Pato Branco (PR) terá ônibus mais caro a partir de segunda-feira (16)

Tarifa do transporte coletivo estava congelada desde abril de 2022; aumento será de 12,5%, dos atuais R$ 4,00 para R$ 4,50, após concordância entre Consórcio Tupã e Prefeitura

ALEXANDRE PELEGI

Os moradores de Pato Branco, no Paraná, pagarão 50 centavos a mais para utilizar os ônibus do transporte coletivo da cidade a partir da próxima segunda-feira, 16 de outubro de 2023.

O aumento de 12,5% na tarifa foi definido em decreto publicado no Diário Oficial dessa quarta-feira (11) pelo prefeito do Município.

Para reajustar o valor da passagem, que passa dos atuais R$ 4,00 para R$ 4,50 o prefeitura levou em consideração deliberações da Câmara Técnica de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana.

De acordo com o texto legal, o reajuste considerou a necessidade de restabelecimento da equação econômico-financeira inicialmente estipulada no Contrato de concessão, assinado em 2017 com a atual operadora do transporte municipal, o Consórcio Tupã.

Para justificar o reajuste, a prefeitura divulgou um comunicado oficial em que justifica a medida, definida na última reunião da Câmara Técnica de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana, composta pelos Sindicatos dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Pato Branco, Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Pato Branco e Associação Comercial e Empresarial de Pato Branco (Acepb).

A atualização da tarifa do transporte público em Pato Branco de R$ 4,00 para R$ 4,50 foi discutida em razão da proposição da própria empresa, a concessionária do Transporte Público no município. Segundo o diretor do Departamento de Trânsito de Pato Branco, Robertinho Dolenga, “o aumento reflete uma adaptação crucial diante de variações nos custos operacionais”.

Dolenga destaca que os preços do transporte estavam congelados desde abril de 2022.

Os significativos aumentos nos insumos como nos combustíveis, somente de julho para agosto deste ano houve um aumento de 24% no preço do diesel, e equipamentos, além de desgaste de pneus e de peças, sem contar na reposição salarial de 4,5% pagas para os motoristas e cobradores. Tudo isso impacta no aumento do custo da tarifa do transporte”, salienta o executivo municipal.

Importante mencionar que cerca de 30% do custo total por quilômetro é referente ao diesel, ressaltando a relevância desse componente na equação”, complementa o diretor.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
   
Assine
     
Comentários

Deixe uma resposta