Você teve todo esse aumento?

Santo André é a cidade que terá a maior tarifa do ABC e não permite integrações nem no Terminal Central. Só no sistema Vila Luzita

Aumento de tarifas de ônibus supera qualquer índice inflacionário e vai ajudar a defasar salários
ADAMO BAZANI – CBN

Economistas já advertem. Os aumentos anunciados nas tarifas de ônibus vão impactar a classe média baixa e a classe pobre fazendo com que o poder aquisitivo destas camadas, tão vangloriado pelo Governo Federal, tenha queda.
Enquanto na classe média alta os custos com transportes podem representar 4%, nos segmentos com renda maior, estes gastos podem chegar a 14% da renda mensal familiar.
Os empresários, como sempre, alegam alta nos custos operacionais e de salários. O que realmente aconteceu. Mas os indicies reivindicados, e concedidos, mesmo que aproximadamente, são bem maiores do que os ganhos de qualquer categoria.
Na Capital Paulista, Gilberto Kassab bateu o martelo.
No dia 5 de janeiro, a passagem sobre de R$ 2,70 para R$ 3,00.
Kassab justificou o aumento de 11,11% em nome da “expressiva” redução de R$ 660 milhões pra R$ 600 milhões anuais.
O prefeito de São Paulo prometeu também a troca de 9500 ônibus por mais novos. Isso equivale a renovação de 65% da frota.
Kassab prometeu elevar o tempo do Bilhete Único de 2 para 3 horas e o Bilhete Amigão, aos domingos e feriados vai permitir o usuário do Bilhete Único fazer 4 viagens em até 8 horas.
Apesar de o aumento ser considerado alto, a cidade de São Paulo ainda dá compensações.
E no ABC Paulista, que também terá aumentos expressivos e conta com cidades, como Santo André, que nem dentro dos terminais permitem integração, com exceção do Sistema Tronco Alimentador de Vila Luzita.
Para se ter uma idéia, para ir da Avenida Pereira Barreto, em Santo André, para a Avenida Dom Pedro II, na mesma cidade, praticamente uma continuação da outra, a pessoa precisa pegar duas conduções. Ir até o centro de Santo André e pagar duas tarifas. Isso há anos e nada é feito. Nem mesmo dentro do Terminal de Santo André há integração entre as linhas. E a cidade terá, ao lado de São Bernardo do Campo, a tarifa mais alta do ABC.
Confira

SANTO ANDRÉ:
De R$ 2,65 para R$ 2,90, a partir de 3 de janeiro. Reajuste de 9,4%
SÃO BERNARDO DO CAMPO:
De R$ 2,50 para R$ 2,90, a partir de 3 de janeiro. Alta de 16%
SÃO CAETANO DO SUL:
De R$ 2,30 para R$ 2,75, a parir de 1de janeiro. Acréscimo de 19,5%
DIADEMA:
De R$ 2,50 para R$ 2,90. A partir de 1 de janeiro, com reajuste de 12%
MAUÁ:
Não terá aumento até maio, pelo menos, por conta da entrada da Leblon Transporte de Passageiros, que assinou contrato com a Prefeitura em maio de 2010. Dentro de um ano, após a entrada de uma nova empresa, as tarifas não podem ser reajustadas, mas o prefeito Oswaldo Dias á cogita aumento para a metade do ano que vem. Atualmente a tarifa em Mauá é de R$ 2,50.
RIO GRANDE DA SERRA: Por conta de uma nova licitação, que confirmou a permanência da Viação Talismã nos serviços municipais, a tarifa também não sobe no início de 2011. O valor é de R$ 2,30.
Além das pressões dos empresários, uma explicação bastante lógica é dada para estes aumentos bem acima da inflação, em cidades que reajustaram as tarifas há um ou dois anos.
O início de 2011 ainda não terá tanto impacto nas eleições municipais que ocorrerão no segundo semestre de 2012.
Muitos duvidam que neste ano, as tarifas devem aumentar, mas para 2013, os passageiros devem ficar preparados.
Para o ABC, o presidente da AETC-ABC, Associação das Empresas de Transportes do ABC – , Baltazar José de Sousa, queria que as tarifas municipais fossem igualadas em R$ 3,00 para toda região.
O que muitos se esquecem é que, mesmo sem ter o direito de escolher empresas concorrentes nos mesmos serviços, o passageiro de ônibus urbano é consumidor também
E como tal tem o direito de exigir o que é melhor para si.
A pergunta é: DIANTE DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS, a TARIFA DE ÔNIBUS VALE TUDO ISSO?
Adamo Bazani, jornalista e passageiro com menos dinheiro agora

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: