunca vai acontecer.
      3. Marcos, quero estabelecer contato contigo. Como podemos fazê-lo ???
      Forte abraço e bom feriado.

      • Marcos Galesi // 10 de Março de 2011 às 02:11 //

        Amigo Gustavo Cunha

        Estou a sua disposição e meu telefone de contato, inclusive para os amigos que queiram manter contato comigo são:

        9523 7290
        7667 5794.

        Um grande abraço
        Marcos Galesi

      • Marcos Galesi // 10 de Março de 2011 às 02:17 //

        Amigo Gustavo

        Eu sou um POSITIVISTA, eu acredito que um dia podemos conseguir, não é a curto prazo, mas creio que a longo prazo podemos conseguir. Vamos à luta pois quando o anseio daqueles que estão em busca da justiça, da verdade, vão se unindo, uma hora os sonhos se tornarão realidades, acredito muito na justiça, na verdade e no nosso Brasil.

    • Rodrigo de Freitas Andrade // 8 de Março de 2011 às 22:21 // Responder

      Concordo com o Galesi.
      A volta da CMTC seria primordial nos dias de hoje em São Paulo, devido as linhas de ônibus que nenhuma empresa quer operar, mas que tem função importantíssima para os usuários destas linhas.
      Sobre este argumento de “cabide de empregos” que a CMTC tinha que os anti-CMTC pregam, eu me atenho ao simples fato que como diz na reportagem do Adamo, aqueles homens que tentaram reeguer a CMTC, foram abandonados, tiveram de implorar por emprego nas empresas particulares, sofreram humilhações, muitos cairam na pobreza, enquanto aqueles que denegriam a imagem da CMTC com seus empregos cabide, hoje estão lá firmes no planejamento da SPTrans, prejudicando a população e atendendo apenas os pedidos das empresas e consórcios particulares, desativando linhas importantes ao cidadão paulistano, linhas estas que antes de perderem demanda, foram profundamente boicotadas por quem não as quer operar.
      Dizem que o assunto CMTC é antigo e quem luta por uma empresa pública de transportes é saudosista (argumento fácil de petistas), porém basta vermos a situação atual que vivemos no transporte público para crermos que somente uma empresa pública de transportes conseguirá garantir o transporte para aqueles cidadãos que dependem das linhas de ônibus estruturais de média demanda (alta demanda nos picos e média-baixa nos entrepicos) que são tão importantes.

      Muitas linhas que hoje em dia andam superlotadas e são altamente lucrativas aos empresários e cooperativas, antes eram uma linha equivalente da CMTC que foi abandonada por empresários e recuperada pela CMTC.
      Exemplos existem em toda a cidade.

      • Vital Francisco Previati Previati // 16 de novembro de 2015 às 20:20 //

        concordo plenamente com voce amigo Rodrigo de Freitas Andrade,estive na (CMTC) de 87 á 94 como motorista de prontuario (102 261) e eu presenciei muitas linhas que nóis iamos fazer,por causa das particulares,faziam greve,se desligavam das linha e sempre sobrava pra cmtc,cansei de inaugurar linhas já inauguradas rsrsrs…na zona leste/norte/sul..não me lembro da zona oeste,,,,na paz,fica com deus amigo,,adiciona eu ai no seu face..Vital Francisco Previati Previati..

  5. Marcelo Pierre de Lima // 8 de Março de 2011 às 03:11 // Responder

    Primeira vez que comento aqui, mas, a solução da CMTC assim como a CTC aqui no Rio não poderia ser a organização de empresa de economia mista? Ex: a Petrobrás é organizada dessa forma.

    Veja, as pessoas dizem que a Petrobrás é uma estatal, mas, não é controlada 100% pelo Governo Federal pois há outros acionistas.

    A ideia seria um mecanisno de tentar evitar uma politicagem excessiva que matou literalmente a CTC-RJ, assim como, suponho eu, a CMTC. Não sei, essa seria a minha ideia.

  6. Sinceramente, se o Kassab quizesse, ele poderia refundar a COMPANHIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVOS no molde de economia mista, com funcionarios de carreira, eu particularmente, gostaria que tivesse um SÉRGIO AVELLEDA que tem feito um ótimo trabalho na CPTM e agora à frente do METRÔ fará uma revolução de melhorias pelo menos para os próximos anos. Infelizmente assim como o Gustavo disse, fico triste e chateado porque o Kassab tem uma rica oportunidade e simplesmente está mais preocupado com o futuro politico do que com a CIDADE DE SÃO PAULO, infelizmente falta um ESTADISTA que tenha amor à CIDADE que deixasse em ultimo plano a carreira politica.

    Dentro da SPTrans tem gente que tem muitas idéias, mas são sufocados pelos “interesses” ocultos, que até os leigos acabam identificando isso tudo de longe.

    Ah, queria eu estar na cadeira do Kassab…..Oportunidade que ele está tendo, é muito grande, pena que não aproveita.

    pessoal guardem isso que escrevi, se um dia eu tiver a oportunidade, cobrem de mim se eu chegar a ser prefeito.

    abs

  7. CMTC quera empresa que dava gosto de trabalhar
    pena este politicos safado acabou com são paulo tinha de melhor

  8. pessoa me desculpa pelos os meu erros de portugues
    o que eu queria dizer e que a CMTC empresa que dava gosto de trabalhar
    pena que este politicos safado acabou com a CMTC que são Paulo tinha de melhor em transporte Publico rico não pensa no povão

  9. eu precido um telefone da cmtc mas não consigo alguem tem por favor

    • Sr. Miguel Moreira, boa noite

      A CMTC foi extinta antes de 1995, se não me falha a memória.

      Assim sugiro o senhor contactar os seguintes órgãos municipais que ainda poderão ter em
      seus arquivos alguma informação da extinta CMTC que lhe possa ser útil.

      Prefeitura do Município de São Paulo
      Edifício Matarazzo
      Viaduto do Chá, 15
      Tel.: 3113.8000
      http://www.capital.sp.gov.br/portalpmsp/homec.jsp
      ————————————————————–
      Secretaria Municipal de São Pulo – SMT
      Rua Boa Vista, 236
      Centro São Paulo S.P.
      Tel.: (11) 3396.6800
      http://www.capital.sp.gov.br/portalpmsp/homec.jsp
      —————————————————————-
      São Paulo Transportes – SPTrans
      Rua Boa Vista, 236
      Centro São Paulo S.P.
      http://www.sptrans.com.br/

      Se houver o Departamento de Arquivo do município de São Paulo, este também poderá lhe ajudar.

      Att,

      Paulo Gil

  10. Flávio Brito dos Santos // 24 de novembro de 2013 às 05:18 // Responder

    Assim como as pragas assolam as lavouras no campo, a corrupção assola, esvazia os cofres públicos e dilapida o patrimônio construído com o suor de trabalhadores e contribuintes. Não foram os motoristas, cobradores, fiscais, pessoal de oficina, e todos os trabalhadores que já estavam na empresa há 10,20 30 anos que destruíram e dizimaram com a CMTC. Essas pessoas gostavam e sabiam o que faziam ali. Agora quanto aos figurões, filhos vagabundos de políticos estes sim, estavam ali de passagem. Não tinham compromisso com nada e com ninguém, apenas com a grana gorda que escorria dos cofres da empresa via secretaria de transporte do município.
    E quando saiam deixavam um rastro sujo e imundo de desmandos, descaso com a coisa pública e principalmente desrespeito com a população da cidade de São Paulo.

  11. Gostaria de saber do sindicato dos fiscais, motoristas e cobradores e do escritório (CMTC) sobre o processo trabalhista da época da Erundina, alguma informação a respeito? Trabalhei na CMTC de 1985 a 1994 quando o Maluf acabou com a empresa, uma ótima empresa tanto para os funcionários e para os passageiros. Se alguém tiver informação pode me ligar : (11) 997913391 vivo ou (11) 960118586 oi. ou email: miltondiniz@bol.com.br.

  12. Perdemos uma grande empresa que da emprego pra muita gente eu trabanhei na cmtc 14 anos 9 mês e 12 dias e é uma pena perder uma empresa com era o enterece politico falo mais alto agora da vergonha no mais e o processo de 1990 gestão Erondina como ficou?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: